Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308427
Type: TESE
Title: Transtorno de estresse pós-traumático, depressão e desesperança em mulheres vítimas de violência sexual no primeiro e no sexto mês de avaliação
Title Alternative: Posttraumatic stress disorder, depression and hopelessness in women victims of sexual violence at the first and at the sixth month of evaluation
Author: Machado, Carolina Leme
Advisor: Fernandes, Arlete Maria dos Santos, 1959-
Abstract: Resumo: Introdução: A violência sexual é problema que atinge inúmeras mulheres no mundo e suas consequências abrangem complicações físicas, psíquicas, sociais e sexuais. Estudos indicam que psicopatologias são recorrentes nas mulheres que sofrem abuso sexual, mais comumente o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) e a depressão. Objetivos: Avaliar os escores de TEPT, Depressão e Desesperança em mulheres vítimas de violência sexual que estiveram em acompanhamento ambulatorial no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Métodos: Estudo de coorte longitudinal em que foram avaliadas 67 mulheres, no primeiro mês pós-violência e 52 no sexto mês, através da Escala de Avaliação de Transtorno de Estresse Pós-Traumático Administrada pelo Clínico (CAPS), do Inventário de Depressão de Beck (BDI), da Escala de Desesperança Beck (BHS) e de entrevista estruturada para avaliar a autopercepção do trauma e da saúde. Os escores foram correlacionados às variáveis sociodemográficas, da violência, percepção e atitudes da mulher. Resultados: TEPT presente em 64,2% dos casos na avaliação inicial, sendo 13,5% entre severo e muito severo e 29,9% em moderado, e na avaliação final presente em 21,2% das mulheres. Quanto à depressão, 100% das mulheres entrevistadas no primeiro mês preencheram os critérios, sendo que 47,7% delas entre mínimo e leve e 52,3% entre moderado e grave. No sexto mês, 63,5% estavam com depressão mínima e leve e 19,2% com moderada e grave. A desesperança esteve presente em 94%, sendo 71,6% mínima e leve e 22,4% moderada e grave na avaliação inicial e em 90,3% na avaliação final, sendo 73% entre mínima e leve e 9,7% entre moderado e grave. A análise por regressão logística múltipla mostrou que o TEPT moderado/grave no primeiro mês associou-se a uma única variável, a depressão moderada/grave OR19,6 (5,3-71,87; IC 95%); o diagnóstico de TEPT no sexto mês foi associado positivamente a duas variáveis, número de agressores >1 OR14,5 (1,3-166,7; IC 95%) e antecedente psiquiátrico OR 5,5 (1,2-25,6; IC 95%). Conclusões: as prevalências dos sintomas de TEPT, depressão e desesperança aos seis meses foram, respectivamente, de 21,2%, 19,2% e 9,7%, sendo que ainda há necessidade de abordagem de tratamento em saúde mental para esse grupo especifíco de mulheres apos o acompanhamento ambulatorial de seis meses

Abstract: Introduction: Sexual violence is a problem that affects many women worldwide and its consequences include physical complications, psychological, social and sexual. Studies indicate that psychopathologies are recurring in women who suffer sexual abuse, commonly Post-Traumatic Stress Disorder (PTSD) and Depression. Objectives: Evaluate the scores of PTSD, depression and hopelessness of women victims of sexual violence who were in outpatient setting in Women's Health Center (CAISM) in Univesity of Campinas (UNICAMP). Methods: A cohort longitudinal study in which 67 women were evaluated in the first month post-violence and 52 in the sixth month through the Clinician Administered Posttraumatic Stress Disorder (CAPS), the Beck Depression Inventory (BDI), Beck Hopelessness Scale (BHS) and a structured interview to assess the perception of trauma and health. The scores were correlated to socio-demographic variables, violence, perceptions and attitudes of women. Results: PTSD present in 64.2% of cases at baseline, and 13.5% between severe and very severe and 29.9% in moderate, and final evaluations present in 21.2% of women. As for depression, 100% of women met criteria in the first month, and 47.7% of them between minimal and mild and 52.3% from moderate and severe. In the sixth month, 63.5% were minimal and mild depression and 19.2% with moderate and severe. Hopelessness was present in 94% and 71.6% minimum and 22.4% mild and moderate or severe at baseline and 90.3% in the final evaluation, 73% between minimal and mild and 9.7% between moderate and severe. A multiple logistic regression analysis showed that PTSD moderate / severe in the first month was associated with a single variable, depression, moderate / severe OR 19, 6 (5.3 to 71.87, 95% CI), the PTSD diagnosis at six months was positively associated with two variables, number of assailants> 1 OR 14, 5 (1.3 to 166.7; 95%) and previous psychiatric OR 5,5 (1.2 to 25.6, 95% CI). Conclusions: the prevalence of PTSD symptoms, depression and hopelessness at six months were respectively 21.2%, 19.2% and 9.7%, and still need to approach mental health treatment for this specific group of the women after six months of outpatient follow-up
Subject: Mulheres
Violência sexual
Transtornos de estresse pós-traumáticos
Depressão mental
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Machado_CarolinaLeme_M.pdf868.15 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.