Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/290297
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Avaliação do papel do marcador de superfície CD166 na diferenciação osteoblástica/cementoblástica de células mesenquimais indiferenciadas do ligamento periodontal de humanos
Title Alternative: Evaluation of the role of the surface marker CD166 along osteoblastic/cementoblastic differentiation of mesenchymal stem cells from periodontal ligament of humans
Author: Oliveira, Guilherme Henrique Costa, 1988-
Advisor: Silvério, Karina Gonzales, 1976-
Abstract: Resumo: Células mesenquimais isoladas do ligamento periodontal (PDLSCs) de dentes humanos mostraram ser multipotentes e possuem a capacidade de se diferenciar em adipócitos osteoblastos in vitro. Além disso, possuem a capacidade de formar tecido semelhante ao cemento e ao ligamento periodontal quando transplantadas para animais imunossuprimidos. Por outro lado foi mostrado na literatura uma grande heterogeneidade destas linhagens de células e muito tem sido feito na tentativa de isolar grupos com fenótipos mais favoráveis a diferenciação em tecido mineralizado. A literatura aponta que existe uma modulação na expressão do marcador de superfície CD166 durante a diferenciação osteoblástica e a partir destes achados levanta-se a hipótese de sua participação neste processo. Em acréscimo, células positivas para este marcador mostraram alta capacidade de diferenciar-se em fenótipo osteoblástico. Deste modo, este estudo tem como objetivo avaliar se um grupo de células enriquecido para o marcador CD166 através de separação magnética (PDL/CD166+) apresenta maior potencial de diferenciação osteoblástica/cementoblástica quando comparado ao pool de células não separadas (PDL) e ao grupo de células que não foram retidas na coluna magnética (PDL/CD166-). Este estudo ainda se propõe a avaliar se o marcador de superfície CD166 é regulado no processo de diferenciação osteoblástica. Após a separação magnética de três populações celulares, os grupos PDL/CD166+ foram submetidos a citometria de fluxo para que fosse comprovado a alta expressão de CD166. Em seguida os três grupos, PDL, PDL/CD166+ e PDL/CD166- das três populações, foram submetidos aos ensaio de Alizarina para avaliar a capacidade formação de nódulos minerais in vitro, foram ainda caracterizados por real-time PCR para avaliação da expressão de genes relacionados ao fenótipo osteoblástico (fator de transcrição relacionado a Runt-2 -Runx-2; a fosfatase alcalina ¿ ALP ¿ e a osteocalcina ¿ OCN). Nos grupos PDL e PDL/CD166+ também foi avaliado a expressão de CD166 por qPCR e citometria de fluxo. Os grupos enriquecidos apresentaram uma expressão média de 91,5% (±4,3%) de CD166. Apenas um grupo PDL/CD166- de uma população não apresentou depósitos minerais in vitro e foi identificado diferença estatisticamente significante entre os grupos PDL/CD166+ e PDL/CD166- (p<0,05). Quanto a expressão dos marcadores biológicos do tecido ósseo, foi identificado uma tendência a aumento da expressão destes marcadores quando as células foram cultivadas sob indução e ao longo do tempo de cultura. Os grupos cultivados em meio osteogênico apresentaram maior expressão de CD166 por PCRq e também foi identificado que o grupo PDL/CD166+ mostrou uma expressão significativamente maior que o PDL, ambos sob indução (p<0,05). Por citometria de fluxo, foi identificado um acréscimo na expressão de CD166 no terceiro dia de diferenciação nas células PDL/CD166+ e foi estatisticamente significativo comparado ao meio padrão (p<0,05). Ao longo do tempo de cultivo sob indução, a expressão deste marcador foi diminuída. Através dos resultados deste estudo é possível concluir que o grupo enriquecido na expressão de CD166 apresenta um alto potencial de formação de nódulos minerais in vitro. Além disso, foi notado que os três grupos apresentam uma tendência a maior expressão de Runx-2, ALP e OCN quando cultivados em meio osteogênico e que a grande heterogeneidade destas três populações dificulta a identificação de diferenças significativas tanto na análise intergrupo como intragrupo e compromete a identificação de um subgrupo com fenótipo mais favorável a diferenciação osteoblástica. A expressão gênica de CD166 é aumentada sob indução e ao longo do tempo de cultura e por citometria de fluxo observa-se que as células cultivadas em OM tendem a reduzir a expressão deste marcador

Abstract: Mesenchymal stem cells from periodontal ligament (PDLSCs) isolated from human teeth were shown to be multipotent and have the capacity to differentiate into adipocytes and osteoblasts in vitro. Moreover, they have the ability to form cement and periodontal ligament-like tissues when transplanted into immunosuppressed animals. On the other hand, it has been shown in literature a great heterogeneity of these cell lines and much has been done in the attempt to isolate groups with a phenotype more prone to differentiate into mineralized tissues. The literature suggests that there is a modulation of the CD166 surface marker expression during osteoblast differentiation and from these findings it is hypothesized of its participation in this process. In addition, cells positive for this marker have shown strong ability to differentiate into osteoblastic phenotype. Thus, this study aims to assess whether an enriched cell group for the CD166 marker (PDL/CD166+) has greater potential for osteoblastic/cementoblastic differentiation when compared to the not separated cell pool (PDL) and cell group which are not enriched (PDL/CD166-). Then, the three groups PDL, PDL/CD166+ and PDL/CD166- from three populations were submitted to Alizarin red-based assay to evaluate the ability of mineral nodule formation in vitro, groups were further characterized by qPCR for the evaluation of the expression of genes related to the osteoblastic phenotype (transcription factor related to Runt-2 -Runx-2; alkaline phosphatase - ALP - and osteocalcin - OCN). In the PDL and PDL/CD166+ groups the CD166 expression was also assessed by qPCR and flow cytometry. Enriched groups showed an average expression of 91.5% (± 4.3%) of CD166. Only a PDL/CD166- group from one population showed no mineral deposits in vitro and it was identified statistically significant difference between the groups PDL/CD166+ and PDL/CD166- (p <0.05). Regarding the expression of bone tissue biomarkers, it was noted a tendency to increased expression of these markers when cultured under osteogenic induction and along time in culture. Groups cultured in osteogenic medium showed higher expression of CD166 by qPCR and it was also identified that the PDL/CD166+ group showed a significantly higher expression than the PDL group, both under osteogenic induction (p <0.05). By flow cytometry, it was noticed an increase in CD166 expression on the third day of differentiation in PDL/CD166+ cells and it was statistically significant compared to the standard medium (p <0.05). Along time in culture, the expression of this marker was decreased. Through the results of this study it is possible to conclude that the group enriched in CD166 expression has a high potential to form mineral nodules in vitro. In addition, it was noted that the three groups have a tendency to increased Runx-2, ALP and OCN expression when cultured in osteogenic medium and the great heterogeneity of these three populations difficult to identify significant differences both intra and inter-group analysis what may jeopardize the identification of a subgroup with a phenotype more prone to osteoblastic differentiation. Gene expression for CD166 is increased under induction e through culture time and by flow cytometry it is observed that cells cultured in OM tend to reduce the expression of this marker
Subject: Células-tronco
Ligamento periodontal
Regeneração (Biologia)
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Oliveira_GuilhermeHenriqueCosta_M.pdf1.59 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.