Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/289779
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Influência do alargamento foraminal na anatomia apical e na qualidade de selamento após obturação
Title Alternative: Influence of apical foramen widening on apical foramen morphology and apical sealing
Author: Silva, Juliana Melo da
Advisor: Záia, Alexandre Augusto, 1968-
Abstract: Resumo: Introdução: O objetivo desta pesquisa foi avaliar a influência do alargamento foraminal e limite de instrumentação na alteração da anatomia apical, e na capacidade de selamento após obturação. Métodos: Foram selecionadas cinquenta e cinco raízes palatinas de molares superiores de dentes humanos extraídos. Posteriormente, as amostras foram divididas em três grupos (n=15) de acordo com o comprimento de trabalho, no qual o grupo 1 foi instrumentado a 1mm aquém do forame; o grupo 2 foi instrumentado no limite do forame apical; e o grupo 3 instrumentado a 1mm além do forame. Em todos os grupos foram utilizados instrumentos rotatórios de níquel-titânio, através da utilização de três limas de calibre subsequente ao do primeiro instrumento que se ajustou no comprimento de trabalho, e a obturação foi realizada com cimento AH Plus e guta-percha. Fotomicrografias foram realizadas em microscopia eletrônica de varredura (MEV), para registro da anatomia foraminal antes da instrumentação, após a utilização de cada instrumento, após instrumentação final e após obturação. Além disso, em todos os grupos foi realizada análise pelo teste de infiltração coronária por Enterococcus faecalis, incluindo os controles positivos (n=5) e controles negativos (n=5). Resultados: Os resultados deste estudo mostraram o canal cementário preservado quando a instrumentação é realizada 1mm aquém do forame apical. No que se refere à qualidade da ampliação foraminal não houve diferença estatística entre a ampliação realizada no limite do forame e a ampliação efetuada 1mm além do forame. Quando esta ampliação foi conduzida além do forame apical, maiores foram às ocorrências de desvio foraminal, porém esses desvios não interferiram na qualidade de selamento ou infiltração bacteriana. Conclusões: A análise em microscópio eletrônico de varredura mostrou uma melhor qualidade de selamento apical para os grupos que o alargamento foraminal foi realizado. No entanto o modelo experimental de infiltração bacteriana utilizando Enterococcus faecalis não revelou diferenças entre os grupos experimentais

Abstract: Introduction: The aim of this study was to evaluate the influence of the working length and apical foramen widening on the anatomy of the apical foramen and on the sealing ability after root canal filling. Methods: Fifty-five palatal roots of maxillary molars were selected. The samples were randomly divided into three groups (n=15) according to the different working lengths. Group 1, instrumentation 1 mm short of the major foramen; group 2, instrumentation in the limit of the apical foramen; and group 3, instrumentation 1 mm beyond the foramen. All groups were prepared using nickel-titanium rotary files, the instrumentation was made by enlarging the root canal to at least three times the size of the first file that bound at the working length, and the canals were obturated with AH Plus and gutta-percha. Photomicrographs were taken using a scanning electron microscopy (SEM) before instrumentation, after instrumentation of the apical foramen with each file, and after root canal filling. Moreover, coronal bacterial microleakage with Enterococcus faecalis was performed, including positive controls (n=5) and negative controls (n=5). Results: The cemental canal was uninstrumented when the instrumentation was made 1 mm short of the major foramen. The quality of the apical foramen widening at the limit of the apical foramen and 1 mm beyond the foramen showed no statistical differences. However, instrumentation 1 mm beyond the apical foramen promoted more deviations from the original foramen anatomy, but these deviations do not affect the quality of sealing or bacterial infiltration. Conclusions: Microscopic analysis showed that both widening groups (G2 and G3) resulted in good quality apical foramen obturation. However, statistical analysis of the bacterial leakage showed no statistically significant differences between all of the groups tested
Subject: Endodontia
Ápice dentário
Tratamento do canal radicular
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: SILVA, Juliana Melo da. Influência do alargamento foraminal na anatomia apical e na qualidade de selamento após obturação. 2011. 63 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/289779>. Acesso em: 18 ago. 2018.
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_JulianaMeloda_D.pdf2.66 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.