Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308139
Type: TESE
Title: Caracterização dos recem-nascidos e de suas mães, a partir das declarações de nascidos vivos de Campinas (SP), no ano de 2001
Title Alternative: Characterization of newborns 'and mothers' profiles from live birth certificates Campinas, SP Brazil, 2001
Author: Carniel, Emilia de Faria
Advisor: Morcillo, André Moreno, 1950-
Abstract: Resumo: Os Sistemas de Informação em Saúde são fundamentais para o conhecimento da situação de saúde da população e o direcionamento das políticas de saúde. O Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) do Ministério da Saúde, cujo instrumento de coleta de dados é a Declaração de Nascido Vivo (DNV), foi implantado com o intuito de obter informações para subsidiar propostas para o grupo materno-infantil. Por meio de estudo transversal, que analisou 14.444 DNVs de Campinas (SP) em 2001, estudou-se a viabilidade da utilização dos dados do SINASC para descrever o perfil de mães e recém-nascidos (RNs) e determinar fatores de risco para baixo peso de nascimento (BPN), parto cesáreo e gravidez na adolescência. Este perfil foi identificado por: local de ocorrência do parto, características sociodemográficas maternas, gestacionais, do parto e dos RNs. Os fatores de risco foram determinados pela correlação entre as variáveis, utilizando análise de regressão logística. A proporção de captação do SINASC foi de 99,1%, e as DNVs foram preenchidas em quase 100% dos itens. A maioria dos nascimentos ocorreu em hospitais, sendo o maior percentual de filhos de moradoras das áreas dos Distritos de Saúde (DS) Noroeste e Sudoeste (com baixas condições de vida), onde ocorreram os piores resultados. O percentual de mães adolescentes foi de 17,8%; a maior concentração de nascimentos foi para mulheres com 20 a 34 anos; 60,6% não trabalhavam fora, 35,9% não tinham companheiro, 37,8% tinham até sete anos de escolaridade e 47,1%, de oito a onze anos. A paridade foi variável, sendo a maior ocorrência entre mulheres sem filhos ou com um; 99,6% compareceram pelo menos uma vez ao pré-natal; 74,4% realizaram mais de seis consultas. Associou-se à gravidez na adolescência: morar em DS com baixas condições de vida, não ter ocupação ou companheiro. As adolescentes grávidas apresentaram risco de pré-natal inadequado. A maioria das gestações foram únicas, a termo, com RNs masculinos, brancos, com pequena proporção de hipóxia e com 1,0% de anomalias. O percentual de prematuridade foi de 7,1%. Houve alta incidência de cesarianas, sendo maior o risco nas gestações duplas e nos partos prematuros e para mulheres com companheiro, as maiores de 20 anos, as com melhor escolaridade, as trabalhadoras fora do lar, as moradoras em DS com melhores condições, as com mais consultas, as primíparas, com um ou dois filhos. A média de peso ao nascer foi 3.142g; 25,7% dos RNs nasceram com peso insuficiente e 9,1% com baixo peso. Associou-se ao BPN: prematuridade, baixa escolaridade materna, menos de sete consultas e RNs femininos. A configuração da DNV não permitiu identificar partos da rede pública ou da rede privada e incluir adequadamente as mulheres em união consensual. Os agrupamentos do número de consultas de pré-natal não estão de acordo com o parâmetro do Ministério da Saúde. Este estudo mostrou que há viabilidade da utilização dos dados do SINASC para o planejamento de ações de saúde. Além disso, a distribuição dos resultados, pelos diferentes DS, mostrou que o perfil do grupo materno-infantil não é homogêneo na cidade

Abstract: Health Information Systems are fundamental to the knowledge of health status of the population and to manage health policies. The Information System on Live Births (SINASC) was developed by the Brazilian Health Ministry and designed to improve quality of information on newborns and on pregnant women, in order to support health proposals to infant-maternal group. This system has been implemented since 1990 and Live Birth Certificate (LBC) is the document to collect data. Throughout a cross-sectional study 14,444 LBC from the city of Campinas, SP, in 2001, were analysed in order to determine SINASC's viability. Mothers' and newborns' profiles were described and risk factors for low birth weight (LBW), caesarean-sections and pregnancy in adolescence were showed. The profiles were described according to mothers¿ social-demographic characteristics and those related to their pregnancies and to the newborns. The assessment of the association among variables was performed through logistic regression. The study showed excellent coverage of the SINASC (99.1%) and almost 100% of the variables were filled. Most of the births occured in health services of the city and the higher proportion was of babies from women who lived in Health District (HD) Northwest and Southwest (in low conditions of life), where the worst results occured. The percentage of adolescent mothers were 17.8%; the highest proportion of births was among women between 20 and 34 years old; 60.6% of all mothers didn't have jobs, 35.9% were single; 37.8% studied until seven years and 47.1% studied for about eight and eleven years. The number of children were variable, but the higher concentration was on women with no children or just one. Almost all women at least had one prenatal care appointment; 74.4% had more than six medical visits. Pregnancy in adolescence was associated with women living in low conditions of life, without husbands or incomes and who had inadequate prenatal care. Most of the gestations were single and the babies were mature, most of them were male, white, born with a low proportion of hipoxia and 1% of them showed malformations. The percentage of premature babies were 7.1%. The incidence of caesarean-sections was very high (54.9%) and the risk factors for them were: twin gestations, premature birth and women with husbands, having better education level, with jobs, living in good places, having more prenatal care visits, with no children and with one or two. The average birth weight was 3,142g; 25.7% of the babies were born weighing between 2,500g and 2,999g and 9.1% of them weighing less than 2,500g. The risk factors for LBW were: premature birth, low educational level, less than seven prenatal care visits and female baby. This study showed the viability of SINASC to help plan health activities for the infant maternal group. Furthermore, the results in different HD, showed that the mothers¿ and newborns¿ characteristics are different in the city
Subject: Sistema de informação
Saúde materno-infantil
Nascidos vivos
Gestantes
Fatores de risco
Cesárea
Gravidez na adolescência
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Carniel_EmiliadeFaria_M.pdf3.25 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.