Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308689
Type: TESE
Title: Proteinuria glomerular : correlação entre seletividade e disfunção tubular
Title Alternative: Glomerular proteinuria: urinary excretion of alpha 1 microglobulin and its correlation to selectivity index
Author: Gebrin, Adriana Celeste
Advisor: Garlipp, Celia Regina, 1953-
Abstract: Resumo: Proteinuria glomerular está freqüentemente associada à disfunção túbulo-intersticial. O índice de seletividade (IS) da proteinuria é usado para descrever mudanças na permeabilidade glomerular a macromoléculas. O presente estudo tem por objetivo analisar a correlação entre o grau de disfunção tubular (caracterizada pela excreção urinária de alfa 1 microglobulina), os níveis de excreção urinária de IgG e o índice de seletividade glomerular Foram estudadas 84 amostras de urina e soro de 47 pacientes com proteinuria glomerular de diversas etiologias. Albumina urinária, transferrina sérica e urinária, IgG sérica e urinária (IGU) e alfa 1 microglobulina urinária (AIM) foram dosadas por nefelometria. Proteinuria e creatinina urinária foram dosados através de método automatizado (vermelho de pirogalol e Jaffé modificado, respectivamente), sendo a creatinina utilizada para corrigir a excreção urinária de cada uma das proteínas específicas. O índice de seletividade (IS) foi calculado dividindo-se o depuração da transferrina pelo depuração do IgG. Teste de regressão, ANOVA e teste t não pareado foram utilizados para a análise estatística.Baseando-se no (IS), as proteinurias foram classificados em 3 grupos IS<0,10 = seletiva; IS entre 0,10 e 0,20 = seletividade intermediária e IS > 0,20 = não seletiva. Apesar da grande sobreposição de valores, verificamos que os níveis de AIM eram significativamente menores entre aqueles pacientes com proteinuria seletiva e que aumentavam à medida em que a proteinuria se tornava menos seletiva. A análise de regressão mostrou uma correlação significativa entre a excreção urinaria de IgG e AIM (r = 0,74 ; p < 0,05). Nossos dados sugerem que a excreção urinária de alfa 1-microglobulina é um marcador útil da disfunção tubular associada com proteinuria glomerular e que a alfa 1-microglobulina, a IgG e o índice de seletividade podem ter um valor preditivo significativo para a remissão e progressão da proteinuria em pacientes com doenças glomerulares

Abstract: Glomerular proteinuria is often associated with progressive tubulointerstitial dysfunction, which influences the degree of progression of renal failure. Alpha-1-microglobulin (AIM) is considered an indicator of tubular dysfunction. Proteinuria selectivity index (SI) is used to describe changes of the glomerular permeability for macromolecules. The aim of this study was to establish the relationship between SI, alpha-l-microglobulin and IgG urinary excretions. We compare the urinary excretion of AIM, IgG and SI among forty-seven patients with glomerular diseases. Serum and random urine samples were analyzed. Total protein, creatinine, alpha-1-microglobulin, transferrin, and IgG concentrations were determined and the SI was calculated. Based on SI, proteinuria were classified as Group 1: SI<0.10 = highly selective; Group 2: 0.20<SI<0.10 = moderately selective; Group 3: SI>0.20 = nonselective. Alpha-l-microglobulin levels were significantly lower among patients with highly selective proteinuria compared to patients with moderately and nonselective proteinuria. There was a significant relationship between AIM and urinary excretion of IgG (r = 0.74; p<0.05). These data suggest that urinary excretion of AIM is a useful marker of tubular dysfunction associated with glomerular proteinuria. AIM, IgG and SI may have a significant predictive value for both remission and progression of the proteinuria in patients with glomerular diseases
Subject: Proteinúria
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Gebrin_AdrianaCeleste_M.pdf1.27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.