Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/289338
Type: TESE
Title: Eficácia anestésica das soluções de articaína 4% (em infiltração vestibular) e lidocaína 2% (em bloqueio do nervo alveolar inferior), associadas à epinefrina 1:100.000, em molares inferiores com pulpite irreversível
Title Alternative: Anesthetic efficacy of 4% articaine (mandibular infiltration) and 2% lidocaine (alveolar nerve block), associated with 1:100.000 epinefrine, in lower molars with irreversible pulpits
Author: Monteiro, Maria Rachel Figueiredo Penalva, 1984-
Advisor: Almeida, José Flávio Affonso de, 1979-
Abstract: Resumo: Processos inflamatórios com pulpite irreversível podem promover alterações que levam à hiperalgesia e alodínia, tornando mais difícil a obtenção de anestesia local efetiva. Este estudo teve como objetivo avaliar a eficácia anestésica de duas soluções e técnicas anestésicas em molares inferiores com pulpite irreversível, comparando a técnica infiltrativa vestibular mandibular com a solução de articaína 4% (grupo 1) com a técnica de bloqueio dos nervos alveolar inferior e lingual com o uso da lidocaína 2% (grupo 2), ambas associadas à epinefrina 1:100.000. Também foi avaliada a eficácia da técnica inicial mais uma complementação (técnica infiltrativa- articaína com técnica intraligamentar- articaína e, bloqueio- lidocaína com técnica infiltrativa- articaína) entre os grupos e comparadas às eficácias anestésicas da técnica inicial e técnica inicial mais uma complementação no mesmo grupo. Além disso, foi avaliada a relação entre o desempenho da articaína e a espessura da cortical óssea vestibular e a distância das raízes mesial e distal à mesma cortical, por meio de tomografia computadorizada ¿Cone Beam¿. Para tal, foram distribuídos 43 voluntários em 2 grupos experimentais 43 pacientes (28 do grupo 1; 15 do grupo 2) com molares inferiores diagnosticados com pulpite irreversível. Todos foram orientados a preencher escalas analógicas visuais (EAV) para demonstrar a intensidade de dor anteriormente ao tratamento (calibração), durante o exame de diagnóstico clínico (endofrost) e após 5 e 10 minutos da aplicação da anestesia. Foram considerados sucessos os casos tratados sem dor com a técnica inicial e com a técnica inicial mais complementação anestésica. Não foi observada diferença estatisticamente significante (p=0,0955) para a técnica inicial (articaína 4% sucesso de 39,7% e lidocaína 2% sucesso de 13,3%) nem para a técnica inicial mais uma complementação quando comparados os grupos (p=0,7448). No entanto, quando analisado o mesmo grupo, foi encontrada diferença estatisticamente significante para a técnica inicial mais complementação anestésica no grupo da lidocaína (p=0,0025). Em relação à análise tomográfica, não houve influência da espessura da cortical óssea vestibular e da distância entre as raízes mesial e distal até a mesma cortical óssea no desempenho da articaína (p>0,05). Concluiu-se que, a infiltração com articaína obteve desempenho semelhante ao bloqueio com lidocaína pela técnica inicial ou após complementação anestésica e que a espessura da cortical óssea e a distâncias das raízes à cortical óssea não tem relação direta com o sucesso ou insucesso da eficácia anestésica da articaína.

Abstract: Inflammatory process due to irreversible pulpits can cause hyperalgesia and allodynia that can difficult proper profound local anesthesia. The main goal of this study was to evaluate the anesthetic efficacy of two initial techniques and solutions in mandibular molars, one in mandibular infiltrations with 4% articaine (group 1) an alveolar nerve block with 2% lidocaine (group 2), both with 1:100.000 epinephrine. Likewise, evaluated the efficacy of the initial technique and one supplemental injection between groups and inside the same group (mandibular infiltration and intraligamentary infiltration both with articaine and alveolar nerve block with lidocaine and mandibular infiltration with articaine) and the relationship of success and failure of articaine with buccal cortical thicknesses and mesial and distal root distance to the same cortical (cone beam tomography). Data (43 volunteers), admitted with a clinical diagnostic of irreversible pulpits, were randomized into two experimental groups (28 from group 1 and 15 from group 2). All patients were instructed to assess their pain in a visual analogue scale (VAS) before treatment, after cold testing and 5 and 10 minutes after the injection. Success criteria were painless treatment with only an initial anesthesia or adding one supplemental injection. There was no statistic difference between group 1 (39.7%) and group 2 (13.3%) (p=0.0955) with the initial technique and with one supplemental injection when groups were compared (p=0.7448). However, there was statistical difference when analyzed inside the same group for lidocaine (p=0.0025). Yet, no statistical difference was observed in tomography evaluation between articaine efficacy and buccal cortical thickness in mesial and distal root or between articaine efficacy and mesial and distal root distance to the buccal cortical (p>0.05). It was concluded that articaine was similar to lidocaine effectiveness with the initial technique or with one supplemental injection and that the buccal cortical thickness and the mesial and distal root distance to the same cortical had no relationship to the success or failure of articaine efficacy.
Subject: Tomografia
Inflamação
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Monteiro_MariaRachelFigueiredoPenalva_M.pdf1.25 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.