Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/305080
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: A condição da criança hiperativa e desatenta : um estudo sobre a intervenção psiquiátrica nas formas contemporâneas de inserção social infantil
Title Alternative: The condition of hyperactive-inattentive children : a study on psychiatric intervention in contemporary forms of child social embodiment
Author: Barbarini, Tatiana de Andrade, 1984-
Advisor: Moraes, Maria Lygia Quartim de, 1943-
Abstract: Resumo: As crianças formam um grupo social particular. Ao mesmo tempo em que elas dependem dos cuidados adultos, delas espera-se o desenvolvimento de uma autonomia relativa, um "desabrochar" próprio que lhes permita percorrer seu caminho rumo à independência e ao exercício da cidadania. A representação social da criança enquanto sujeito de direito, mobilizada e concretizada na elaboração do Estatuto da Criança e do Adolescente, funda-se na concepção de infância como uma fase de desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, vulnerável a riscos os mais diversos. Direitos especiais são-lhe assim concedidos a fim de prezar pela liberdade e dignidade infantil. Ademais, as crianças assumem outros papéis sociais na contemporaneidade, destacadamente o de membro de uma família e o de aluna de uma escola. Instituições essas ditas em crise. Uma crise que se conjuga a um mal-estar que aflige seus membros. Professores julgam-se incapazes de lidar com seu "novo público". Pais vivem as mudanças sociais e históricas dos arranjos familiares e disputam com profissionais escolares suas responsabilidades em relação aos filhos. Crianças são vulneráveis às mazelas sociais, aos desejos narcísicos dos adultos e, ao mesmo tempo, são incitadas à autonomia em um contexto de crise de autoridade de seus tutores. Tais situações de mal-estar adoecem professores e se manifestam como inquietude nos comportamentos e experiências infantis em sala de aula. Crianças hiperativas, deprimidas e ansiosas surgem então na cena social. A presente tese de doutorado tem como objetivo principal analisar sociologicamente a inserção social da criança brasileira e a intervenção médica naquelas identificadas, no espaço escolar, como hiperativas e desatentas, pois portadoras do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Trata-se de uma condição clinicamente definida como um transtorno do neurodesenvolvimento hipoteticamente oriundo de falhas em neurotransmissores responsáveis pela atenção, concentração e controle individual das emoções e dos comportamentos. Para tanto, procedeu-se a uma pesquisa qualitativa composta pelas técnicas de observação participativa e de entrevistas semiestruturadas. Quatro escolas de ensino fundamental (de primeiro a nono ano), municipais, estaduais e privada de Campinas e Moji Mirim (SP), foram visitadas entre 2013 e 2015, bem como um programa de educação não formal campineiro. Professores, coordenadoras pedagógicas e alunos (entre cinco e treze anos de idade) desses estabelecimentos de ensino compuseram o grupo observado e entrevistado em campo de pesquisa. Acompanharam-se mais atentamente quinzes crianças (doze meninos e três meninas), dentre as quais onze meninos e uma menina foram indicados pelas equipes escolares como portadores de TDAH. As discussões apoiaram-se em um arcabouço teórico de influência foucaultiana e de princípios da Sociologia da Infância. O pressuposto que orienta o desenvolvimento desta proposta é a socialização da criança (com TDAH) como um problema político de constituição de um sujeito adaptado a um determinado projeto de sociedade. Assim, a intervenção técnica-científica na criança hiperativa e desatenta e na escola, uma instituição social básica à sua socialização, visa à execução de tal projeto. O TDAH é seu instrumento. Trata-se igualmente de uma problemática constituída pela possibilidade de, ante ao discurso da criança hiperativa e desatenta, colocar em questão as verdades hegemônicas sobre sua condição

Abstract: Children are part of a particular social group. They are both dependent on adult care and expected to develop a relative autonomy, in order to follow a proper path into independence and citizenship. Social representation of children as subjects of rights is based on a conception of childhood defined, according to the Brazilian Child and Youth Statute, as a state of physical, mental, moral, spiritual, and social development, susceptible of different risks. Due to this vulnerable condition, special rights aim to guarantee child liberty and dignity. Furthermore, children play other contemporary social roles, such as being a family member or a student at school. But family and school are institutions "in crisis", where unease circumstances afflict their members. Teachers feel unable to deal with a "new public". Parents experience social-historical changes in familiar settings and dispute children care responsibilities with school professionals. Children confront social vulnerability, adult narcissistic desires, and, at the same time, they are incited to act like autonomous human beings facing their guardians¿ lack of authority. These unease contingencies sicken teachers and disclose restless child experiences and behaviors in the classroom. Therefore, hyperactive, depressed, and anxious children appear on the social scene. This Doctoral Dissertation aims to analyze, through a sociological perspective, Brazilian child social embodiment and medical intervention on children identified in school settings as hyperactive and inattentive students, as Attention Deficit Hyperactive Disorder (ADHD) bearers. It is a clinical condition defined as a neurodevelopmental disorder hypothetically caused by neurotransmitters dysfunctions, responsible for controlling attention, emotions, and behaviors. In order to accomplish the thesis¿ proposals, we conducted a qualitative research composed by participant observation and semi-structured-interviews techniques. We visited four municipal, state, and private elementary schools, located in Campinas and Moji Mirim (SP), from 2013 to 2015, as well as a "non-formal" educational program in Campinas. Teachers, pedagogical coordinators, and 5-to-13-years-old students formed the group of participants observed and interviewed in field. We followed closely fifteen children (12 boys and 3 girls), among which eleven boys and one girl were designated by school professionals as ADHD bearers. Discussions and analysis are based on Foucauldian theories and Sociology of Childhood¿s perspectives. Child socialization as a political problem of individual adaptation to a societal project is the assumed investigation postulate. Technical-scientific intervention on hyperactive-inattentive children and school, a basic social institution responsible for child socialization, aims to perform that project. ADHD is its tool. The problem is also constituted by the possibility to, dealing with hyperactive-inattentive children¿s discourse, distrust hegemonic truths about their condition
Subject: Crianças
Socialização
Transtorno do deficit de atenção com hiperatividade
Medicalização
Editor: [s.n.]
Citation: BARBARINI, Tatiana de Andrade. A condição da criança hiperativa e desatenta: um estudo sobre a intervenção psiquiátrica nas formas contemporâneas de inserção social infantil. 2016. 1 recurso online ( 229 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humana, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/305080>. Acesso em: 29 ago. 2018.
Date Issue: 2016
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Barbarini_TatianadeAndrade_D.pdf1.89 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.