Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308628
Type: TESE
Title: Avaliação do paladar e das condições orais dos pacientes submetidos ao transplante de medula ossea
Title Alternative: Taste and oral conditions in patients submitted to bone marrow transplantation
Author: Boer, Camila Cominato, 1982-
Advisor: Souza, Carmino Antonio de, 1951-
Abstract: Resumo: Pacientes submetidos ao transplante de células precursoras hematopoéticas (TCPH) apresentam queixas freqüentes de alterações ou perda do paladar e redução do fluxo salivar. O objetivo do estudo foi avaliar a percepção do paladar e sua associação com as condições orais de 61 pacientes adultos, submetidos ao TCPH na Unidade de TMO/Unicamp. Os pacientes foram divididos em três grupos, considerando o tempo pós-TCPH. Grupo I- n= 20) composto por pacientes com até 150 dias pós-TCPH, Grupo II-(n=20), entre 150 e 1094 dias, e Grupo III-(n= 21), acima de 1094 dias. No exame clínico oral foram coletados dados de saúde oral, Índices de CPOD (dentes cariados perdidos e obturados), IG (Índice Gengival) e IP (Índice de Placa), pelo ambulatório de Odontologia. A avaliação subjetiva de paladar foi realizada por meio de questionário, enquanto que a avaliação objetiva utilizou 5 ml de soluções líquidas de NaCl, sacarose, ácido cítrico, cafeína, em três diferentes concentrações cada. O estudo da saliva foi feito por avaliação clinica e pela coleta da saliva não estimulada. Os dados foram submetidos à análise estatística descritiva e testes paramétricos e não paramétricos. Dos 61 pacientes avaliados, 31 apresentaram DECHc (Doença do enxerto contra o hospedeiro) sendo que a DECHc oral ocorreu principalmente nos grupos II/III. A mediana do CPOD foi de 22±7,94 enquanto que o do IP e do IG foi de 1,0±0,63 e 0,75±0,50, respectivamente. 43/61 (89,58%) pacientes faziam uso de drogas relacionadas às alterações de paladar, em maior número para o grupo I. A avaliação subjetiva do paladar mostrou que 15 (24,6%) pacientes estavam com paladar mais sensível, e 22 (36,1%), menos sensível após o TCPH. Essas alterações de sensibilidade do paladar estavam associadas à presença de náusea (p= 0,03), alteração de olfato (p= 0,05), sensação de gosto anormal na boca (p= 0,03) e ao uso de medicações (p= 0,03). A avaliação objetiva do paladar mostrou que não houve diferença entre os grupos para a percepção dos sabores amargo e azedo. Os 3 grupos tiveram dificuldade para a discriminação do sabor da concentração fraca de cafeína e grupo I apresentou melhor percepção da intensidade fraca e forte da sacarose (p= 0,04 e p= 0,05). Para a concentração forte da sacarose e média da NaCl, os grupos II e III tiveram melhor percepção destas soluções (p= 0,08). Na avaliação salivar 42 (68,9%) pacientes apresentaram aderência da espátula de madeira à mucosa jugal, 35 (57,4%) ausência de lago salivar sublingual, 26 (42,6%) espessamento salivar e 26 (42,6%) ausência de secreção salivar à estimulação manual dos ductos das parótidas. Estas condições foram correlacionadas com a presença de DECHc oral e xerostomia (p=0,02). O fluxo salivar estava diminuído em 10 (16,4%) pacientes (0.01-1.35- SD 0.296), e hiposalivação foi mais intensa nos grupos II/III (p=0,007). Os resultados indicaram que as alterações de paladar foram observadas somente para os sabores: doce e salgado, nos pacientes com até 3 anos após TCPH. Não foi encontrado correlação dessas alterações com a condição da saúde oral, DECHc oral, hiposalivação. Portanto, as alterações de paladar podem ser consideradas como uma resposta individual do paciente ao TCPH. Palavras chaves: transplante alogênico, percepção do paladar, saliva. forte da sacarose e média da NaCl, os grupos II e III tiveram melhor percepção destas soluções (p= 0,08). Na avaliação salivar 42 (68,9%) pacientes apresentaram aderência da espátula de madeira à mucosa jugal, 35 (57,4%) ausência de lago salivar sublingual, 26 (42,6%) espessamento salivar e 26 (42,6%) ausência de secreção salivar à estimulação manual dos ductos das parótidas. Estas condições foram correlacionadas com a presença de DECHc oral e xerostomia (p=0,02). O fluxo salivar estava diminuído em 10 (16,4%) pacientes (0.01-1.35- SD 0.296), e hiposalivação foi mais intensa nos grupos II/III (p=0,007). Os resultados indicaram que as alterações de paladar foram observadas somente para os sabores: doce e salgado, nos pacientes com até 3 anos após TCPH. Não foi encontrado correlação dessas alterações com a condição da saúde oral, DECHc oral, hiposalivação. Portanto, as alterações de paladar podem ser consideradas como uma resposta individual do paciente ao TCPH.

Abstract: Patients submitted to allogeneic Hematopoietic stem cell transplantation (HSCT) complain of loss or a change in taste perception and dry mouth. The aim of this study was to evaluate taste perception and salivary flow rate in three different groups of adults patients submitted to HSCT at the BMT Unit/UNICAMP. Patients were classified in three groups considering post-transplant timing. Group I (n= 20), up to 150 days after HSCT, Group II (n= 20), between 151-1094 days, and Group III (n= 21), above 1094 days. Taste acuity was measured with a questionnaire, and also by the taste thresholds for the four basic tastes using 5ml of 4 solutions, in 3 concentrations NaCl, sucrose, citric acid, caffeine. Hyposalivation was clinically evaluated by visual parameters, and, unstimulated saliva was collected. Statistical analysis was performed using parametric and non-parametric tests. From those 61 evaluated patients, 31 presented cGVHD (Graft Versus Host Disease) and oral cGVHD was more presented in Groups II/III. Oral health Results showed a median value of DMFT index was 22±7.94 and the median value of IP and IG indexes were respectively, 1.0±0.63 e 0.75±0.50. From the 61 patients 43 (89.58%), were regularly taking prescribed medications with a recognized influence on taste perception, especially those from grupo I. At the survey, 15 (24.6%) reported a subjective increase of taste perception, whereas 22 patients (36.1%), described a decrease in taste perception after HSCT. Those taste sensitivity's alterations were correlated to the presence of nausea (p= 0.03), changes in olfaction (p= 0.05), abnormal taste in oral cavity (p= 0.03) and to the use of drugs (p= 0.03). Results of taste thresholds showed that the sour and bitter perception was not different between the 3 groups. For the sweet solution, the high and low concentrations were a challenging to be determined for those patients. Perception for a medium concentration of salty solutions was better perceived by groups II and III (p= 0.08). None patients were sensitive for the low concentration of bitter solution (p=0.05), in any period of study. Salivary clinical evaluation showed that, 42 (68.9%) patients presented adherence of a wood spatula to the buccal mucosa, 35 (57.4%) absence of the sublingual lake, 26 (42.6%) mucous saliva and 26 (42.6%) lack of salivation on palpation of the Parotid's ducts. Those conditions were correlated to oral cGVHD and to the patients complain of xerostomia (p= 0.02). The saliva flow rate was diminished in 10/61 patients in all periods (1.36 (0.01-1.35- SD 0.296) and hyposalivation was more intense in the Groups II/III (p= 0.007). The results indicate that, taste alterations were only observed for the sweet and salty tastes even in patients up to 3 years post-HSCT. These results may indicate that taste alterations post-HSCT are not correlated to oral health, cGVHD and to hyposalivation but may be considered as an individual response of the HSCT.
Subject: Paladar
Avaliação sensorial
Saliva
Transplante homólogo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2009
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Boer_CamilaCominato_M.pdf2.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.