Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/305674
Type: TESE DIGITAL
Title: Os discursos sobre Cuba : imprensa, vozes e memória (da atualização do modelo econômico à retomada das relações diplomáticas com os EUA: 2011/2015)
Title Alternative: The discourses on Cuba : press, voices and memory (from the updating of the economic model to the resumption of diplomatic relations with the United States: 2011/2015)
Author: Cotrim, Amanda Barbosa Xavier, 1987-
Advisor: Caldas, Maria das Graças Conde
Abstract: Resumo: Cuba, desde que realizou sua Revolução, em 1959, é alvo de críticas e controvérsias por parte da mídia brasileira e internacional. Em 2011, o País oficializou a atualização do seu modelo econômico durante o VI Congresso do Partido Comunista Cubano. Nesse contexto, a dissertação busca analisar, na perspectiva da Análise de Discurso materialista, como os jornais The New York Times (EUA), El País (Espanha), Granma (Cuba) e O Estado de S. Paulo (Brasil) constroem saberes sobre Cuba, tendo como referência a atualização do modelo econômico na Ilha, em três momentos específicos: a II CELAC (Cúpula de Estados Latino-americanos e Caribenhos), em janeiro de 2014; o reatamento das relações diplomáticas com os Estados Unidos, em dezembro de 2014; e a primeira reunião diplomática entre Cuba e EUA, que aconteceu em Havana nos dias 21 e 22 de janeiro de 2015. Para complementar a análise, o trabalho também examina os discursos de um grupo de cubanos que mora na Ilha para saber como eles se significam em relação a Cuba. O objetivo é identificar o funcionamento discursivo dos jornais selecionados e dos cubanos entrevistados, refletindo sobre a tensão da linguagem como materialidade do embate histórico-político entre os cubanos e os jornais, e assim refletir sobre o modo como esses lugares discursivos produzem sentidos para a Ilha. O trabalho considerou que os sentidos sobre Cuba não "moram" no enunciado, mas no lugar de onde a Ilha é significada, seja pelos jornais, seja pelos cubanos, resultado de um longo e complexo processo de significação. Na correlação de forças entre esses lugares do dizer, algumas imagens sobre Cuba dominam o imaginário social dos jornais, produzindo efeito na própria luta pelos sentidos. Com base no material coletado e examinado, a pesquisa concluiu, entre outras coisas, que a imagem de uma Cuba ditatorial, comunista e que não respeita os direitos humanos e a liberdade foi construída desde o processo da Revolução Cubana, ainda no final da década de 1950, pelos jornais, que se pautaram a partir do discurso político dos EUA. Consideramos que há, ainda hoje, uma submissão da imprensa (analisada) a uma agenda da Casa Branca e que o reatamento das relações diplomáticas entre Cuba e os EUA pode significar uma recolonização discursiva dos sentidos sobre Cuba a partir da Formação Discursiva do governo americano, que os jornais internacionais analisados tomam como evidência. Por outro lado, tomamos o jornal o Granma como contraponto discursivo e descobrimos que, para ele, o sentido de Cuba se perpetua na Revolução, o que mostra que o lugar de fala do sujeito (a Formação Discursiva) é que determina as relações de força no discurso. Assim como o Granma, os cubanos entrevistados se filiam a Formação Discursiva patriota, de soberania nacional, que defende a Revolução Cubana, mas não nega que a atualização do modelo econômico melhorará seu socialismo. Com o reatamento das relações diplomáticas entre Cuba e os EUA, os jornais analisados materializam uma disputa de imagem sobre uma Cuba mais comercial, supostamente mais contemporânea, que se choca e disputa lugar com a imagem de uma Cuba menos mercadológica, mais "comunista". Identificamos que o jornalista que "fala" sobre Cuba participa, ativamente, desse processo de significação. Antes de o profissional de imprensa ir até a Ilha, Cuba já chegou como imaginário para esse jornalista

Abstract: Cuba, since it carried out its revolution in 1959, is the target of criticism and controversy from the Brazilian and international media. In 2011, the country officially updating its economic model during the Sixth Congress of the Cuban Communist Party. In this context, the search dissertation analyzed from the perspective of materialistic Discourse Analysis, as the newspapers The New York Times (USA), El País (Spain), Granma (Cuba) and O Estado de S. Paulo (Brazil) build knowledge about Cuba, with reference to the updating of the economic model on the Island, in three specific moments: II CELAC (Summit of Latin American States and Caribbean) in January 2014; the resumption of diplomatic relations with the United States in December 2014; and the first diplomatic meeting between Cuba and the United States, held in Havana on 21 and 22 January 2015. In addition to the analysis, the study also examines the discourses of a group of Cubans who live on the island to find out how they mean towards Cuba. The goal is to identify the discursive operation of selected newspapers and interviewed Cuban reflecting on the language tension as materiality of the historical and political confrontation among Cubans and newspapers, and so reflect on how these discursive places produce directions to the Island . The study found that the directions on Cuba not "live" in the statement, but in the place where the island is meant, whether the newspapers, either by the Cubans, the result of a long and complex process of signification. The correlation of forces between these places of say, some images on Cuba dominate the social imaginary of newspapers, producing effect in their own struggle for directions. Based on the collected and examined material, the survey found, among other things, that the image of a dictatorial Cuba, communist and that does not respect human rights and freedom was built from the process of the Cuban Revolution, even in the late in 1950, the newspapers, which were guided from the US political discourse. We believe that there is, today, a submission Press (analyzed) to a White House agenda and the resumption of diplomatic relations between Cuba and the US can mean a discursive recolonization of the senses on Cuba from the Discursive Formation of the US government, that international newspapers analyzed taking as evidence. On the other hand, take the newspaper Granma as discursive counterpoint and found that, for him, the way Cuba is perpetuated in the Revolution, which shows that instead of speaking of the subject (the Discourse Formation) that determines the power relations in speech. As the Granma, the Cuban respondents are affiliated to a Discourse Training patriot, defending the Cuban Revolution, but does not deny that the updating of the economic model will improve your socialism. With the resumption of diplomatic relations between Cuba and the US, the newspaper analyzed materialize an image of dispute on a more commercial Cuba, supposedly more contemporary, that clashes and place match with the image of a Cuba less marketing, more "communist". We found that the journalist who "speaks" about Cuba participates actively in this process of signification. Before the press professional go to the island, Cuba has come as imaginary to this journalist
Subject: Linguagem
Jornalismo
Comunicação
Análise do discurso
Cuba
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Cotrim_AmandaBarbosaXavier_M.pdf10.6 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.