Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/29629
Type: Artigo de periódico
Title: Classificação de gravidade na pancreatite aguda
Title Alternative: Classification of severity of acute pancreatitis
Author: Campos, Tercio De
Parreira, José Gustavo
Assef, José Cesar
Rizoli, Sandro
Nascimento, Barto
Fraga, Gustavo Pereira
Abstract: Based on the Atlanta Classification, acute pancreatitis is classified according to its severity in either mild or severe acute pancreatitis. In recent years, several issues regarding acute pancreatitis have been discussed in the literature. These issues include how many categories of severity should be considered; whether or not a patient with organ failure holds similar holds severity of disease and prognosis of a patient with infected necrosis; the role of transient organ failure; and how to evaluate organ failure. TheEvidence-based Telemedicine - Trauma and Acute Care Surgery (EBT-TACS) conducted a review of the recent literature on the topic, and critically appraised its most relevant pieces of evidence.. The articles discussed suggested classifying the severity of acute pancreatitis in three or four categories, rather than mild or severe only, and addressed which is the best score to assess organ failure. The following recommendations were proposed: (1) Acute pancreatitis should be classified into four categories: mild, moderate, severe and critical, which allows a better determination of the characteristics of patients, (2) Evaluation of organ failure with a severity score that preferably evaluate directly each organ failure, such as the SOFA and MODS (Marshall). The SOFA seems to have greater accuracy, but the MODS has better applicability due to its ease of use.
De acordo com a Classificação de Atlanta a pancreatite aguda pode ser dividida, baseado em sua severidade, em uma forma leve ou grave. Uma série de aspectos têm sido discutidos nos últimos anos, tais como, quantas categorias de gravidade devem ser consideradas; se o doente com falência orgânica é igual ao doente com necrose infectada; qual o papel da falência orgânica transitória; e como avaliar a falência orgânica. A reunião de revistaTelemedicina Baseada em Evidência - Cirurgia do Trauma e Emergência (TBE-CiTE) realizou uma avaliação crítica de artigos relacionados a este tema, considerando três artigos recentes que delinearam duas grandes revisões publicadas nos últimos meses. Estes artigos sugerem a classificação de gravidade em três ou quatro categorias, ao invés de pancreatite aguda leve ou grave, além de discutir qual o melhor escore para avaliar a falência orgânica. As seguintes recomendações foram propostas: (1) A pancreatite aguda deve ser classificada em quatro categorias: leve, moderada, grave e crítica, o que permite uma melhor determinação das características dos doentes; (2) Avaliação de falência orgânica com um escore de gravidade, preferencialmente algum que avalie diretamente cada falência orgânica, tais como o SOFA e o MODS (Marshall). O SOFA parece ter maior acurácia, mas o MODS tem melhor aplicabilidade devido à facilidade de uso.
Subject: Pancreatite
Pancreatite necrosante aguda
Doença aguda
Índice de gravidade de doença
Pancreatite
Pancreatitis
acutre necrotizing
Acute disease
Severity of illness index
Editor: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0100-69912013000200015
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912013000200015
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-69912013000200015
Date Issue: 1-Apr-2013
Appears in Collections:Artigos e Materiais de Revistas Científicas - Unicamp

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0100-69912013000200015.pdf33.5 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.