Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308557
Type: TESE
Title: Efeito imediato da pressão positiva continua nas vias aereas não invasiva no volume pulmonar expiratorio final de pacientes com doença pulmonar obstrutiva cronica
Title Alternative: Immediate effects of non invasive continuous positive airway pressure in end-expiratory lung volume in chronic obstructive pulmonary disease patients
Author: Soares, Silvia Maria de Toledo Piza
Advisor: Dragosavac, Desanka, 1951-
Abstract: Resumo: Introdução: Limitação ao fluxo e hiperinsuflação dinâmica são fteqüentemente observadas em pacientes com DPOC. A capacidade inspiratória (CI) tem sido sugerida como um método simples para verificar as alterações no volume pulmonar expiratório final e hiperinsuflação pulmonar. Entretanto, poucos estudos verificaram se a aplicação de pressão positiva contínua nas vias aéreas (CP AP) poderia diminuir a hiperinsuflação pulmonar. Objetivo: Verificar os efeitos imediatos da CP AP no volume pulmonar expiratório final em pacientes com DPOC estável. Método:' Trata-se de um estudo prospectivo, com 21 pacientes, idade 63 + ou - 9 anos, com volume expirado forçado no primeiro segundo de 40,7 + ou - 11,7%, que foram submetidos a um teste gradual de CP AP (4, 7 e 11 cmH20 - Drãger SA VINA ventilator). A CI foi mensurada pela espirometria, antes e depois de cada valor de CPAP. Nos pacientes nos quais os três valores de CPAP resultaram em redução da CI, uma pressão de 2 cmH20 também foi aplicada. Para cada paciente, um valor de CP AP "ótimo" foi definido como o valor correspondente a melhor CI obtida com o teste gradual da CP AP. Este valor "ótimo" de CP AP foi, então, aplicado por 10 min e uma espirometria foi posteriormente realizada. Resultados: Durante o teste gradual da CPAP, seis pacientes (grupo não respondedor) não apresentaram qualquer melhora na CI. Quando o valor de CP AP "ótimo" foi então aplicado nesses indivíduos, foi observado piora significativa da CI de 83,7 + ou - 19,4% para 74 + ou 22,8% (p = 0,0341). Em 15 pacientes (grupo respondedor), a CI aumentou significativamente de 68,6 + ou - 17,9% para 75,3 + ou - 18,0% (p = 0,0002). A capacidade vital lenta foi o único parâmetro espirométrico que também aumentou após a CPAP "ótima" no grupo respondedor (240 rnL, 7,4% do valor predito, p < 0,01). Nenhuma diferença significativa foi observada após a CP AP "ótima" nos pacientes com limitação ao fluxo expiratório (CI pré-CPAP '< ou =' 80% do valor predito) versus pacientes não limitados ao fluxo expiratório (CI pré-CPAP > 80% do valor predito). Entretanto, os pacientes com enfisema pulmonar e CI:S 80%,do valor predito demonstraram um aumento significativo na CI após a CPAP "ótima" (220 rnL, 8,9% do valor predito, p < 0,01). Conclusão: A CPAP pode aumentar a capacidade inspiratória em pacientes selecionados, sugerindo redução no volume pulmonar expiratório final, conseqüente da diminuição na hiperinsuflação pulmonar

Abstract: Bachground: Flow limitation and dynamic hyperinflation are common findings in COPD patients. Inspiratory capacity (IC) has been proposed as a simple method to assess changes in end-expiratory lung volume (EEL V) and lung hyperinflation. However, few studies verified if the application of continuous positive airway pressure (CP AP) could decrease lung hyperinflation. Objective: To assess the immediate effect of the CP AP in EEL V in stable COPD patients. Method: Prospective study of 21 stable COPD patients, age 63 + ou - 9 years, with forced expiratory volume in first second (FEV1) of 40.7 + ou - 11.7%, who were submitted to the gradual test of CP AP (4, 7 and 11 CmH20 - Drãger - SA VINA ventilator). The IC was measured by spirometry, before and after each CP AP leveI. In patients in whom all three CP AP levels resulted in a decreased IC, an additional CP AP test at 2 cmH20 was conducted. For each patient, a "best" CPAP leveI was defined as the one associated with the greater IC observed. This "best" CP AP leveI was then applied during 10 min and subsequent spirometry was performed. Results: During the gradual test of CP AP, 6 patients (non responder group) did not present any improvement of the IC. When the "best" CPAP was then applied in these cases, a significant worsening of the IC was observed of 83.7 + ou - 19.4% to 74 + ou - 22.8% (p = 0.0341). In 15 patients (responder group), the IC increased significantly from 68.6 + ou - 17.9% to 75.3 + ou - 18.0% (p = 0.0002). The slow vital capacity was the only other' spirometric parameter that also increased post "best" CP AP in the responder group (240 mL, 7.4% of the predicted value, p < 0.01). No significant differences in IC were observed after "best" CP AP in patients with expiratory flow limitation (IC pre CP AP '< ou =' 80% of predicted value) versus non EFL patients (IC pre CPAP> 80% ofpredicted value). However, the patients with pulmonary emphysema and IC '< ou =' 80% of predicted value demonstrated a significaht increase in IC after "best' CP AP (220 mL, 8.9% ofthe predicted value, p < 0.01). Conclusion: The CPAP can increase the inspiratory capacity in selected patients, suggesting decrease in the end-expiratory lung volume, consequent of reduction in pulmonary hyperinflation
Subject: Doenças pulmonares
Espirometria
Ventilação mecânica
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2007
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Soares_SilviaMariadeToledoPiza_D.pdf2.97 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.