Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308124
Type: TESE
Title: Utilização de regiões genomicas polimorficas para o estudo de similaridade de estafilococos resistentes a oxacilina, com fins epidemiologicos
Title Alternative: The use of polimorphic genomic regions for the similarity study of multi resistant Staphylococcus to oxacillin, with epidemiologist aims
Author: Cury, Gisele Cristiane Gentile, 1980-
Advisor: Ramos, Marcelo de Carvalho, 1951-
Abstract: Resumo: A caracterização das bactérias em níveis sub-específicos, estabelecendo linhagens, tem grande aplicação no estudo das infecções que ocorrem dentro do ambiente hospitalar. Permitem fazer inferências sobre a extensão de surtos, rotas de transmissão e avaliação de medidas empregadas para o seu controle. Os métodos de tipagem podem ser divididos em fenotípicos, quando se baseiam em características expressas pelo organismo, ou genotípicos, quando a comparação se dá pelo seu material genético, sendo os últimos menos sujeitos às pressões ambientais. O Staphy/ococcus aureus é uma bactéria bastante comum tanto no ambiente hospitalar, quanto na comunidade, sendo responsável por quadros clínicos de gravidade variável. A técnica considerada de escolha para genotipagem deste microorganismo é a Eletroforese em Campo Pulsado, (PFGE ou CHEF). Esse método exige equipamento de alto custo, é trabalhoso e fornece resultados somente após 5 ou 6 dias de trabalho. Porém, é um método de muita reprodutibilidade e altamente discriminatório. Com o objetivo de avaliar a tipabilidade e poder discriminatório da tipagem de Staphy/ococcus aureus pela amplificação por PCR da região variável do gene Coagulase (coa), da região X do gene da Proteína A (spa) e da exploração de genes de "housekeeping", desenvolveu-se o presente estudo. Foram analisadas 124 amostras de Staphy/ococcus aureus resistentes à oxacilina, isoladas no período de setembro de 2002 a junho de 2005 pelo laboratório de Microbiologia da Divisão de Patologia Clínica do Hospital das Clínicas da UNICAMP e 26 amostras foram obtidas do banco de microrganismos do Hospital das Clínicas da USP de Ribeirão Preto (FCMRP-USP). Foram também analisadas as cepas, 257 A, 20COA e 256B, gentilmente cedidas pela Ora. Maria Clara Padovese (Padoveze et aI., 2001) da Universidade Estadual de Campinas, as cepas BEC 9393 e HC562 cedidas pelo Or. Agnes M. Figueiredo (Soares et aI., 2001) da Universidade Federal do Rio de Janeiro para fins de comparação. Os resultados obtidos indicam a existência de três conglomerados principais. Baseado no fato de que a distribuição dos isolados é bem característica, provavelmente, existem três linhagens principais. Quase todos os isolados obtidos em Ribeirão Preto foram agrupados no conglomerado C, com poucos isolados no conglomerado A (4 casos) e B (1 caso). Essa distribuição também acusa a existência de uma cepa original diferente que sofreu variação genética independente. Ainda, a presença de isolados de uma cidade (Ribeirão Preto) com proximidade genética aos isolados de outra cidade (Campinas) reflete a provável disseminação desses isolados com o trânsito de pacientes entre esses locais. Os isolados representativos do Clone Epidêmico Brasileiro foram caracterizados como os isolados do conglomerado A. Nossos resultados ainda indicam uma possível maior variabilidade, entre as cepas do clone brasileiro

Abstract: One hundred and fifty-four methicillin-resistant Staphy/ococcus aureus (MRSA) strains have been isolated from patients attended in tertiary care hospitais in two metropolitan areas (Campinas City and Ribeirão Preto City) in the southeast region of Srazil and analyzed through PCR-based techniques [(PCR amplification of spA, coa, and housekeeping genes (arcC, amE, gmk, pta, tpi, yqiL)] and further restriction fragment typing of coa and housekeeping genes. The heterogeneity of spA gene was determined directly by agarose gel electrophoresis migration. The results obtained indicate the existence of three (A, S, C) main strain clusters. Since the strain distribution in these three clusters is much characteristic, it denotes the existence of three main clones. Ali strains isolated in Campinas were grouped in clusters A and S, while most of the strains isolated in Ribeirão Preto were grouped in cluster C, with a few strains in cluster A (4) and S (1). This distribution denotes the existence of different founder strains that undergo independent genetic variability. The presénce of strains of one city (Ribeirão Preto) with genetic proximity to strains of another city (Campinas) may reflect the possible spread of strains with the acquisition of the infection in one city and the medical treatment in the other one. The strains considered representative of the Srazilian Epidemic Clone (SEC) were categorized as clone A. These results indicate a possible variability higher among Srazilian MRSA strains than currently described
Subject: Oxacilina
Estafilococos
Resistência
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2007
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Cury_GiseleCristianeGentile_M.pdf1.38 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.