Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/305322
Type: TESE DIGITAL
Title: Educação, trabalho e infância : contradições, limites e possibilidades no Movimento dos Trabalhadores Sem Terra
Title Alternative: Education, work and childhood : contradictions, limits and possibilities in the Landless Rural Workers Movement
Author: Ramos, Márcia Mara, 1975-
Advisor: Lombardi, José Claudinei, 1953-
Abstract: Resumo: Esta pesquisa "Educação, Trabalho e Infância: contradições, limites e possibilidades no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra" teve como motivação e questão identificar a disputa pela infância da classe trabalhadora através da pedagogia do capital, investigando qual o papel que as instituições do agronegócio têm cumprido na educação dos filhos da classe trabalhadora e com qual intencionalidade o MST vem organizando e fazendo a formação humana na educação política das crianças dos acampamentos e assentamentos num contexto marcado pelas relações capitalistas. O objetivo particular da pesquisa foi analisar a prática educativa do MST na formação das crianças Sem Terra, através da mobilização infantil no Estado do Pará e suas ações contra-hegemônicas. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), desde a sua origem em 1984, tem a presença da criança na luta pela terra e, através de reflexões no interior da luta, desenvolve um trabalho para além das escolas, com as crianças dos acampamentos e assentamentos nos 24 estados em que o MST está organizado. A organização coletiva proporcionada por dois elementos fundamentais no MST - lutar e construir - estão interligados no processo da formação humana e as crianças são parte construtora dessa formação e do processo histórico do MST. Para a realização desse trabalho, realizamos a pesquisa de campo no Estado do Pará, com entrevistas com educadores e militantes, conversações com as crianças e levantamentos de materiais do MST sobre educação e infância, Jornal ¿ Sem Terra. A pesquisa destaca, como objeto central, as ações contra-hegemônicas que o MST vem desenvolvendo com as crianças, através das Jornadas Nacionais dos Sem Terrinha, e que é uma forma de mobilização de crianças em todo Brasil. Nesse sentido, observamos a confluência entre a pedagogia do MST na formação das crianças Sem Terra e a pedagogia socialista para a educação política da infância, grande referência de educação transformadora na luta pela terra. E, ao final, concluímos com as matrizes formadoras ¿ Trabalho como principio educativo; a Luta; a Coletividade; a auto-organização; e o Internacionalismo para a infância¿, na perspectiva da construção de um programa de formação para a infância Sem Terra

Abstract: This research named "Education, Work and Childhood: contradictions, limits and possibilities in the Landless Rural Workers' Movement" was motivated to identify the dispute for the children of the working class through the pedagogy of capital, investigating what role the institutions of agribusiness have fulfilled in the education of the children of the working class and with what intention MST has organized and makes the human formation in political education of children in camps and settlements in a context marked by capitalist relations. The particular objective of the research was to analyze the MST educational practice in the formation of Landless children, through the children's mobilization in the Southeast Region of the State of Para and their counter-hegemonic actions. The Landless Rural Workers' Movement (MST), since its origin in 1984, has the child's presence in the struggle for land and, through reflections inside the struggle, develops a work beyond the schools with children from camps and settlements of the 24 states in which the MST is organized. The collective organization is based in two key elements in MST ¿ struggle and build ¿ that are interconnected in the process of human development. Children are active constructors of such development and of the historical process of MST. The field research was conducted in the state of Pará, with interviews with educators and militants, talks with children and the survey and analysis of the MST materials about education and children, particularly the newspaper Jornal Sem Terra. This research highlights, as the main object, the counter-hegemonic actions that the MST is developing with children, through the national week of the Landless Children, that is a way of children's mobilization across Brazil. In this sense, we observe the confluence between the pedagogy of MST in the formation of Landless children and socialist pedagogy for child political education, great reference of an education that brings social transformation in the struggle for land. At the end, we conclude with the identification of the forming matrices - Work as an educational principle; the Struggle; the Collectivity; the self-organization; and internationalism for childhood - in the perspective of the construction of a formation program for Landless childhood
Subject: Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra
Educação
Trabalho
Infância
Ciranda
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FE - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ramos_MarciaMara_M.pdf7.19 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.