Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/289807
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Conhecimento e atitudes dos profissionais de saúde frente à violência doméstica infantil : uma revisão sistemática
Title Alternative: Knowledge and attitudes of health professionals facing child domestic violence : a systematic review
Author: Inachvili, Anna Carolina, 1978-
Advisor: Paranhos, Luiz Renato
Abstract: Resumo: A violência doméstica é um problema mundial, que acomete inclusive pessoas do convívio doméstico, sendo as crianças um grupo considerado vulnerável. A Organização Mundial de Saúde reconheceu a violência doméstica como um problema grave de saúde pública e de importante violação dos direitos humanos. Alguns países ainda são acometidos com altos índices de ocorrência, causando um impacto que altera a qualidade de vida do ser humano. O objetivo do presente estudo foi, por meio de uma revisão sistemática da literatura, avaliar o conhecimento e as atitudes dos profissionais de saúde frente à violência doméstica infantil. A fim de responder a seguinte indagação: os profissionais de saúde estão aptos para o diagnóstico, ou seja, para agir de forma correta diante da situação de violência doméstica contra a criança? Assim, uma pesquisa na literatura, com critérios de seleção, sem restrições de período e idioma, foi realizada no dia 25 de março de 2015, nas bases de dados eletrônicas PubMed, SciELO, LILACS, Cochrane e Google Scholar; através da estratégia P.I.C.O., utilizando os descritores: violência doméstica, pessoal de saúde, profissional de saúde, criança, crianças, conhecimento, percepção, diagnóstico e atitudes. Com a busca, 1873 registros foram localizados, 709 excluídos por duplicidade. Após a verificação dos registros duplicados, 1164 trabalhos foram avaliados. Destes, vinte e dois se enquadravam nos critérios de elegibilidade, ou seja, critérios de incluir artigos com análises quantitativa, que apresentassem pesquisa através de questionários aos profissionais de saúde graduados, somente violência contra a criança e citassem lesões em região de cabeça e pescoço. Por consequência, como critérios de exclusão verificaram-se artigos qualitativos, profissionais de saúde em graduação, violência contra adolescentes e regiões de lesão que não incluíssem cabeça e pescoço. Portanto esta análise incluiu vinte e dois artigos, dos quais após avaliação dos textos, notou-se que dentre os profissionais pesquisados, os cirurgiões-dentistas foram os mais questionados pelos estudos eleitos, seguido dos médicos, em terceiro os enfermeiros. Constatou-se que os profissionais de saúde não relatam casos de violência doméstica infantil quando suspeitam da ocorrência na prática clínica, apenas uma pequena parcela destes profissionais o faz. Dentre a principal causa constatou-se a dificuldade no diagnóstico de violência doméstica infantil. Ademais, notou-se os profissionais de saúde desconhecem sobre legislação e o procedimento de notificar. Notou-se ainda, que os profissionais que notificam são os que tiveram maior tempo de treinamento e conhecimento técnico. Deste modo, é possível concluir que os profissionais de saúde não estão aptos para o diagnóstico e agir de forma correta diante da situação de violência doméstica contra a criança. Há, por certo, necessidade de educação continuada sobre o tema

Abstract: Domestic violence is a worldwide problem that affects even people's home environment, children being a group considered vulnerable. The World Health Organization has recognized domestic violence as a serious public health problem and serious breach of human rights. Some countries are still affected with high occurrence rates, causing an impact that alters the quality of life of human beings. The aim of this study was, through a systematic literature review, assess the knowledge and attitudes of healthcare professionals facing child domestic violence. In order to answer the following question: health professionals are able to diagnose, ie, to act properly in the face of domestic violence against children? Thus, a literature search with selection criteria without time and language constraints, was held on March 25, 2015, in electronic databases PubMed, SciELO, LILACS, Cochrane and Google Scholar; through the PICO strategy, using the key words: domestic violence, health personnel, health professionals, child, children, knowledge, perception, diagnosis and attitudes. With the search, 1873 records were located, 709 excluded by duplicity. After checking for duplicate records, in 1164 works were evaluated. Of these twenty-two met the eligibility criteria, ie criteria to include articles with quantitative analysis, to present research through questionnaires to senior health professionals, only violence against children and cite lesions in the head and neck region. Consequently, exclusion criteria there were qualitative articles, health professionals in undergraduate, violence against adolescents and areas of injury that did not include head and neck. Therefore this analysis included twenty-two articles, of which after evaluation of the texts, it was noted that among the professionals surveyed, the dentists were the most questioned by elected studies, followed by doctors, nurses third. It was found that health professionals do not report cases of child domestic violence when they suspect the occurrence in clinical practice, only a small portion of these professionals do. Among the main cause found the difficulty in diagnosing childhood domestic violence. Furthermore, it was noted health professionals are unaware of legislation and the procedure to notify. It was noted also that the professionals that report are those that were more training time and technical knowledge. Thus, one can conclude that health professionals are not able to diagnose and act properly in the face of domestic violence against children. There is certainly need for continuing education on the subject
Subject: Violência familiar
Editor: [s.n.]
Citation: INACHVILI, Anna Carolina. Conhecimento e atitudes dos profissionais de saúde frente à violência doméstica infantil: uma revisão sistemática. 2015. 1 recurso online ( 54 p.). Dissertação (mestrado profissional) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/289807>. Acesso em: 28 ago. 2018.
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Inachvili_AnnaCarolina_M.pdf1.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.