Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308486
Type: TESE DIGITAL
Title: Índice HOMA-Adiponectina como marcador substitutivo de resistência à insulina : Estudo Brasileiro de Síndrome Metabólica (BRAMS)
Title Alternative: HOMA-Adiponectin index as surrogate marker of insulin resitance : Brazilian Metabolic Syndrome Study (BRAMS)
Author: Rodrigues, Brunna Sullara Vilela, 1987-
Advisor: Geloneze Neto, Bruno
Neto, Bruno Geloneze
Abstract: Resumo: Introdução: As principais consequências da obesidade estão diretamente relacionadas ao desenvolvimento da resistência à insulina (RI), especialmente a síndrome metabólica (SM) caracterizada como um conjunto de fatores de risco cardiovascular em um mesmo indivíduo. O índice HOMA-AD foi proposto recentemente como um método substitutivo de avaliação da resistência à insulina. Este método é uma modificação do índice HOMA-IR que acrescenta a informação de adiponectina sérica ao seu denominador. Até o momento, nenhum outro estudo propôs pontos de corte para HOMA-AD. Objetivos: O objetivo do presente estudo é avaliar o desempenho do índice HOMA-AD comparado ao HOMA-IR como marcador substitutivo de RI frente ao clamp hiperglicêmico em adultos e estabelecer ponto de corte para o índice HOMA-AD. Métodos: O Estudo Brasileiro de Síndrome Metabólica (BRAMS) é um estudo transversal, multicêntrico. Os dados de 1808 indivíduos preencheram os seguintes critérios: idade entre 18 e 65 anos, índice de massa corporal entre 18,5 e 49,9 kg/m² e não diabéticos. A resistência à insulina foi avaliada pelos índices substitutivos HOMA-IR e HOMA-AD (amostra total) e pelo clamp hiperglicêmico em uma subamostra de mulheres (n = 49). A síndrome metabólica foi definida segundo os critérios da International Diabetes Federation (2005). Resultados: Para a RI avaliada pelo clamp hiperglicêmico em mulheres, o HOMA-AD apresentou coeficiente de correlação moderado (r = -0.64) em comparação com o HOMA-IR (r = -0.56); p < 0.0001. O índice HOMA-AD apresentou melhor correlação com a maioria das variáveis clínicas, metabólicas e antropométricas, comparado ao HOMA-IR para o sexo feminino, o que não ocorreu com homens. Nas análises ROC, em comparação com o HOMA-IR, o HOMA-AD mostrou maiores valores de AUC para mulheres na identificação de IR com base no teste de clamp (AUC: 0,844 vs AUC: 0,804) e síndrome metabólica (AUC: 0,703 vs AUC: 0,689), respectivamente; p <0,001 para todos. No entanto, a comparação pareada não sugerem superioridade para o HOMA-AD tanto na comparação com o HOMA-IR no diagnóstico de RI durante o clamp (p = 0,307) como na síndrome metabólica (p = 0,339). Contudo, a AUC para HOMA-AD não mostrou superioridade comparado ao HOMA-IR em homens (AUC: 0,710 vs. AUC: 0,756), respectivamente. O ponto de corte identificado para o HOMA-AD para o diagnóstico de RI foi de 0,51 [sensibilidade (95% CI) = 70,0 (63,5-75,9); especificidade (95% CI) = 60,3 (56,8-63,6)] para mulheres e de 0,92 [sensibilidade (95% CI) = 77,5 (66,8 - 86,1); especificidade (95% CI) = 54,2 (44,8 - 63,3)] para homens. Conclusões: O HOMA-AD demonstrou ser um marcador substitutivo útil para a detecção de RI. Em homens, o índice não demonstrou superioridade quando comparado ao HOMA-IR. No entanto, o índice HOMA-AD apresentou um desempenho semelhante ao do HOMA-IR entre as mulheres adultas. Finalmente, os níveis de adiponectina não agregam acurácia ao índice HOMA-IR quando adicionado ao seu denominador

Abstract: Background: The major adverse metabolic consequences of obesity are associated with the development of insulin resistance (IR), specially the metabolic syndrome (MS), characterized by a clustering of cardiovascular risk factors in the same individual. The HOMA-AD index has recently been proposed as a surrogate maker for assessing insulin resistance. This index is a modification of HOMA-IR index that adds the serum adiponectin information to its denominator. Until now, no other study has proposed cutoff points for HOMA-AD. Objectives: evaluate the performance of the HOMA-AD index compared with the HOMA-IR as a surrogate marker of IR, as assessed by a hyperglycemic clamp, and to establish the cutoff value of the HOMA-AD. Methods: The Brazilian Metabolic Syndrome Study (BRAMS) is a cross-sectional multicenter survey. The data from 1,808 subjects met the desired criteria: 18-65 years old, BMI: 18.5-49.9 Kg/m² and non-diabetic. The IR was assessed by the surrogate indexes HOMA-IR and HOMA-AD (total sample) and by the hyperglycemic clamp (n=49). Metabolic syndrome was defined using the International Diabetes Federation criteria (2005). Results: For the IR assessed by the hyperglycemic clamp, the HOMA-AD demonstrated a greater coefficient of correlation (r = -0.64) compared with the HOMA-IR (r = -0.56); p < 0.0001. The HOMA-AD index showed greater coefficient correlation with most variables compared to the HOMA-IR for females, which did not occur with men. In the ROC analysis, compared with the HOMA-IR, the HOMA-AD showed higher values of the AUC for the identification of IR based on the clamp test (AUC: 0.844 vs. AUC: 0.804) and on the metabolic syndrome (AUC: 0.703 vs. AUC: 0.689), respectively; p<0.001 for all. However, the pairwise comparison did not suggest superiority for the HOMA-AD in either the comparison with the HOMA-IR in the diagnostic of IR during the clamp (p=0.307) or the metabolic syndrome status (p=0.339). Besides, the AUC for HOMA-AD did not showed superiority compared to HOMA-IR in men (AUC: 0.710 vs. AUC: 0.756), respectively. The optimal cutoff identified for the HOMA-AD for the diagnosis of IR was 0.51 [sensibility (95% CI) = 70.0 (63.5-75.9); specificity (95% CI) = 60.3 (56.8-63.6)] for females and 0.92 [sensibility (95% CI) = 77.5 (66.8 - 86.1); specificity (95% CI) = 54.2 (44.8 - 63.3)] for males. Conclusion: The HOMA-AD was demonstrated to be a useful surrogate marker for detecting IR. In men, the index has not demonstrated superiority compared to the HOMA-IR. However, the HOMA-AD index presented a similar performance as the HOMA-IR between adults women. Finally, adiponectin levels do not enhance accuracy to the HOMA-IR index when added to your denominator
Subject: Resistência à insulina
Síndrome metabólica
Adiponectina
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rodrigues_BrunnaSullaraVilela_M.pdf1.45 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.