Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308641
Type: TESE
Title: Factibilidade do uso do cateter tipo Hickman em uma enfermaria geral de hematologia
Author: Almeida, Maria Helena de, 1973-
Advisor: Souza, Carmino Antonio de, 1951-
Abstract: Resumo: o Cateter tipo Hickman é um cateter venoso central, tune1ado, semi-implantável, de duplo lúmen e longa permanência, indicado para pacientes com acesso venoso escasso, que serão submetidos à tratamento que requeiram doses repetidas de quimioterápicos, antibióticos, nutrição parenteral, hemoderivados e que necessitarão de coletas freqüentes de amostras sangüíneas para exames laboratoriais. Possui algumas vantagens como a possibilidade de infusão de soluções em grande quantidade, simultaneamente e por tempo prolongado e como desvantagens podemos citar algumas complicações descritas em literatura como: infecção da inserção, túnel subcutâneo ou lúmen do cateter; migração da ponta; trombose de grandes ou pequenos vasos; rompimento ou perfuração com conseqüente extravasamento de soluções; obstrução por coágulos, medicações cristalizadas ou mecânica de um ou dos dois lumens. Na Enfermaria de Hematologia do Hospital das Clínicas da UNICAMP, este tipo de cateter é indicado para pacientes que serão submetidos à mobilização de células tronco hematopoéticas e transplante autólogo de medula óssea. Este estudo teve como objetivo quantificar e qualificar as complicações do cateter tipo Hickman de duplo lúmen, inseridos em pacientes que foram submetidos à mobilização de células tronco hematopoética e realização de transplante autólogo de medula óssea. Casuística e Métodos: um total de 55 cateteres tipo Hickman foram inseridos em 53 pacientes consecutivos submetidos à mobilização de células tronco hematopoética e transplante autólogo de medula óssea, no período de 24 de maio de 2000 à 29 de janeiro de 2003, na Enfermaria de Hematologia do Hospital das Clínicas da UNICAMP. Cinco pacientes foram excluidos do estudo. Todos os cateteres foram inseridos em Centro Círúrgico, sob anestesia local. Os dados para o estudo foram obtidos através da avaliação diária do cateter tipo Hickman quanto à sinais de infecção, fluxo e refluxo dos dois lumens, posicionamento, além de exames laboratoriais pertinentes. Resultados: os cateteres permaneceram locados por um mediana de 68 dias. Durante todo o período de observação p do estudo, foi registrado a freqüência de 96 cateteres com complicações relacionadas, 78% dos cateteres foram removidos devido à complicações e apenas dois permaneceram sem nenhum tipo de complicação no decorrer do período de observação. As causasde complicações que geraram a remoção dos cateteres foram: bacteremia (18%), colonização do cateter (14%), febre de origem indeterminada (12%), infecção do túnel (10%), óbito por septicemia (6%), septicemia (4%), problemas relacionados ao posicionamento ou fixação (12%) e trombose venosa profunda (2%). A complicação mais comum que gerou a remoção do cateter foi infecção. Discussão: a mediana de permanência, obtida em nosso estudo, é inferior a maioria dos dados descritos na literatura, porém encontra-se próxima, e até um pouco superior quando comparada à outros estudos que envolveram pacientes oncohematológicos. Em nosso estudo observamos elevado índice de infecção, quando comparado aos dados da literatura. Infecção da corrente sangüínea foi a ocorrência infecciosa mais freqüente (18%), seguida de colonização do cateter (14%), febre de origem indeterminada (12%), infecção do túnel (10%) e septicemia (10%). Alteração de permeabilidade foi observada em 10% dos cateteres, porém nenhum cateter foi removido por este motivo. Conclusão: um acesso venoso seguro é essencial para pacientes oncohematológicos. O cateter de Hickman mostrou ser factível e adequado para pacientes em IIlúbilizaçãode células tronco hematopoética e transplante autólogo de medula óssea, pois permite.a infusão de líquidos endovenosos em grande volume, por vias independentes e apre$enta fluxo suficiente para realização de aférese. Porém, em nosso serviço, a freqüência de complicações infecciosas relacionadas ao cateter é elevada, demonstrando. cuidados deficientes de manutenção

Abstract: Central venous catheters (CVCs) are essential for patients undergoing autologous bone marrow transplantation (ABMT). Hickman's catheter (HC) is a long-term, tunneled and cuffed venous access. This type of catheter constitutes a safe and useful line for administration of chemotherapy, antimicrobial agents, blood products, hydration, total parenteral nutrition and permits blood sampling and the accomplishment of leucoapheresis. Safety venous access is essential in patients with haematological diseases. Patients and Methods: a total of 55 Hickman's catheter were inserted in 53 consecutive patients undergoing ABMT, five patients were exc1udedof study. Fifty catheters were available for this study. All catheters were inserted in surgery room, with fluoroscopic guidance and local anaesthesia. AlI patients were followed daily during hospitalization time, from the time of catheter insertion to the time of catheter removal. A record of all complications and catheter loss cause were analyzed. Results: Catheters remained inserted in a median time of 68 days. A total of 96 episodes of complications with Hickman's catheter were documented. On1ytwo catheters did not present any complication and catheter 10ssrate due to complications was 78%. The most common complication for catheter requiring removal was infection. Discussion: this study aimed in a prospective observation defined the feasibility of this type of catheter in a general infirmary, in patients treated with high dose mobilizing chemotherapy. In our experience no data concerning catheter insertion are available, however no deaths related to the procedure occurred. The complication leading to catheter removal were infections (64%), tip migration (12%), thrombosis (2%), and others causes (22%). Difficulties of flow, particularly to collect samples, occurred in about 10% of cases but did not implicate in catheter removal. Therefore our study showed higher levei of infection compared to data from literature. Regarding the onset blood stream infection was the more frequent (18%), followed by catheter colonization (14%), pyrexia of unknown origin (PUü) (12%), tunnel infection (10%) and, septicemia (10%). Conclusion: A dependable central venous access is an essential prerequisite for the delivery of care to onco-hematological patients. The use of long-term venous access devices for chemotherapy, parenteral nutrition, antibiotic therapy and apheresis procedures is increasing. Acquisition of a reliable and sustained central venous access is a crucial point in the provision of comprehensive care to cancer patients. Many clinical adverse effects of antineoplastic drugs, particularly in heavily treated patients, as phlebitis, thrombosis, and fibrosis of peripheral veins, impose limitations on its repeated use. lndeed, patients needing to collect peripheral progenitor cell in order to perform autologous bone marrow transplantation should have a good access with ideal blood flow in the apheresis procedures. lndwelling Hickman's catheters are widely use and have proved to be a good devise for the delivery of drugs and apheresis procedure. ln addition, its use permits the best clínical control and monitoring of hydration, ions, central venous blood pressure, collection of samples for hematology, microbiology and biochemistry analysis. lndeed the uses of catheters are more cornfortable and lead a better quality of life during treatment
Subject: Transplante de células-tronco hematopoéticas
Transplante autólogo
Transplante de medula óssea
Células-tronco
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2005
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Almeida_MariaHelenade_M.pdf6.56 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.