Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/290564
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Validação de um modelo de ciclagens erosivas para estimar o efeito dose-resposta do pH na erosão inicial do esmalte dental
Title Alternative: Validation of a erosion cycling model to estimate the pH dose-response effect on initial erosion of dental enamel
Author: Romão, Dayse Andrade, 1983-
Advisor: Tabchoury, Cinthia Pereira Machado, 1969-
Abstract: Resumo: Modelos in vitro devem mimetizar situações próximas das condições reais, entretanto poucos modelos para avaliar erosão em esmalte dentário nestas condições são encontrados na literatura, além de apresentarem algumas limitações. Assim, o objetivo do presente estudo foi validar um modelo de ciclagens erosivas que simule os episódios de erosão/exposição do esmalte dental à saliva, avaliando o efeito dose-resposta para soluções de ácido cítrico com diferentes valores de pH. O modelo de ciclagens erosivas de pH teve uma duração de 5 dias, de forma que blocos de esmalte bovino, selecionados quanto à dureza de superfície e análise de perfilometria, foram imersos em saliva humana estimulada por 1 h a 37ºC sob agitação (100 rpm) antes do primeiro desafio erosivo de cada dia para formação de película adquirida. Em seguida os blocos dentais foram tratados 4 vezes ao dia com a solução de tratamento (2,5 mL/mm2 de área exposta de esmalte dental) sob agitação (100 rpm) por 1 min e nos intervalos entre os tratamentos e durante à noite, os blocos foram imersos em saliva artificial a 37?C sem agitação. Para avaliação do modelo quanto ao efeito dose-resposta ao pH, os blocos (n=12) foram tratados com as seguintes soluções: G1 - cacodilato pH 7,0 (controle); G2 - ácido cítrico pH 2,5; G3 - ácido cítrico pH 3,5; G4 - ácido cítrico pH 4,5; G5 - ácido cítrico pH 5,5; G6 - ácido cítrico pH 7,0. Todas as soluções foram preparadas na concentração de 47,6 mM. Diariamente, ao final da ciclagem e após a imersão na saliva artificial durante à noite, os blocos foram avaliados quanto à dureza de superfície para cálculo da porcentagem de perda de dureza de superfície (%PDS) e ao final do experimento a análise perfilométrica foi novamente realizada. Os resultados foram submetidos à análise de variância e teste de Tukey(p<0,05). Os resultados ao final da ciclagem mostraram que houve um aumento crescente da %PDS em função dos dias na maioria dos grupos e que os blocos tratados com solução de pH 2,5 apresentaram a maior %PDS (p<0,05). Na comparação entre grupos os resultados demonstram que no 4o dia de ciclagem foram verificadas diferenças significativas entre todos os grupos (p<0,05). Já os resultados após saliva apresentaram menores valores de %PDS quando comparados àqueles após ciclagem. Quanto à perfilometria, os blocos dentais tratados com soluções de pH 2,5 e 3,5 apresentaram as maiores perdas de superfície, diferindo entre si e dos demais grupos (p<0,05). Conclui-se que o estudo proposto permitiu a validação de um modelo de ciclagens erosivas que demonstrou efeito dose-resposta para erosão inicial de esmalte dentário após exposição a diferentes valores de pH

Abstract: In vitro models should mimic situations close to the real conditions, however, few models to assess tooth enamel erosion in these conditions are found in the literature, besides presenting some limitations. Thus, the objective of this study was validate a model that simulates cycling episodes of erosion/exposure of dental enamel to saliva, evaluating the dose-response effect for citric acid solutions with different pH values. The model of erosive cycling lasted 5 days, and bovine enamel blocks, selected according to the surface hardness and surface profilometry analysis, were immersed in stimulated human saliva for 1 h at 37°C under agitation (100 rpm) before the first erosive challenge in each day for salivary pellicle formation. Then the dental blocks were treated 4 times daily with the treatment solution (2.5 mL/mm2 per area of exposed enamel) under stirring (100 rpm) for 1 min and in the intervals between treatments and during the nigth the blocks were immersed in artificial saliva at 37?C without stirring. To evaluate the model with regard to the dose-response to pH, blocks (n = 12) were treated with the following solutions: G1 - cacodylate pH 7.0 (control), G2 - citric acid pH 2.5, G3 - acid citric pH 3.5; G4 - citric acid pH 4.5; G5 - citric acid pH 5.5; G6 - citric acid pH 7.0. All the solutions were prepared in a concentration of 47.6 mM. Daily, at the end of the cycling and after immersion in artificial saliva during the night, the blocks were evaluated for surface hardness to calculate the percentage of surface hardness loss (%SHL) and at the end of the experiment profilometry analysis was performed again. The results were submitted to ANOVA and Tukey's test (p<0.05). The results showed a gradual increase in the %SHL at the end of the cycling model as a function of days in most of the groups and the blocks treated with pH 2.5 solution showed the highest %SHL (p<0.05). In the comparison of the groups, the results showed in the 4th cycling day significant differences among all groups (p<0.05). The results after saliva exposure showed lower %SHL when compared to those after cycling. Regarding profilometry, dental blocks treated with solutions pH 2.5 and 3.5 showed the highest surface losses, differing from each other and from the other groups (p<0.05). In conclusion, the proposed study allowed the validation of an erosive cycling model that demonstrated dose-response effect for early tooth enamel erosion after exposure to different pH values
Subject: Dentes - Erosão
Acido citrico
Esmalte dentário
Concentração de íons de hidrogênio
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Romao_DayseAndrade_M.pdf1.45 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.