Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308733
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Delirio : uma analise epistemologica da aplicação do conceito Jasperiano e uma proposta Wittgensteiniana de tratamento ao fenomeno
Title Alternative: Delusion: an epistemological analysis of the application of its jasperian concept and a wittgensteinian proposal for approaching the phenomenon
Author: Rodrigues, Adriano Carvalho Tupinamba
Advisor: Banzato, Cláudio Eduardo Müller, 1964-
Abstract: Resumo: O delírio, fenômeno central da psicopatologia, é ainda atualmente definido por meio de características legadas do século XIX e difundidas por Karl Jaspers (a convicção com que é sustentado, sua incorrigibilidade e falsidade), auxiliadas por algumas outras características enunciadas por ele próprio (sua incompreensibilidade, primariedade e a modificação da personalidade). Nem o conceito jasperiano de delírio nem as definições contemporâneas que lhe são tributárias, todavia, parecem corresponder ao que ordinariamente dizemos serem suas diferentes manifestações. Neste trabalho, após apontarmos onde os critérios privilegiados nas definições contemporâneas e jasperiana fracassam em caracterizá-lo e em delimitar um conjunto de fatos que correspondam ao que espontaneamente diríamos serem casos de delírio, buscamos razões para esta ocorrência Ou seja, tentamos explicar os motivos para esta difícil superposição entre o conjunto de fenômenos chamados de delírio e aquele conjunto de fenômenos que seria determinado por um uso prescritivo de suas definições. As explorações realizadas em cumprimento a este propósito foram dispostas em duas distintas plataformas. Na primeira delas, uma discussão sobre o tipo epistemologia embutida em grande parte dos projetos dirigidos aos fenômenos psicopatológicos é efetuada por meio da análise dos pressupostos e finalidades heurísticas da fenomenologia jasperiana. Paralelamente, são apresentados os efeitos conceituais da implementação desta última ao caso particular do delírio, considerando-se sua peculiaridade como fenômeno. Em nossa segunda plataforma de trabalho, são realizadas considerações sobre as implicações do modelo lingüístico tradicional sobre as relações que estabelecemos entre os conceitos/definições e os fenômenos em geral, aí incluídos os fenômenos psicopatológicos e o delírio especificamente. Por fim, algumas sugestões são realizadas quanto aos possíveis benefícios que extrairíamos da aplicação de uma diferente epistemologia ao entendimento do delírio e demais fenômenos psicopatológicos, assim como do reconhecimento de que um outro modelo de linguagem parece melhor representar nossas práticas conceituais

Abstract: Delusion, a core phenomenon in psychopathology, is still defined by means of criteria first proposed in the 19th century, which were later systematized by Karl Jaspers (the conviction with which it is held, its imperviousness to logics and evidence of the contrary, and its erroneousness or falsity), who also put forward additional core criteria of his own (its un-understandability, its immediateness and the modification of personality). Whilst Jasperian conception of delusion is ingrained in the currently most widespread definitions of this phenomenon, neither the former nor the latter seem to fully account for what we usually and intuitively call delusions in clinical contexts. In this work, after pointing out where the criteria highlighted by Jasperian and contemporary definitions of delusion fail, we try to explain why that happens. In other words, we aim at clarifying what are the main issues related to the prescriptive use of definitions of delusion. For this task, two different conceptual frameworks were employed Within the first one, we performed a discussion about a certain epistemology widely applied to the endeavors directed towards psychopathological phenomena, taking the analysis of the presuppositions and heuristic aims of the Jasperian phenomenology as example. Concurrently, we showed the implications of adopting such epistemology for the concept of delusion. Within our second framework, we discuss the implications of the traditional linguistic model on the way we deal with the relationship between concepts/definitions and psychopathological phenomena in general - and delusion in particular. Finally, some suggestions are made concerning supposed benefits (both conceptual and practical) the application of a Wittgensteinian epistemology to the understanding of delusion and psychopathological phenomena in general would possibly entail
Subject: Jaspers, Karl, 1883-1969
Wittgenstein, Ludwig, 1889-1951
Delírio
Psicopatologia
Epistemologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rodrigues_AdrianoCarvalhoTupinamba_M.pdf29.7 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.