Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/289929
Type: TESE
Degree Level: Mestrado
Title: Associação entre a qualidade de vida do idoso e do cuidador e sua relação com o grau de sobrecarga do cuidador e grau de dependência do idoso no município de Santa Cruz do Rio Pardo/São Paulo
Title Alternative: Association between the quality of life of elderly and caregivers and its relation to overload the degree of caregiver and degree of dependence of the elderly in the city of Santa Cruz do Rio Pardo/SP
Author: Pereira, Luizete de Sousa Alexandre, 1959-
Advisor: Possobon, Rosana de Fátima, 1968-
Abstract: Resumo: A expectativa de vida aumentou no mundo e no Brasil e a mudança na pirâmide etária, decorrente desse processo, implica a necessidade de se repensar as políticas sociais, especialmente as da área de saúde. Este estudo teve como objetivo avaliar a associação entre a qualidade de vida do idoso e do cuidador e sua relação com o grau de sobrecarga do cuidador e grau de dependência do idoso no município de Santa Cruz do Rio Pardo/SP. Trata-se de um estudo transversal analítico, realizado com 203 idosos e 164 cuidadores, cadastrados nas unidades de saúde do município de Santa Cruz do Rio Pardo, interior do estado de São Paulo. Foram utilizados os instrumentos de avaliação: Escala MIF para avaliação do grau de dependência do idoso; Escala Zarit para avaliação do grau de sobrecarga do cuidador; Questionário Socioeconômico e Questionário WHOQOL-bref para avaliação da qualidade de vida do idoso e do cuidador; avaliação das condições da saúde bucal dos idosos; questionário de dados relacionados aos medicamentos consumidos, com ou sem prescrição médica, para mensurar a prevalência da automedicação dos idosos. Entre os 203 idosos entrevistados, a maioria era do sexo feminino (68%), na faixa etária entre 60 a 100 anos, de baixa renda, não alfabetizados e arranjo domiciliar com até 3 pessoas na família. Constatou- se a presença de 453 agravos de saúde, ou seja, tipos diferentes de doenças, sendo que 72,4% dos idosos apresentavam mais do que uma patologia. A maior prevalência estava relacionada ao aparelho circulatório (37,5%), sendo que os agravos que mais acometem esse grupo eram a hipertensão arterial essencial (19,2%), seguida de acidente vascular cerebral. Os idosos faziam uso, em média, de 5,5 medicamentos por dia, havendo uma minoria que se automedicava. A média do índice CPO-D foi de 29,3, sendo que 68,4% eram entulhos, 32% usavam prótese total e apenas 5,91% apresentaram alterações em tecido mole, porém sem suspeita de malignidade. Em relação ao grau de dependência, mensurado pela Escala MIF, os resultados mostraram que mais da metade da amostra (53,7%) apresentava dependência moderada ou severa, ou seja, necessitavam de assistência de outra pessoa ou recurso de adaptação para desenvolver suas tarefas básicas diárias. No geral, os idosos apresentaram boa qualidade de vida. Houve associação significativa (p=0,000) entre o grau de dependência do idoso e a sua qualidade de vida. Com relação aos 164 cuidadores entrevistados, observou-se a predominância de mulheres (81,1 %), com idade entre 18 e 89 anos, sendo a maioria de baixa renda, baixa escolaridade e vivendo em arranjos domiciliares com até 3 pessoas na família. A maioria (81,4%) dos cuidadores era informal, sem curso especifico para cuidar de idosos, 85,7% dos cuidadores apresentavam grau de parentesco com os idosos e à responsabilidade de cuidar concentraram-se nos familiares mais próximos, tais como filhos e cônjuges. Mais da metade dos cuidadores (57,4%) relatou ter problemas de saúde, constatando-se 134 agravos. Em relação à sobrecarga de trabalho, mensurada pela Escala Zarit, a maioria dos cuidadores apresentava-se com baixo nível, sendo que não houve associação significativa entre o grau de sobrecarga do cuidador e o grau de dependência do idoso. No geral, os cuidadores apresentaram boa qualidade de vida, havendo associação significativa (p=0,000) entre qualidade de vida e sobrecarga do cuidador. Porém, não houve associação significativa entre o grau de dependência do idoso e a qualidade de vida do cuidador e também entre o grau de dependência do idoso e a sobrecarga do cuidador. Pode-se concluir que a sobrecarga do cuidador influencia sua qualidade de vida. Entretanto, o grau de dependência do idoso não exerce influencia sobre a qualidade de vida do cuidador, o que pode indicar que a sobrecarga do cuidador pode estar relacionada com a responsabilidade do ato de cuidar de uma pessoa de idade, sem importar o seu grau de dependência. Palavras-chaves: Envelhecimento; Idoso e Sobrecarga do Cuidador

Abstract: Life expectancy has increased worldwide and in Brazil and the change in the age structure, resulting from this process implies the need to rethink social policies, especially health care. This study aimed to evaluate the association between quality of life of the elderly and the caregiver and their relation to the degree of caregiver burden and degree of dependency of the elderly in the municipality of Santa Cruz do Rio Pardo / SP. This is an analytical cross-sectional study with 203 elderly and 164 caregivers, registered in health facilities in the municipality of Santa Cruz do Rio Pardo, in the state of São Paulo. Assessment instruments were used: MIF Scale for assessment of the degree of dependency of the elderly; Zarit scale for assessing the degree of caregiver burden; Socioeconomic questionnaire and the WHOQOL-Bref questionnaire for assessing quality of life of the elderly and the caregiver; assessment of the conditions of the oral health of the elderly; questionnaire related to the medications used, with or without medical prescription, to measure the prevalence of self-medication of older data. Among the 203 subjects interviewed, the majority were female (68%), aged between 60 to 100 years, low-income, illiterate and living arrangement with up to 3 people in the family. It was found the presence of health problems 453, or different kinds of diseases, and 72.4% of subjects had more than one pathology. The highest prevalence was related to the circulatory system (37.5%), and the hardships that most affect this group were essential hypertension (19.2%), followed by stroke. The elderly were using, on average, 5.5 medications per day, there is a minority who self-medicated. The average CPO-D index was 29.3, and 68.4% were rubble, 32% wore dentures and only 5.91% had alterations in soft tissue, but without suspicion of malignancy. Regarding the degree of dependence, measured by the MIF scale, the results showed that more than half of the sample (53.7%) had moderate or severe dependence, ie, needed assistance from another person or resource adaptation for development tasks basic daily. Overall, the elderly showed good quality of life. There was a significant association (p = 0.000) between the degree of dependency of the elderly and their quality of life. Regarding the 164 caregivers interviewed, there was a predominance of women (81.1%), aged between 18 and 89 years, mostly low-income, low education and living in household arrangements with up to 3 people in the family. The majority (81.4%) of caregivers were informal, without a specific course to take care of elderly, 85.7% of caregivers had kinship with the elderly and the responsibility of caring focused on close relatives, such as children and spouses. More than half of caregivers (57.4%) reported having health problems, noting were 134 injuries. Regarding workload, measured by the Zarit Scale, most caregivers presented with low level, and there was no significant association between the degree of caregiver burden and the degree of dependence of the elderly. Overall, caregivers showed good quality of life, no significant association (p = 0.000) between quality of life and caregiver burden. However, there was no significant association between the degree of dependency of the elderly and the quality of life of the caregiver and also between the degree of dependency of the elderly and caregiver burden. It can be concluded that caregiver burden affects their quality of life. However, the degree of dependency of the elderly does not exert influence on the quality of life of the caregiver, which may indicate that caregiver burden may be related to the responsibility of the act of caring for an elderly person, regardless of their degree of dependence. Keywords: Aging; Elderly and Caregiver burden
Subject: Envelhecimento
Idosos
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pereira_LuizetedeSousaAlexandre_M.pdf3.1 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.