Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308558
Type: TESE
Title: Estudo da prevalência da respiração predominantemente bucal e problemas oclusais e implicações com aleitamento materno em escolares de Caraguatatuba - SP - Brasil
Title Alternative: Study of prevalence of predominantly mouth breathing and oclusal problems and implications with breastfeeding of schoolchildres in Caraguatatuba - SP - Brazil
Author: Santos, Dênis Clay Lopes dos
Advisor: Martins Filho, José, 1943-
Filho, Jose Martins
Abstract: Resumo: O crescimento e desenvolvimento corretos das estruturas do aparelho estomatognático na criança dependem inicialmente de dois estímulos essenciais. A amamentação exclusivamente materna e a respiração nasal. Na ausência ou interferência destes estímulos, diversas seqüelas acometem a criança. Uma delas é a maloclusão dentária. Hábitos bucais deletérios podem causar, ou agravar, as maloclusões. Desses hábitos, o mais danoso é a respiração predominantemente bucal que poderia causar distúrbios nos ossos da face, dentes e tecido muscular envolvido. Por esses motivos, o objetivo desse estudo foi avaliar a prevalência de respiração predominantemente bucal e maloclusões em crianças de 6 a 13 anos de idade, matriculadas em uma das seis primeiras séries do ensino fundamental das escolas públicas estaduais da cidade de Caraguatatuba, município de São Paulo e a possibilidade da amamentação exclusivamente materna ter influência como fator preventivo a respiração predominantemente bucal e a desordens oclusais. O estudo do tipo epidemiológico foi desenvolvido mediante um corte transversal da população, em 950 crianças de ambos os gêneros. O cálculo de amostragem foi determinado através da equação geral para tamanhos de amostra, com um nível de significância de 0,1%, proporção de 20% para respiração bucal e precisão absoluta de 5%. A autorização para que as crianças participassem efetivamente do estudo, foi realizada através de Termos de Consentimento Livre e Esclarecido para pesquisas com seres-humanos enviados aos pais ou responsáveis, os quais responderam um questionário abrangendo questões relacionadas à respiração, hábitos, amamentação e postura da criança. Seu preenchimento e interpretação orientaram a seleção das crianças (população alvo) participantes da pesquisa e avaliar possíveis fatores etiológicos da respiração predominantemente bucal (RPB). Posteriormente, foi realizada a avaliação clínica, que possibilitou constatar se a respiração da criança era predominantemente nasal ou bucal, e ainda, observar os possíveis distúrbios oclusais instalados, não ocasionando nenhum incômodo à criança. A amostra final foi definida em 524 crianças depois de aplicados os fatores de exclusão. Observou-se que 409 receberam a amamentação exclusivamente materna (AEM). Destas 89,73% apresentaram respiração nasal e tiveram incidência menor de problemas oclusais, em contrapartida, no grupo que não a recebeu (115), apenas 46% desenvolveram respiração normal e aumento significativo de problemas oclusais, e ainda, quanto maior o tempo de amamentação, maior a probabilidade de desenvolver respiração nasal. Paralelamente, foi observado que, quanto maior for o período de AEM, maior a probabilidade de a criança apresentar a respiração nasal em comparação com os resultados encontrados para os RPB. Observou-se, também, que a ação preventiva da AEM sobre a RPB e que a influência do tempo da amamentação sobre a eficácia da prevenção não sofre interferência com relação ao sexo da criança. Concluiu-se que AEM possui influência estatisticamente significativa como prevenção da RPB (x2 =107, gl = 1 e p< 0,0001) e quanto maior for o seu período, maior a probabilidade da criança apresentar a respiração nasal (x2 =73, gl = 3 e p< 0,0001). A sua falta teve relação direta para a instalação de desequilíbrios oclusais dentários. Observou-se também que a respiração nasal possui influência estatisticamente significativa como prevenção a problemas oclusais e a RPB teve relação direta para a instalação de problemas oclusais

Abstract: The correct growth and development of the stomatognathic system structure of children depend, initially, on two essential stimuli: the exclusive breastfeeding and nasal respiration. The absence or interference of these stimuli can cause many consequences for the children. One of them is the dental malocclusion. Poor oral habits can cause or even worsen malocclusions. From these habits, the most harmful is the predominance of oral respiration, which can cause disturbs on the face bones, in the teeth and on the muscular tissue involved. For these reasons, this study aimed at evaluating the prevalence of the respiration predominantly oral in children aging from 6 to 13 years old, who were enrolled in one of the six first series of the basic education in public schools of Caraguatatuba City, in São Paulo State. It also aimed at evaluating the possibility of exclusive breastfeeding being an influence, as a preventive factor, of the respiration predominantly oral and the occlusal disorders. The study, classified as epidemiologic, was developed with a transversal cut study of the population, in 950 children of both genders. The sample calculus was determined through the general equation for sample sizes, with a level of significance of 0.1%, proportion of 20% for oral respiration and absolute precision of 5%. The authorization for the effective participation of the children was made through the Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, for researches with human beings. It was sent to the parents or responsible, who answered a questionnaire with questions related to the children's respiration, breastfeeding habits and posture. The answers of the questionnaire and their interpretation have oriented the selection of the children (target population) participating in the research to evaluate possible etiological problems of the respiration predominantly oral (RPO). Afterwards, a clinical evaluation was made. This evaluation allowed us to certify if the respiration of the child was predominantly nasal or oral. Yet, it was possible to observe possible occlusal disturbs, which were not causing any problems to the child. The final sample was defined in 524 children after the factors of exclusion were applied. It was observed that 409 children had been exclusively breastfed (EB). From these, 89.73% presented nasal respiration and had a minor incidence of occlusal problems. On the other way around, the group which had not been breastfed (115), only 46% had developed normal respiration, as well as had a significant increase of occlusal problems. Furthermore, the greater the period of breastfeeding, the greater the probability to develop nasal respiration. At the same time, it was observed that the greater the period of EB, the greater the probability of the child present the nasal respiration in comparison to the results found for the RPO. It was also observed that the preventive action of EB on the RPO, as well as the influence of the time spent in breastfeeding on the efficacy of prevention does not have any interference in relation to the child's gender. It was concluded that EB has an influence statistically significant as a factor of prevention of RPO (x2 =107, gl = 1 e p< 0,0001). Yet, the greater its period, the greater the probability of the child present nasal respiration (x2 =73, gl = 3 e p< 0,0001). Its absence had a direct relation with the dental occlusal disorders. It was also observed that nasal respiration has an influence statistically significant as a factor for preventing occlusal problems and the RPO had a direct relation with occlusal problems
Subject: Respiração bucal
Amamentação
Maloclusão
Prevalência
Ortodontia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_DenisClayLopesdos_D.pdf1.5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.