Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308452
Type: TESE
Title: Cancer de prostata : estudo da extensão tumoral em prostatectominas radicais
Title Alternative: Postate cancer : study of tumoral extension in radical prostatectomies
Author: Quintal, Maisa Momesso de
Advisor: Billis, Athanase, 1946-
Abstract: Resumo: No estadiamento TNM 1997, os tumores de próstata órgão-confinados eram subdivididos em dois grupos: pT2a (unilaterais) e pT2b (bilaterais). Em 2002, o sistema TNM reclassificou os tumores em três grupos: pT2a (envolvimento de menos da metade de um lobo), pT2b (mais da metade de um lobo), e pT2c (envolvimento bilateral). Estudos recentes questionam a verdadeira existência de tumores pT2b, assim como diferenças relacionadas à progressão bioquímica pós-prostatectomia radical entre os estádios pT2a e pT2c. Os objetivos deste trabalho são: avaliar a extensão tumoral em espécimes de prostatectomia radical, relacionando-a com graduação histológica de Gleason, comprometimento de margens cirúrgicas, estádio clínico e patológico, PSA pré-operatório e tempo de progressão bioquímica pós-prostatectomia radical; comparar tumores localizados com comprometimento bilateral (T2c) com tumores órgão-confinados com comprometimento unilateral (pT2a) quanto aos mesmos parâmetros e verificar a existência real do estádio patológico pT2b. Foram estudados 230 homens submetidos à prostatectomia radical no período de janeiro de 1997 a julho de 2005 na Universidade Estadual de Campinas. Os espécimes cirúrgicos foram totalmente incluídos para exame histológico. A extensão tumoral foi avaliada utilizando-se um sistema de contagem de pontos. Os espécimes cirúrgicos foram estadiados segundo os critérios do TNM 2002. Os valores séricos de PSA = 0,4 ng/ml foram considerados como progressão bioquímica tumoral. Os dados foram analisados estatisticamente utilizando-se o teste de Mann-Whitney para comparação de amostras independentes e o teste exato de Fisher para avaliação de diferenças entre proporções. Foram considerados significantes os valores de p = 0,05. Para avaliação do tempo de progressão bioquímica pós-prostatectomia radical utilizou-se o produto limite de Kaplan-Meier. Utilizando os critérios TNM 2002, 29 pacientes (12,7%) eram pT2a; 139 (61,3%) eram pT2c; 30 (13,7%) eram pT3a e 28 (12,3%) eram pT3b. O mínimo e o máximo de pontos totais obtidos em tumores que envolviam apenas um lobo prostático foi de 192 e de 368 pontos, respectivamente; o maior tumor unilateral mostrou 68 pontos positivos (menos da metade do valor mínimo de pontos totais). Não foi constado nenhum caso onde a neoplasia prostática comprometesse mais da metade de um lobo, sem envolver o lobo contralateral (pT2b). A extensão tumoral apresentou relação significante e direta com PSA pré-operatório, graduação histológica de Gleason, margens cirúrgicas positivas e estádios clínico e patológico, mas não com o tempo de progressão bioquímica pós-prostatectomia radical. Não houve diferenças entre os pacientes com estádios pT2a e pT2c com relação ao PSA pré-operatório, contagem final de Gleason e tempo de progressão bioquímica, com exceção do comprometimento das margens cirúrgicas. Há relação da extensão tumoral em espécimes cirúrgicos de prostatectomia radical com PSA pré-operatório, graduação histológica de Gleason, margens cirúrgicas positivas e estádio patológico. A extensão tumoral isoladamente não parece influenciar o tempo de progressão bioquímica pós-prostatectomia radical. Este estudo questiona a real existência do estádio pT2b (tumores unilaterais que ocupam mais da metade de um lobo). Não há diferenças significativas quanto ao tempo de progressão bioquímica pós-prostatectomia radical entre os estádios patológicos pT2a e pT2c. Esses achados apóiam autores que defendem a não subdivisão do estádio pT2

Abstract: In the 1997 TNM staging system, confined-organ prostate tumors were classified in two groups: pT2a (unilateral involvement) and pT2b (bilateral involvement). In 2002, TNM staging system reclassified those tumors in three groups: pT2a (less than one half of one lobe involvement), pT2b (more than one half of one lobe involvement) and pT2c (bilateral involvement). Recent studies put in question the existence of a real pT2b tumor as well as a difference related to biochemical progression after radical prostatectomy between pT2a and pT2c tumors. The aim of this study is to verify the real existence of pT2b and evaluate tumor size comparing to Gleason score, positive surgical margins, clinical and pathological stage, preoperative PSA and time to biochemical progression after radical prostatectomy. Besides that, compare bilateral tumors (pT2c) with unilateral ones (pT2a) according to the same parameters. A total of 230 men were submitted to radical retropubic prostatectomy from July 1997 to July 2005 at Universidade Estadual de Campinas. All the surgical specimens were evaluated by complete embedding and whole mount processing. Tumor extent was evaluated through a point-count method. The surgical specimens were staged according to 2002 TNM staging system. The serum values of PSA= 0,4 ng/ml were considered biochemical progression. Mann-Whitney¿s test and Fisher¿s exact test were used to compare independent samples and different proportions. p = 0,05 was considered significant. Time to PSA progression was studied using the Kaplan-Meier¿s product limit survival estimates. Using the 2002 TNM criteria, 29 patients (12,7%) were pT2a; 139 (61,3%) were pT2c; 30 (13,7%) were pT3a and 28 (12,3%) were pT3b. The minimum and maximum total points obtained in unilateral tumors were 192 and 368 points, respectively; the biggest unilateral tumor showed 68 positive points (less than half the minimum of total point count). This study found no pT2b tumors (unilateral tumors involving greater than one-half of one prostatic lobe). Tumor extent was directly related to preoperative PSA, Gleason score, positive surgical margins, clinical and pathological stage. Alone, tumor extent does not seem to influence biochemical progression. Comparing pT2a with pT2c, there were no differences in preoperative PSA, Gleason score and biochemical progression, except positive surgical margins. There is a connection of tumor extent in radical prostatectomy specimens with preoperative PSA, Gleason score, positive surgical margins and pathological stage. Tumor extent does not seem to influence time of biochemical progression after retropubic radical prostatectomy. This study puts in question the real existence of pT2b pathological stage (unilateral tumors involving greater than one-half of one prostatic lobe). There are no significant differences between pT2a and pT2c patients in time to biochemical progression after retropubic radical prostatectomy. These findings support authors who question the subdivision of pathological stage pT2
Subject: Prostata
Prostatectomia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2007
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Quintal_MaisaMomessode_M.pdf3.74 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.