Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/290546
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Características de disfunção temporomandibular e qualidade do sono em portadores de fibromialgia
Title Alternative: Features of temporomandibular disorders and sleep quality in patients with fibromyalgia
Author: Pimentel, Marcele Jardim, 1984-
Advisor: Rizzatti-Barbosa, Celia Marisa, 1957-
Abstract: Resumo: A fibromialgia (FM) é uma síndrome reumática, de origem desconhecida, caracterizada por quadros de dor musculoesquelética difusa e crônica. A prevalência desta condição é bastante significativa e vem sendo relatada alta associação desta à disfunção temporomandibular (DTM). O objetivo deste trabalho foi determinar dentro do grupo de pacientes com FM: (I) a influência da associação da DTM e FM na qualidade do sono, avaliando a correlação da severidade da dor facial com o sono, como também grau de sonolência diurna; (II) determinar a prevalência de DTM, as principais características desta manifestação relatando sinais e sintomas mais presentes em FM. Para isto 40 mulheres portadoras de FM (idade média 53,5 ± 9,2) e 40 mulheres livres de FM e de dor crônica (GC) (idade média 51,5 ±11,5) foram selecionadas para análise comparativa por meio de três questionários: RDC/TMD para diagnóstico de DTM, Índice de Qualidade de sono de Pittsburgh (PSQI) e escala de sonolência de Epworth (ESS), para avaliação do padrão de sono. A análise estatística foi feita através do teste de Mann-Whitney para as variáveis ordinais, T de Student para as variáveis quantitativas de pontuações totais do PSQI, ESS e classificação de dor crônica, Teste de correlação de Spearman para avaliar a correlação entre dor facial e qualidade do sono e o teste exato de Fischer para análise das demais variáveis. Os resultados apontaram que 85% dos pacientes de FM relataram dor facial comparado a 10% do GC. O diagnóstico de DTM muscular foi muito mais prevalente em FM (77,5%) sendo estatisticamente significante a diferença entre os grupos (<0,0001). Já para deslocamento de disco, artralgia, osteoartrite e osteoartrose, não houve diferença significativa (>0,05). A presença de dor muscular durante movimentos mandibulares foi significativamente maior no grupo das portadoras de FM (<0,0001). Não houve diferença entre os dois grupos quanto à presença de ruídos articulares em movimentos excursivos e não excursivos (p= 0,654 e p= 0,359, respectivamente). A limitação de abertura bucal foi dez vezes mais prevalente no grupo de FM (p= 0,007). Presença de rangido e apertamento diurno foram significativamente maiores no grupo FM (p= 0,013) enquanto que a presença de rangido e apertamento noturno foram iguais para ambos os grupos (p= 0,062). Quanto avaliação dos padrões de sono o grupo de FM apresentou qualidade baixa de sono com média de pontuação de 12,72 PSQI vs 4,62 no GC. A sonolência diurna excessiva esteve presente em 21,3% da amostra do grupo FM sendo mais prevalente em FM (p<0,001). A associação entre DTM e FM não promoveu piora do sono (>0,05), mas foi observado que há uma correlação moderada entre aumento da dor facial e piora na qualidade do sono (p< 0,0001; r = 0,569). Foi observado que sinais como ruídos articulares e auto-relato de apertamento noturno não estão associados à FM, enquanto que o auto-relato de hábitos parafuncionais diurno, dor muscular durante movimentos mandibulares, limitação de abertura bucal e alterações no padrão de sono são características presentes em pacientes portadores da FM

Abstract: Fibromyalgia (FM) is a rheumatic syndrome of unknown origin, characterized by diffuse and chronic musculoskeletal pain. The prevalence of this condition is significant and has been reported a high association with temporomandibular dysfunction (TMD). The objective of this study was to determine within the group of patients with FM: (i) the influence of the association of TMD and FM in sleep quality, evaluating the correlation of the severity of facial pain with sleep, as well as degree of daytime sleepiness, (II) determine the prevalence of TMD, report the main features of DTM present in FM. For that 40 women with FM (mean age 53.5 ± 9.2) and 40 women free of FM and chronic pain (CG) (mean age 51.5 ± 11.5) were selected for comparative analysis by means of three questionnaires: RDC / TMD for the diagnosis of TMD, Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI) and Epworth Sleepiness Scale (ESS) to evaluate the sleep pattern. Statistical analysis was performed using the Mann-Whitney test for ordinal variables, Student t test for quantitative variables, total scores from the PSQI, ESS and classification of chronic pain, Spearman correlation test to assess the correlation between facial pain and quality of sleep and Fisher's exact test for analysis of other variables. The results showed that 85% of FM patients reported facial pain compared to 10% of CG. The diagnosis of TMD muscle was much more prevalent in FM (77.5%) being statistically significant difference between groups (<0.0001). As for disc displacement, arthralgia, osteoarthritis and osteoarthritis, no significant difference (> 0.05). The presence of muscle pain during mandibular movements was significantly higher in the FM group (<0.0001). There was no difference between the two groups regarding the presence of joint noises in excursive or no excursive movements (p = 0.654 and p = 0.359, respectively). The limitation of mouth opening was ten times higher in the FM group (p = 0.007). Presence of daytime clenching and grinding were significantly higher in FM (p = 0.013) while the presence of grinding at night was similar in both groups (p = 0.062). The evaluation of sleep patterns showed that FM group had poor quality of sleep with a PSQI mean score of 12.72 vs. 4.62 in CG. Excessive daytime sleepiness was present in 21.3% of the FM sample and was more prevalent in this group (p <0.001). The association between TMD and fibromyalgia did not cause worsening of sleep (> 0.05), but noted that there was a moderate correlation between increased facial pain and worsening the quality of sleep (p <0.0001, r = 0.569). It was observed that signs such as joint noise and self-reported nighttime clenching are not associated with FM, while the self-reported daytime parafunctions, muscle pain during mandibular movements, limited mouth opening and changes in sleep patterns are features present in patients with FM
Subject: Síndrome da disfunção da articulação temporomandibular
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: PIMENTEL, Marcele Jardim. Características de disfunção temporomandibular e qualidade do sono em portadores de fibromialgia. 2011. 60 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/290546>. Acesso em: 19 ago. 2018.
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pimentel_MarceleJardim_M.pdf5.09 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.