Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308742
Type: TESE
Title: Utilidade da pesquisa de anticorpos IgA anti-toxoplasma gondii para o diagnostico sorologico da toxoplasmose aguda adquirida
Author: Takahashi, Emilia Emiko Hieda
Advisor: Rossi, Claudio Lucio, 1950-
Abstract: Resumo: A toxoplasmose, infecção causada pelo parasita intracelular Toxoplasma gondii, em indivíduos imunocompetentes é, geralmente, assintomática ou se apresenta associada com manifestações clínicas leves e não específicas. O diagnóstico sorológico da toxoplasmose aguda tem, tradicionalmente, sido feito pela detecção de anticorpos específicos da classe IgM e/ou pela demonstração de um aumento significativo dos títulos de anticorpos específicos, usualmente da classe IgG. Entretanto, a presença de altos títulos de anticorpos IgG anti- Toxoplasma gondii em um número significativo de pessoas sadias e a persistência, em alguns casos, dos anticorpos da classe IgM por vários meses, ou mesmo anos, após a infecção com o parasita, tem dificultado a interpretação dos resultados dos testes sorológicos para o diagnóstico da fase aguda da toxoplasmose. O presente estudo foi delineado para avaliar a utilidade da pesquisa dos anticorpos IgA anú-T.gondii para o diagnóstico da toxoplasmose aguda adquirida. Anticorpos IgA anti-T.gondii foram pesquisados, através das técnicas de ELISA direta (ELISA d), ELISA de captura (ELISAc) e Imunocaptura-aglutinação (IC-A), em 54 pacientes com toxoplasmose aguda adquirida, 50 pacientes com infecções heterólogas e em 27 pessoas sadias. As três técnicas apresentaram alta sensibilidade e especificidade para o diagnóstico da toxoplasmose: ELISAd - 98% de sensibilidade e 97% de especificidade; ELISAc-100% de sensibilidade e 99% de especificidade; IC-A-100% de sensibilidade e especificidade. Através de um estudo comparativo, a persistência dos anticorpos IgA, detectados por ELISAd, ELISAc e IC-A, e a dos anticorpos IgM, detectados por imunofluorescência indireta (IFI), ELISAc e por uma técnica de quimioluminescência baseada em princípios imunoenzimáticos (QmL), foram avaliadas utilizando-se amostras sequenciais de soros de 10 pacientes com toxoplasmose, obtidas a diferentes intervalos de tempo após as manifestações clínicas da infecção. Os resultados da pesquisa de IgM confirmaram as observações de outros autores referentes a longa persistência desta classe de anticorpos específicos após a infecção com o parasita. Foi, ainda, observada uma relação direta entre a sensibilidade da técnica utilizada e a persistência dos anticorpos IgM. Do mesmo modo, a análise dos resultados referentes a pesquisa de IgA mostrou que as técnicas de ELISAd e IC-A permaneceram, também, positivas por um longo período de tempo após a infecção, em um número significativo de casos. Com relação a identificação da fase aguda da toxoplasmose adquirida através da pesquisa de anticorpos específicos, levando em consideração a freqüência de detecção dos anticorpos e a persistência dos mesmos no curso da infecção, os melhores resultados foram obtidos com a técnica de ELISAc para IgA, considerando como significativos níveis de anticorpos superiores a 40 unidades arbitrárias por ml de soro (UA/ml). A pesquisa de anticorpos IgA por ELISAc associada a pesquisa de anticorpos IgM através de IFI ou de uma técnica de maior sensibilidade tal como ELISAc ou QmL, poderá contribuir significativamente para o diagnóstico sorológico da toxoplasmose aguda adquirida

Abstract: Toxoplasmosis, an infection caused by the intracellular parasite Toxoplasma gondii, is generally asymptomatic or is associated with mild, nonspecific clinical manifestations in immunocompetent subjects. The detection of Toxoplasma-specific antibodies has been considered the most valuable tool for diagnosing toxoplasmosis. Serological diagnosis of acute toxoplasmosis has traditonally been performed by detecting specific IgM antibodies and/or by demonstrating a significant increase in specific IgG antibody levels. However, the presence of high anti-Toxoplasma IgG antibody titers in a significant number of normal subjects and the persistence, in some persons, of specific IgM antibodies for several months or even years following the acute infection have complicated the interpretation of serological test results when toxoplasmosis is suspected. The present study was designed to evaluate the usefulness of detecting Toxoplasma - specific IgA antibodies for the diagnosis of acute acquired toxoplasmosis. The sensitivities and specificities of the direct ELISA (dELISA), immunocapture ELISA (cELISA) and immunocapture-agglutination assay (IC-A) for detecting Toxoplasma-specific IgA antibodies were determined by analysing the following groups of sera: 54 serum samples from patients with acute acquired toxoplasmosis, 50 serum samples from patients with heterologous infections and 27 serum samples from healthy controls. The performances of the three techniques were excellent and very similar: 98% sensitivity and 97% specificity for the dELISA, 100% sensitivity and 99% specificity for the cELISA and 100% sensitivity and specificity for the IC-A In a comparative study, the persistence of Toxoplasma- specific IgA antibodies, detected by dELISA cELISA and IC-A, and of Toxoplasma-specific IgM antibodies, detected by indirect immunofluorescence (IFI), cELISA and an enzyme-mediated chemiluminescent assay (QmL), were assessed using sequential serum samples obtained from ten patients at various intervals after the beginning of the clinical manifestations of toxoplasmosis Our results from screening for Toxoplasma - specific IgM antibodies confirmed the observations of others regarding the sustained persistence of such antibodies after infection with the parasite. A longer persistence of IgM was observed using the cELISA and QmL in a significant number of cases. The dELISA and IC-A techniques also detected specific IgA antibodies for a long period after the infection with T.gondii. The best results for IgA were obtained with the cELISA for which values>40 AU/ml represented significant antibody levels. We conclude that the screening for IgA antibodies by cELISA coupled with the screening for IgM antibodies by IFI or a technique with a higher sensitivity could significantly improve the serological diagnosis of acute acquired toxoplasmosis
Subject: Toxoplasmose
Imunoglobulina A
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1996
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Takahashi_EmiliaEmikoHieda_D.pdf2.17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.