Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308489
Type: TESE
Title: Osteossíntese minimamente invasiva com uso de placas em ponte das fraturas transversas da diáfise do úmero (Classificadas pela Ao-Assif como 12.A3)
Title Alternative: Minimalli invasive ostheosinteses of transversal humeral shaft fractures using bridging plate ( AO-Assif 12.A3 classification)
Author: Zogaib, Rodrigo Kallás, 1973-
Advisor: Livani, Bruno
Abstract: Resumo: Entre novembro de 2000 e abril de 2011, 22 pacientes com 23 fraturas transversas da diáfise umeral foram tratados com redução indireta e fixação com placa e parafusos através de técnica minimamente invasiva. A seguimento pós-operatório variou de 6 a 126 meses ( media 51.6 meses). Quinze pacientes, eram do sexo masculino e sete feminino. A idade dos pacientes variou de 18 a 66 (media 33.5) anos. Todas as fraturas consolidaram, e nenhuma apresentou lesão neurovascular associada. As fraturas consolidaram em até 2.7 meses. O arco de movimento do ombro e cotovelo foram simétricos quando comparado ao lado não envolvido, salvo em um paciente que apresentou-se com déficit de extensão do cotovelo, mas tinha fratura de olecrano ipsilateral, e foi tratado com redução e fixação com banda de tensão. Houve complicações sem repercussão clínica em sete casos, que foram o cúbito varo de aproximadamente 5 graus em cinco pacientes e falha dos parafusos proximais em 2 casos. Não houve ocorrência de infeção ou lesão iatrogênica do nervo radial A avaliação da função pós operatória do braço, ombro, e mão (DASH SCORE) foi testada e variou de 0 a 12.5 ( media de 5.45) Em conclusão, osteossíntese minimamente invasiva com placa em ponte (MIPO) , pode ser considerada uma opção segura e eficaz para o tratamento de fraturas transversas da diáfise do úmero

Abstract: Between November 2000 and April 2011, 22 patients with 23 transverse mid-shaft humeral fractures were treated with minimally invasive plate osteosynthesis techniques. Follow-up duration ranged from 6 to 126 (mean 51.6) months. Fifteen patients were male and seven were female. The age of the patients ranged from 18 to 66 (mean 33.5) years. All fractures healed and no associated neurovascular lesion developed. All fractures united within an average of 2.5 months. Ranges of shoulder and elbow motion were symmetric with those of the uninjured extremity. Complications occurred in seven cases, in five cases, comprising 5° cubitus varus with no functional repercussion, and in two cases, the proximal screw failed, but the fracture healing in the same mean time. Disabilities of the arm, shoulder, and hand (DASH) scores ranged from 0 to 12.5 (mean 5.45). One patient who presented with lack of elbow extension was found to have an ipsilateral olecranon fracture, which was treated with tension-band osteosynthesis. No infection or iatrogenic injury of the radial nerve occurred. In conclusion, minimally invasive bridging-plate osteosynthesis may be considered an option for the treatment of transverse mid-shaft humeral fractures
Subject: Fraturas - Fixação interna
Procedimentos cirúrgicos operatórios
Braço
Extremidade superior
Nervos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Zogaib_RodrigoKallas_M.pdf9.11 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.