Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/289695
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Influência do pré-tratamento dentinário com dimetilsulfóxido na resistência de união, exposição de matriz colágena e grau de conversão de sistemas adesivos = Influence of dimethyl sulfoxide-wet bonding technique on dentin bond strength, collagen exposure and monomer conversion of adhesive systems
Title Alternative: Influence of dimethyl sulfoxide-wet bonding technique on dentin bond strength, collagen exposure and monomer conversion of adhesive systems
Author: Stape, Thiago Henrique Scarabello, 1984-
Advisor: Martins, Luís Roberto Marcondes, 1960-
Abstract: Resumo: Essa tese avaliou um novo protocolo adesivo, que consiste no pré-tratamento dentinário com dimetilsulfóxido (DMSO) 50%, com o intuito de otimizar a durabilidade de interfaces adesivas produzidas pelos mecanismos de união convencional e autocondicionante envolvendo o substrato dentinário. Para isso, foram realizados dois estudos independentes para avaliar: (i) o efeito do uso do dimetilsufóxido (DMSO) na resistência de união imediata e na exposição de matriz colágena decorrente da hibridização dentinária na interface adesiva; e (ii) para avaliar o efeito do protocolo proposto na conversão monomérica na camada híbrida e na resistência de união após envelhecimento. Terceiros molares hígidos foram coletados e limpos, a face oclusal foi seccionada, expondo uma superfície dentinária de profundidade média, que foi saturada com uma solução aquosa de DMSO 50% (pH 8.2) após o condicionamento ácido para o sistema convencional de três passos (Adper Scothbond Multi-Purpose: 3M ESPE: SBMP) e previamente a aplicação do sistema autocondicionante de dois passos (Clearfil SE Bond: Kuraray; CF) no substrato mineralizado. Nos grupos controles, as amostras não foram tratadas com DMSO. Os segmentos restaurados com resina composta foram seccionados e submetidos ao ensaio de microtração após 24 h à 0,5 mm/min até a fratura (n=12) e no segundo estudo (n=10), após 1 ano e 2 anos. Foi realizada Two-way ANOVA para análise dos dados imediatos e no segundo estudo foi utilizada ANOVA medidas repetidas (proc mixed), ambos seguidos pelo Teste de Tukey (?=0.05). Foi realizado a análise histomorfométrica (n=12) para avaliação da extensão de matriz colágena exposta na interface adesiva por meio de microscopia ótica e coloração de Tricrômica de Masson após 24 h. Esses dados foram submetidos a Two-way ANOVA, seguido do Teste de Tukey (?=0.05). O grau de conversão monomérica (DC) na camada híbrida foi avaliado por espectroscopia micro-raman após 24 h (n=10), sendo submetidos a One-way ANOVA e Teste de Tukey (?=0.05). A interação entre protocolo adesivo e sistema adesivo influenciou significativamente a extensão de matriz colágena exposta (p<0,0001) e resistência de união imediata (p=0,0091). O protocolo adesivo com DMSO reduziu significativamente o grau de exposição de matriz colágena exposta (SBMP: 85,3% e CF: 61,5%), melhorando a qualidade da hibridização dentinária para ambos sistemas adesivos. Não houve influência negativa do DMSO na conversão monomérica do SBMP (p=0.892); já para o CF, houve aumento na conversão monomérica (p=0.033). O pré-tratamento com DMSO aumentou a resistência de união imediata do SBMP (p<0.0001). Considerando as amostras não tratadas, houve uma redução significativa (SBMP: 45,6% e CF: 36,8%) na resistência de união do SBMP (p<0.0001) e CF (p<0.0001) após dois anos de envelhecimento. Independentemente do tipo de adesivo, não houve diferença estatística na resistência de união entre valores imediatos e após 2 dois anos quando o DMSO foi empregado (p>0,05). A análise dos padrões de falha evidenciou uma tendência na redução no número de falhas adesivas após dois anos para as amostras tratadas com DMSO. Portanto, o protocolo adesivo proposto utilizando o DMSO é uma abordagem promissora para reduzir degradação da interface adesiva para os adesivos convencional e autocondicionante testados

Abstract: This work highlights a new bonding concept using 50% dimethyl sulfoxide (DMSO) as a dentin pre-treatment to optimize resin-dentin bonding for both etch-and rinse and self-etch adhesive systems after long-term aging. Two independent studies were performed: (i) to evaluate the effect of dimethyl sulfoxide wet-bonding technique on resin infiltration depths at the bonded interface and dentin bond strength; and (ii) to examine the effect of dentin pre-treatment with DMSO on the degree of conversion and dentin bond strength after long-term aging. Flat dentin surfaces derived from extracted sound human third molars were saturated with 50% DMSO (pH 8.2) after acid etching for a water-based etch-and-rinse adhesive system (Adper Scothbond Multi-Purpose: 3M ESPE; SBMP), and before acid primer application for a 10-MDP self-etch adhesive (Clearfil SE Bond: Kuraray; CF). In control groups, specimens were not treated with DMSO. The restored tooth segments were sectioned and submitted to microtensile bond strength test at 24 h (n=12), 1 year (n=10) and 2 years (n=10) at 0.5 mm/min until specimen fracture. One slab per tooth (n=12) was stained by Masson Trichrome and the extent of exposed collagen matrix at the bonded interface was evaluated using optical microscopy and a histomorphometric software at 24 h. Statistical analysis of the extension of collagen exposure was performed by two-way ANOVA followed by Tukey Test (?=0.05). The degree of conversion (DC) was measured inside the hybrid layer by micro-raman spectroscopy (n=10) at 24 h. DC statistical analysis was performed by One-way ANOVA and Tukey Test (?=0.05). Immediate microtesnile data was statistically analyzed Two-way ANOVA and aged data was analyzed by repeated measurres ANOVA (proc mixed). Post hoc multiple comparisons were performed by Tukey Test (?=0.05). The interaction between "dentin pre-treatment" and "adhesive system" significantly influence the extent of exposed collagen matrix (p<0.0001) and dentin bond strength (p=0.0091). The adhesive protocol with DMSO significantly reduced the extent of exposed collagen matrix (SBMP: 85.3% and CF: 61.5%), improving the quality of dentin hybridization for both adhesive systems. There was no negative influence of DMSO in monomer conversion for SBMP (p=0.892); nevertheless, there was an increase in monomer conversion (p=0.033) for CF. Dentin pretreatment with DMSO increased the immediate bond strength of SBMP (p<0.0001). Considering the untreated samples, there was a significant reduction (SBMP: 45.6% and CF: 36.8%) on the bond strength of SBMP (p<0.0001) and CF (p<0.0001) after two years of aging. Regardless of adhesive type, no significant reduction in bond strength at two years for DMSO-treated samples was observed. Fracture pattern analysis showed a tendency toward reduction in the number of adhesive failures when the DMSO-wet bonding was performed. Therefore, DMSO-wet bonding is a promising approach to reduce resin-dentin bond degradation of etch-and-rinse and self-etch adhesives
Subject: Adesivos dentinários
Dimetil sulfóxido
Dentina
Envelhecimento
Editor: [s.n.]
Citation: STAPE, Thiago Henrique Scarabello. Influência do pré-tratamento dentinário com dimetilsulfóxido na resistência de união, exposição de matriz colágena e grau de conversão de sistemas adesivos = Influence of dimethyl sulfoxide-wet bonding technique on dentin bond strength, collagen exposure and monomer conversion of adhesive systems. 2015. 60 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/289695>. Acesso em: 27 ago. 2018.
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Stape_ThiagoHenriqueScarabello_D.pdf2.74 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.