Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/288649
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Força máxima da língua em pacientes com bruxismo
Title Alternative: Tongue force in subjects with bruxism
Author: Meirelles, Lis, 1986-
Advisor: Rodrigues-Garcia, Renata Cunha Matheus, 1964-
Abstract: Resumo: O bruxismo é assunto de intensa investigação na área odontológica e está correlacionado a fatores emocionais e a eventos de estresse experimentado pelos indivíduos. Uma vez que o hábito de ranger de dentes pode levar a edentações na língua, este estudo avaliou a força da língua em pacientes bruxistas antes e após a terapia por meio de placas oclusais estabilizadoras. Para tanto, voluntários foram selecionados na Faculdade de Odontologia de Piracicaba - UNICAMP e separados em dois grupos: (1) com bruxismo (experimental, n=20), e (2) sem bruxismo (controle, n=20), selecionados segundo os critérios de inclusão. O diagnóstico de bruxismo foi realizado por meio de exame clínico com identificação de sinais e sintomas e por meio da utilização de eletromiografia portátil, Bitestrip®. Posteriormente, todos os voluntários tiveram a força da língua avaliada por meio de sensores de pressão (T0 ¿ baseline). A seguir, os voluntários do grupo experimental receberam placa oclusal estabilizadora, como controle para o bruxismo; e os do grupo controle receberam placa palatina (placebo), sendo todos os voluntários instruídos a utilizá-las durante o sono. Após 30 e 60 dias de uso das placas, a força da língua foi reavaliada. Os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância para medidas repetidas, seguido pelo teste de Tukey para comparações múltiplas. Todos os cálculos foram efetuados com uso do sistema SAS e o nível de significância adotado foi de 5%. Foi verificado que pacientes com bruxismo apresentaram os maiores valores de força da língua (P=0,0027). A utilização de placa oclusal estabilizadora e de placa palatina reduziu (P<0,05) a força máxima da língua para o grupo experimental e controle, que ocorreu independentemente da região da língua. Em acréscimo, observou-se que a língua apresenta maior força na arcada dentária inferior (P<0,05). Pode-se concluir que indivíduos bruxistas apresentam maior força da língua quando comparados àqueles com ausência desse hábito, e o uso da placa oclusal estabilizadora e placa palatina são capazes de diminuir a força da língua

Abstract: Bruxism is a subject of intense research in the dental field and it is correlated with emotional factors and stress events experienced by individuals. Once the habit of teeth grinding can lead to indentations on the tongue, this study assessed the strength of the tongue in bruxism patients before and after therapy by occlusal splints. Volunteers were recruited from Piracicaba Dental School - UNICAMP and divided into two groups: (1) volunteers with bruxism, (experimental, n=20) and (2) volunteers without bruxism (control, n=20), selected according to the inclusion criteria. The diagnosis of bruxism was performed by clinical examination and the use of eletromiographic disposable Bitestrip®. Subsequently, all participants underwent a test to verify the tongue strength by means of pressure sensors (T0 ¿ baseline). Next, the volunteers in the experimental group received occlusal splints as a treatment for bruxism, and those from the control group received an oral appliance (placebo). Subjects from both groups were instructed to use splints during night. After 30 and 60 days of splint use, tongue pressure was reassessed. The results obtained were submited to analysis of variance for repeated measures, followed by Tukey test for multiple comparisons. All calculations were performed using the SAS system and the level of significance was set at 5%. Subjects with bruxism showed the highest values of tongue strength (P=0.0027). The use of occlusal splints and oral appliance reduced (P <0.05) the maximum tongue strenght for experimental and control groups, independent of tongue region. In addition, it was observed that tongue has greater strength in mandibular jaw (P <0.05). In conclution, subjects with bruxism have a higher tongue strength compared with non-bruxers and the use of occlusal splints and oral appliance are able to decrease tongue strength
Subject: Bruxismo do sono
Hábitos linguais
Placas oclusais
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Meirelles_Lis_M.pdf1.31 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.