Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308830
Type: TESE
Title: Profissionais de saude : conhecimento e conduta em aleitamento materno
Author: Panigassi, Giseli
Advisor: Moreira Filho, Djalma de Carvalho, 1950-
Filho, Djalma de Carvalho Moreira
Abstract: Resumo: Objetivou-se analisar os conhecimentos e condutas de promoção, proteção e apoio à amamentação entre profissionais de saúde que atuam na assistência à criança. Para isto, desenvolveu-se um estudo transversal, realizado na Rede Básica dos municípios de Campinas, Hortolândia, Jaguariúna, Santo Antônio de Posse e Sumaré em 1994. Foram entrevistados 86 profissionais (58 médicos e 28 auxiliares de enfermagem) e 194 mães de crianças menores de 2 anos de idade. Os profissionais de nível universitário apresentaram, na sua maioria (82,5%), mais de 5 anos de formados e 80,7% dos médicos pelo menos 2 anos de residência. A idade mediana referida por médicos como ideal para introdução de chá na dieta das crianças foi de 4,5 meses e outros leites 6 meses. Em termos médios 34% dos profissionais, independentemente de sua formação, recomendam interrupção do aleitamento com 9 meses ou menos, enquanto apenas 4,7% seguem as orientações da OMS. Entre médicos, 11,1 % orientam horários fixos de amamentação, subindo este percentual para 42,8% entre os profissionais de nível médio. 60,3% dos médicos apontam insuficiência de leite como uma das situações que requer suplementação ao leite matemo enquanto 84,5% recomendam em caso de trabalho da mãe. lntercorrências mamárias da lactação foram referidas por 48,3% dos médicos e bico do seio invertido por 43,1% destes profissionais como motivo de suplementação. Entre as razões que justificam a interrupção do aleitamento, intercorrências mamárias, doença do bebê e bico invertido são citadas por 31,6%, 20,7% e 19% dos médicos, respectivamente. As condutas relativas ao aleitamento matemo na puericultura são ainda precárias e, de certa fo_rma, refletem o conteúdo teórico recebido durante a graduação e residência, mostrando, assim, a necessidade de novas abordagens na capacitação e reciclagem dos profissionais. Os auxiliares de saúde considerados menos capacitados a promover a amamentação, também se mostraram inseguros a assumirem condutas frente a determinados riscos de desmame precoce. A comparação entre as referências maternas e dos profissionais mostra que ~ ações de promoção da amamentação não são muito eficazes, pois as mães continuam assumindo atitudes desfavoráveis ao aleitamento matemo e, principalmente, ao aleitamento matemo exclusivo. Tal fato reforça as conclusões anteriores sobre insuficiência de conhecimentos e inadequação de condutas das equipes de saúde analisadas

Abstract: This survey had in view knowledge and conduct analysis in promoting, protecting and supporting of breast feeding among health professionals, who act in children care area. For such, a transversal research was developed and etfectuated in the Public Health Department of cities like Campinas, Hortolândia, Jaguariúna, Santo Antônio de Posse e Sumaré, in 1994. 86 professionals (58 doctors and 28 nurse assistants) and 194 mothers whose children were younger than 2 years old, were interviewed. The professionals with university graduation were - in its majority (82,5%) - more than 5 years graduated, and 80,7% of the doctors were in residence for at least 2 years. The average age referred by the doctors as ideal for the introduction of tea in children' s diet was 4,5 months and 6 months for other kind of milks: An average of 34% of the professionals, independent1y on graduation, recommends children' s lactation interruption at the 9th month or less, while only 4,7% follows the directions established by WHO. Among the doctors 11,1% recommend the setting of time for breast feeding, this percentual increases to 42,8% among those with medium education. 60,3% oft~e doctors indicate milk insufficiency as one ofthe situations, which requires the breast feeding to be supplemented, while 84,5% recommend supplementation when the mother works. Breast feeding intercorrentions were referred by 48,3% of the doctors while inverted breast nipple by 43,1% of these professionals as the cause for supplementation. Among the reasons that justify the lactation interruption, breast feeding mtercorrentions, baby illnesses and inverted breast nipple are mentioned by 31,6%, 20,7% and 19% of doctors respectively. The. conduct related to breast feeding in the puericulture is still precarious and, in a certain way, it reflects the theoretical contents received during graduation and residence, what .indicates the necessity of new ability discussions and professional recycling. The Health Assistants, considered to be less competent to promote lactation, also showed to be insecure to assume conducts, face to some premature weaning risks. A comparison be{Weeq maternal and professional references indicates that lactation promotion acts are not ;ery etfective, since mothers continue assuming attitudes which are unfavorable to bre~ feeding and mainly to the exclusive breast feeding, what reinforces the previous conclusions about knowledge insufficiency and conducts inadequation ofthe analyzed health statfs
Subject: Formação profissional
Saúde pública
Enfermagem em saúde comunitária
Amamentação
Nutrição
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2000
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Panigassi_Giseli_M.pdf9.19 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.