Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/289503
Type: TESE DIGITAL
Title: Percepções do agente comunitário de saúde sobre educação e promoção da saúde bucal em unidades de saúde da família = Perceptions of the community health agent on education and oral health promotion in the Family health units
Title Alternative: Perceptions of the community health agent on education and oral health promotion in the Family health units
Author: Rezende, Ana Alexandra de, 1972-
Advisor: Cortellazzi, Karine Laura, 1973-
Mendes, Karine Laura Cortellazzi, 1973-
Abstract: Resumo: Introdução: O Agente Comunitário de Saúde (ACS) tem como principal função o exercício de atividades de prevenção de doenças e promoção da saúde, mediante ações domiciliares, comunitárias, individuais e coletivas. A inclusão da Saúde Bucal (SB) na Estratégia de Saúde da Família (ESF) constituiu um avanço na reorganização das ações de saúde bucal na atenção básica, trazendo novos horizontes e maior segurança ao trabalho do ACS. Objetivo: O presente trabalho foi elaborado no formato alternativo de teses e dissertações sendo composto por um capítulo, cujo objetivo foi conhecer a percepção do ACS em relação às práticas educativas em saúde bucal, em Unidades de Saúde da Família (USF) com e sem Equipes de Saúde Bucal (ESB). Material e Métodos: Trata-se de um estudo transversal descritivo com abordagem qualiquantitativa, realizado no município de Piracicaba, São Paulo, no ano de 2013, a partir de visitas agendadas nas USF. A amostra foi composta por 162 ACS, provenientes de 40 Unidades de Saúde da Família, onde 81 ACS estavam localizados em 20 unidades sem ESB (Grupo 1) e 81 ACS eram procedentes de 17 unidades que possuíam ESB (Grupo 2). Os dados foram coletados por um único pesquisador, por meio de uma entrevista semiestruturada com as seguintes questões norteadoras abertas: 1) Há situações que tem dificuldade em fazer educação em saúde bucal? 2) Quais sugestões você daria para o aprimoramento de suas atividades visando à promoção da saúde? As respostas foram analisadas através da técnica qualiquantitativa do Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: A maioria dos ACS era do sexo feminino, residia no bairro e atuava na unidade há mais de 48 meses. Os elementos identificados nos discursos apontaram que uma parcela significativa dos ACS entrevistados teve dificuldade de fazer educação em saúde bucal. No que diz respeito às dificuldades técnicas específicas, 30,35% dos entrevistados que trabalham sem ESB relataram esse elemento como dificultador, enquanto que dentre os ACS que trabalham com ESB, tais dificuldades também foram descritas, porém de forma menos prevalente (12,67%). A falta de material e a resistência dos usuários foi uma ideia relatada por ambos os grupos. Chamou atenção, também, o anseio por Educação Continuada e Cursos de Capacitação, queixas presentes no discurso da maioria dos entrevistados dos dois grupos. Conclusão: Os ACS reconhecem a importância da ducação e da Promoção da Saúde bucal, no entanto, enfrentam grandes dificuldades para realizá-las, pois lhes faltam estrutura, conhecimentos específicos na área e domínio de abordagens de ensino-aprendizagem adequadas sobre os assuntos relacionados à saúde bucal

Abstract: Introduction:The community health agent's (CHA) main function is the exercise of disease prevention activities and promoting health throught home, community, individual and collective actions. The inclusion of Oral Health (OH) in the Family health strategy (FHS) represented a step forward in the reorganization of oral health actions in primary care, bringing new horizons and greater safety at the CHA's work. Objetive: This presente study was done in an alternative format of theses and dissertations being composed by a chapter, to better understand the CHA's perceptions regarding educational practices in oral health, in Family Health Units (FHU) with and without Oral Health Teams (OHT). Material and methods: This is a descriptive cross- sectional study with qualiquantitative approach, accomplished in Piracicaba, São Paulo, in the year of 2013, from visits scheduled at FHU. The sample consisted of 162 CHA, from 40 Family health units, were 81 CHA were located in 20 units wihout OHT (Group 1) and 81 CHA were from 17 units with OHT (Group 2). Data were cpllected by a single ressearcher, using a semi- structured interview with the following open guiding question: 1) Are there situations with difficulty in making oral health education? 2) What suggestions would you give for your activities' improvement aiming health promotion? The responses were analyzed by qualiquantitative technique of Collective Subject Speech. Results: CHA's most part was women, lived in the neighborhood and worked in the unit for more than 48 months. The identified elements in speeches pointed out that a significant portion of CHA found it difficult to make education in oral health. As regards the specific technical difficulties, 30,35% of respondentes who work without OHT reported that elemento as a problem, while among CHA working with OHT, these difficulties have also been described, but in a less prevalente form (12,67%). The lack of material and the strength of the users was a reported idea for both groups. It also Drew attention the yeaming observed in most speeches of both groups for Continuing Education and Training courses. Conclusion: CHA recognize the importance of Education and Oral Health Promotion, however, they face great difficulties to carry them out because they lack structure, specific knowledge in the área field of appropriate teaching and learning approaches related to oral health
Subject: Educação em saúde bucal
Agentes comunitários de saúde
Estratégia Saúde da Família
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rezende_AnaAlexandrade_M.pdf1.29 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.