Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308817
Type: TESE
Title: Aspectos epidemiológicos das fraturas do fêmur proximal em idosos
Title Alternative: Epidemiological aspects of hip fractures in the elderly
Author: Vidal, Edison Iglesias de Oliveira
Advisor: Moreira Filho, Djalma de Carvalho, 1950-
Filho, Djalma de Carvalho Moreira
Abstract: Resumo: As fraturas do fêmur proximal (FFP) correspondem a um importante problema de saúde pública em todo o mundo. Dentre todas as fraturas associadas à osteoporose são consideradas como as mais graves e correlacionam-se com os maiores índices de morbimortalidade, dependência funcional e custos para os indivíduos e os sistemas de saúde. O maior crescimento em sua incidência nos próximos anos é esperado nos países em desenvolvimento, todavia, estes também são os locais onde é maior a carência por dados acerca da epidemiologia dos pacientes acometidos por estas fraturas. A presente pesquisa teve como objetivo analisar alguns aspectos desta epidemiologia tanto no âmbito nacional como internacional. Como resultado foram confeccionados três artigos abordando esta temática. O primeiro artigo avaliou, a partir de uma base de dados de todas as hospitalizações por FFP na província de Quebec, no Canadá, a hipótese da equivalência do intervalo de tempo entre a fratura e a cirurgia e o intervalo entre a hospitalização e a cirurgia, enquanto preditores da ocorrência de óbito intra-hospitalar. Após controle para a presença de outras variáveis, nenhum dos intervalos mostrou associar-se com a mortalidade intra-hospitalar. Concluiu-se que, ao menos na medida em que a diferença entre os intervalos sejam pequenas como no caso observado, os mesmos podem ser utilizados de modo intercambiável sem comprometer a interpretação da associação entre o timing cirúrgico e a mortalidade intra-hospitalar, tal como pressuposto em diversos estudos prévios da literatura internacional. O segundo artigo buscou caracterizar o perfil clínico de idosos brasileiros hospitalizados em função de uma FFP, bem como os padrões de tratamento adotados, as complicações intra-hospitalares e a mortalidade ao longo de um ano. Dentre outros resultados de interesse, observou-se uma taxa de mortalidade em um ano de 13,4% (IC95%: 10,1 - 17,5%) e intervalos bastante elevados tanto entre a fratura e a hospitalização (média de 3,6 dias) como entre a internação e a cirurgia (média de 12,8 dias). O terceiro artigo procurou avaliar dentro do contexto brasileiro a associação entre o intervalo de tempo da fratura à cirurgia e a sobrevida dos idosos acomeditos por uma FFP. Após ajuste para variáveis de confundimento observou-se uma associação entre uma maior demora para a internação hospitalar e o óbito (HR: 1,08 , IC95%: 1,04 - 1,12, P < 0,001). Discute-se a questão das FFP enquanto objeto epidemiológico privilegiado, inclusive como um possível evento sentinela a ser monitorado no âmbito da saúde do idoso tanto no plano nacional como internacional.

Abstract: Hip Fractures (HF) represent the most severe of all osteoporotic fractures and remain an important cause of mortality, morbidity, dependency and costs for older adults and healthcare systems worldwide. Even though the greatest increase regarding the incidence of HF is expected to occur in the developing countries of the World, those are also the regions from where less information is available regarding the epidemiology of those fractures. The present research aimed to analyze selected aspects of the epidemiology of those fractures both in Brazil and internationally. Three manuscripts were produced as a direct result of this investigation. The first manuscript assessed the widely adopted assumption of interchangeability between the gap from hospital admission to surgical HF repair and the actual gap from fracture to surgery as predictors of in-hospital mortality among HF patients. A database encompassing all HF hospital admissions in Quebec, Canada, was the primary source of data for the analyses undertaken in this study. After statistical adjustment for the presence of other covariates neither of the time intervals to surgery was a significant predictor of in hospital mortality. As a conclusion, at least to the extent of the small differences observed between both gaps, they might be used interchangeably without compromising the interpretation of the relationship between surgical timing and in-hospital mortality, as assumed by previous studies. The second manuscript aimed to describe the clinical profile, treatment patterns, in hospital complications and one-year mortality of elderly Brazilians with an incident HF. Among other findings 13.4% (95%CI: 10.1% - 17.5%) of patients died during the first year and large gaps from fracture to hospital admission (mean 3.6 days) and from hospital admission to surgery (mean 12.8 days) were noted. The third manuscript examined in the context of a developing country the association between surgical timing and the survival of older adults after a HF. After adjusting for the presence of other covariates a small association between delayed hospital admission and reduced survival (HR: 1.08, 95% CI: 1.04 - 1.12) was observed. The point is made that HF should be considered a privileged epidemiological object, which might be used strategically as a sentinel event to be monitored both locally and internationally as a marker of the quality of health care to the elderly.
Subject: Quadril - Fraturas
Osteoporose
Epidemiologia
Idosos
Mortalidade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Vidal_EdisonIglesiasdeOliveira_D.pdf5.39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.