Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/288795
Type: TESE
Title: Redução de estresse e de não colaboração em pacientes odontopediatricos : avaliação da eficacia de intervenção psicologica
Title Alternative: Stress and uncooperative behavior reduction in dental children patients : evaluation of psychological intervention's effectiveness
Author: Costa, Ludmila da Silva Tavares, 1983-
Advisor: Possobon, Rosana de Fátima, 1968-
Abstract: Resumo: O choro e o movimentar-se de modo nervoso podem ser considerados como respostas típicas de estresse, ou seja, conseqüências comportamentais da exposição a estímulos aversivos, tal como ocorre durante o tratamento odontológico. Isso sugere a necessidade da realização de intervenções psicológicas a fim de diminuir o nível de estresse da criança exposta à situação de tratamento. O objetivo deste estudo foi investigar a eficiência de estratégia psicológica de dessensiblização, com sessões planejadas para a adaptação da criança ao tratamento, visando à diminuição do nível de estresse verificado através do nível de cortisol salivar e o aumento do grau de colaboração do paciente durante o tratamento preventivo. A amostra foi composta por 10 crianças participantes dos programas oferecidos pelo Centro de Pesquisa e Atendimento para Pacientes Especiais (Cepae) da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP-Unicamp) (faixa etária de 40 a 52 meses) que manifestavam comportamentos de não colaboração durante os procedimentos odontológicos preventivos. As sessões experimentais foram planejadas com passos de aproximação sucessiva ao objetivo final, que era a realização de todos os procedimentos preventivos com colaboração da criança. O estresse experimentado pela criança, antes e depois das sessões experimentais, foi investigado por meio da avaliação dos níveis salivares de cortisol. Os resultados mostraram diferença significativa entre a média de comportamentos de não colaboração emitidos pelas crianças nas sessões inicial (44,6 ± 16,72) e final (5,40 ± 3,92) e diminuição da média da concentração de cortisol salivar entre a consulta inicial (0,65 ± 0,25 µg/dL) e final (0,24 ± 0,10 µg/dL). Após as sessões de dessensibilização, houve diminuição significativa dos comportamentos não colaboradores como choro, movimento nervoso, apreensão e esquiva, evidenciando a eficiência da estratégia. Conclui-se que a atuação de um profissional de Odontologia, preparado para lidar com questões comportamentais, pode contribuir para diminuir o grau de aversividade relacionada à situação de tratamento, melhorando o comportamento da criança durante a realização dos procedimentos clínicos e evitando a sua exposição à situações estressantes.

Abstract: Crying and moving around nervously can be considered as typical stress responses, therefore behavioral consequences of aversive stimuli exposure, such as what happens during dental treatment. This suggests the need for psychological treatments in order to reduce the levels of stress in the children exposed to these procedures. The objective of this study was to investigate the effectiveness of the desensitization psychological strategy, with planned sessions for the child's adaptation to the treatment, aiming to de decrease the stress levels (verified by the level of salivary cortisol) and the increase levels of collaboration of the patient during the preventive treatment. The sample was made up of 10 participating children form de Cepae-FOP-Unicamp (age range of 40 to 52 months) that presented non cooperation behavior during preventive dental procedures. The experimental sessions were planned with successive approximation steps to the final goal, which were the completion of all preventive procedures in collaboration with the child. The stress experienced by the child, before and after the experimental sessions, was investigated by evaluating the cortisol salivary levels. The results showed a significant difference between the average behavior of non cooperation issued by children in the initial sessions (44,6 ± 16,72) and final (5,40 ± 3,92) and a decrease in the average concentration of salivary cortisol in the initial session (0,65 ± 0,25 µg/dL) and the final (0,24 ± 0,10 µg/dL). Even more, after the desensitization sessions, there was a significant decrease of non cooperative behaviors as crying, nervous movements, apprehension and elusiveness. Concluding that the performance of the dentistry professional, prepared to deal with behavioral issues can contribute to lower the level of rejection related to the treatment, improving the behavior of the child during the clinical procedures and avoiding exposure to stressful situations.
Subject: Cortisol
Comportamento humano
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2009
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Costa_LudmiladaSilvaTavares_M.pdf748.95 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.