Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/305316
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Mucíná wa Maputz *aquela que dança em Maputz* : um estudo do método etnográfico na pesquisa em prática artística em dança contemporânea, em Maputo
Title Alternative: Mucíná wa Maputz *she who dances in Maputz* : a study of the ethnographic method in artistic practice research in contemporary dance in Maputo
Author: Carneiro, Marília Clemente Gomes, 1977-
Advisor: Strazzacappa Hernandez, Marcia Maria, 1965-
Abstract: Resumo: Mucíná wa Maputz: aquela que dança em Maputz, do xangana ao português. Mucíná é o(a) bailarino(a) da dança contemporânea(DC). Maputz é o espaço geográfico: lugares e entre lugares da DC em Maputo, Moçambique, África. É para lá que iremos. O leitor encontrará um mapa e indicações para uma deriva sensorial por teatros, salas de ensaio e trajetos, um exercício de escrita performática que reenvia o leitor a seu próprio corpo em movimento no espaço urbano contemporâneo, uma certa África. Nosso propósito: estudar, a partir da experiência, o método etnográfico nucleado na prática artística da DC. Com vistas à compreensão, descreve-se a experiência. Temos portanto, um estudo do método, uma metodologia. Filiada conceitualmente à pesquisa em prática artística (Fortin&Gosselin, 2014) ¿ cujo requisito é o pesquisador ser praticante de arte ¿ pretende contribuir com o esforço atual de desenvolvimento de metodologias de pesquisa em Dança. Foi feita uma consulta à Antropologia, disciplina fundadora da etnografia, e inventado um design do método, definindo a perspectiva de insider (Davida, 2012) ¿ apesar de ser estrangeira ¿ perguntando 1.pelos procedimentos, técnicas e instrumentos envolvidos na coleta dos dados e abertura do campo; 2.pelos dados que estariam observáveis pela dançarina pesquisadora; 3.pelo que seriam os dados somáticos na etnografia da dança, interessando-me que forma tomariam na anotação e sua participação na construção da reflexão; 4.pelo comportamento do método em processos de criação coreográfica. Apresento a montagem metodológica iniciada três anos antes do trabalho de campo presencial, falo em termos de um experimento etnográfico, que atravessa a criação da situação do experimento (uma residência artística em DC em Maputo), o desenho metodológico que norteou a coleta de dados, e também a ideia de procedimentos preparatórios (estudo exploratório; informe de repertório de conversas; ansiolítico para ansiedade metodológica; manutenção da prática artística ¿ treinamento corporal, experimentos cênicos, cultivo de jardim coreográfico, desenvolvimento pedagógico; operacionalização do registro). Exploro a escrita como meta-dança (Sklar, 2000) e a estratégia secreta "tratar a si mesmo como um outro", dando voz a diferentes personagens. Descrevo aspectos da realização do experimento em Maputo. Toma forma Maputz, o terreno da coleta de dados. A desmontagem metodológica pondera sobre os procedimentos urdidura 1.recolha de documentos, 2.entrevistas, 3.observação participante(OP) e 4.registro, e o experimento revelou também outros procedimentos, subjacentes e fundamentais, que tecem o campo. A ênfase do trabalho recai sobre a OP (práticas de treinamento, criação e difusão em DC) e o registro, onde privilegiei a escrita diária enriquecida. O texto explora diferentes estilos, destacando particularmente as Práticas Analíticas Criativas (Richardson & St. Pierre, 2005), cinco ao todo, entremeadas na tese. Ao final, duas ideias para tratar os dados etnográficos, 1.uma heurística (Moustakas, 1990) de dados somáticos [dados deriva (corpocidade), experiência cinestésica (#,b), RSP (reações somáticas do pesquisador-intuição)], 2.uma análise que aproxima a experiência etnográfica de processos de criação. Entre uma série de conclusões, concluo que Não é a formiga que anda a cavalo. É o cavalo que leva a formiga. Ao sair do texto, seguramente o leitor estará informado também sobre a dança contemporânea em geral e Maputo em particular

Abstract: Mucíná wa Maputz: she who dances in Maputz, translating Changana into English. Mucíná means (s)he who performs contemporary dance (CD). Maputz is the geographic space: contemporary dance places and places in between in Maputo, Mozambique, Africa. Maputo is our destination and in here, readers will find a map and instructions for a sensory dérive (drift) through theaters, rehearsal rooms, and trajectories in an exercise of performative writing that brings them back to their own body moving through a contemporary urban space, through a certain Africa. The purpose of this thesis is to study, from experience, the ethnographic method riveted in the artistic practice of contemporary dance. To narrate and describe those experiences that allow us to comprehend the method. It is thus, a study of the method, a methodology conceptually related to research in artistic practices (Fortin & Gosselin, 2014), which requires that researchers be practitioners of the art. This thesis is meant to contribute to the current effort of developing research methodologies in Dance. Through anthropology, the founding discipline of ethnography, a design was drawn up of the method that defines an insider¿s, albeit foreigner¿s, perspective (Davida, 2012), which brings to question: 1. Which procedures, techniques, and tools are involved in data collection and field opening? 2. What data will the dancer-researcher observe? 3. Which somatic data will appear in the ethnography of dance and, especially, the shape they will take in annotations and their impact on the course of my reflection? 4. How does the method behave in the process of choreographic creation? I present a methodological mounting initiated three years before onsite fieldwork and speak in terms of an ethnographic experiment that spans over the creation of the experimental situation (a contemporary dance artistic residency in Maputo), the methodological design that guided data collection, and the idea of preparatory procedures (scoping study; report on talk repertory; anxiolytic for methodological anxiety; continuation of the artistic practice ¿ dance training, scenic experiments, cultivation of the choreographic garden, pedagogical development; record operationalization). I explore writing as a meta-dance (Sklar, 2000) and the secret strategy of "treating oneself as another" to give voice to different characters. I describe aspects of the experiment in Maputo. The Maputz, the field data collection, takes shape. The methodological dismounting looks into the warping procedures: 1. Document collection; 2. Interviews; 3. Participant observation; and 4. Records. Although the experiment revealed other subjacent, fundamental procedures weaving our field, Participant observation (training practices, creation, and diffusion in contemporary dance) and annotations privileging enriched daily writing are focused. The text explores different styles, but particularly highlights five Creative Analytical Practices Ethnography (Richardson & St. Pierre, 2005), which are interspersed in the dissertation. Finally, two ideas to deal with ethnographic data: 1. A heuristic (Moustakas, 1990) of somatic data [drift data (corpocity), kinesthetic experience (#,b), RSR (Researcher¿s Somatic Responses-intuition)], 2. An analysis bringing the ethnographic experience closer to creation processes. Among my conclusions, I acknowledge that It¿s not the ant that rides on horseback. It is the horse that takes the ant. At the end of the text, readers will know more on contemporary dance in general and Maputo in particular
Subject: Metodologia de pesquisa
Dança contemporânea
Etnografia
Dança contemporânea - África
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Carneiro_MariliaClementeGomes_D.pdf4.88 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.