Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/288611
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Estudo de microdureza e profundidade de lesões de cárie artificiais produzidas por diferentes métodos
Title Alternative: Evaluation of dentin caries like-lesions produced by different models
Author: Pacheco, Larissa Ferreira, 1983-
Advisor: Puppin-Rontani, Regina Maria, 1959-
Abstract: Resumo: A utilização de materiais restauradores unidos ao substrato dentinário tem sido um desafio que vem sendo superado nos últimos anos. Pesquisas têm conseguido aperfeiçoar a união dos materiais ao substrato dentinário, porém, a maioria dos estudos utiliza dentina hígida, uma vez que a utilização da dentina após remoção de cárie, isto é o substrato dentinário afetado pela cárie torna as pesquisas de difícil execução. Dentre os principais motivos destaca-se a difícil seleção de lesões similares, sendo, portanto um desafio para os pesquisadores pela variabilidade encontrada nos resultados não se alcançando a devida evidência científica para a aplicação das técnicas de união. A fim de aprimorar os estudos sobre este tipo de substrato, o objetivo deste estudo foi avaliar diferentes modelos de produção de cárie: modelo biológico e modelo in situ, comparando-os quanto a microdureza e profundidade de cárie à lesão de dentes extraídos com cárie. Foram utilizados 15 terceiros molares, compreendendo 5 dentes extraídos com cárie (cárie oclusal de profundidade média - C, grupo controle), 10 dentes eram hígidos, dos quais 5 foram utilizados para o modelo de produção de cárie in situ (IS) e 5 para o modelo biológico (MB). De todos os dentes foram obtidos blocos de dentina de 4x4x2 mm. Os blocos de dentina hígida foram analisados quanto à microdureza de superfície (SMH) e depois submetidos ao processo de cárie artificial. Após o desafio cariogênico, os blocos dos 3 grupos (C, IS, e MB) foram seccionados longitudinalmente ao centro obtendo-se dois hemi-blocos um dos quais foi submetido à análise da microdureza longitudinal (CSMH), e o outro à análise em Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV). A microdureza longitudinal foi medida em 4 colunas com 8 pontos diferentes (com distância de 20µm entre as cinco indentações iniciais e 100µm entre as três finais), obtendo-se uma média de medidas por bloco. Os hemi-blocos restantes foram submetidos à análise em MEV para verificação da profundidade da lesão (X25 e X200), que foi medida na região mais profunda de cada uma delas. Os dados obtidos na análise da microdureza de superfície e longitudinal da lesão foram submetidos ao teste t, ANOVA e teste de Tukey, respectivamente (p<0,05). E os dados obtidos na análise de profundidade da lesão pelo MEV foram submetidos a ANOVA e teste de Tukey (p<0,05). Os resultados da microdureza de superfície após a produção de cárie mostrou que houve diferença significante entre os modelos de produção de cárie biológico e in situ, sendo que o modelo biológico não diferiu da lesão de cárie natural. Na microdureza longitudinal o modelo in situ apresentou nenhuma diferença estatística da cárie natural, mas o menor valor de CSMH foi observado na cárie produzida pelo modelo biológico. Na análise do MEV a lesão de cárie em dentina produzida pelo modelo biológico e a dentina cariada naturalmente tiveram profundidades similares, e o modelo in situ apresentou a menor profundidade de lesão de cárie. Baseado nos resultados obtidos neste estudo, foi concluido que os dois métodos de produção de cárie mostraram características similares ao da lesão de cárie natural em dentina nos diferentes testes realizados: microdureza de superfície e longitudinal, e Microscopia Eletrônica de Varredura.

Abstract: The use of restorative materials attached to the dentin substrate has been a challenge that has been overcome in the last years. Research has been able to improve the bonding between the materials and dentin substrate, however, the most studies use sound dentin, since the use of dentin after caries remove, such as dentin substrate affected make research difficult to perform. Among the main reasons stand the difficult selection of similar lesions, and, therefore a challenge to the researchers for the variability found in the results not reaching the proper scientific evidence for the application of bonding techniques. In order to improve the researches about this specific substrate, the aim of this study was to evaluate different models to produce caries, using the biological model, and the in situ model, comparing them about the cross-sectional microhardness and caries depth with the natural carious lesion, thus, extract teeth with caries dentin. Were used 15 third molars, including 5 teeth with natural caries (occlusal caries with average depth- CN), 10 teeth were sound, which 5 were used for the in situ production model of caries (IS) and 5 for the biological model (MB). Of all the teeth were obtained dentin samples with 4x4x2mm. Sound dentin samples were submitted to surface microhardness analysis and after to artificial caries process. After the cariogenic challenge, samples of the three groups (CN, IS, e MB) were cross sectioned to the center obtaining two sections which one was submitted cross-sectional microhardness analysis (CSMH) and the other to Scanning Electron Microscopy (SEM). Samples were analyzed as cross-section hardness in 4 columns with 8 different points (with a distance of 20µm between the first five indentations and 100µm between the last three) obtaining average measures for sample. The rest of sections were submitted to analysis by SEM to check the depth of the lesion, which was measured in the deepest region of each one. The data obtained by microhardness analysis and the depth lesion by SEM were submitted to ANOVA 2 criteria and t test, and ANOVA and Tukey test, respectively (p<0,05). Results of surface microhardness after to artificial caries process showed significantly difference between biological model and in situ model, and the biological model had no difference to natural caries. In the cross-sectional microhardness in situ model present no statistically difference from natural caries, but the lowest CSMH was observed for biological model of caries producing. SEM analysis, the artificial carious dentin lesions produced by biological model and natural carious dentin had similar depth, and the in situ model had the lowest depth of carious lesion. Based on the obtained results of this study it was concluded that both methods showed similar characteristics to natural caries dentin but concerning different tests: surface and cross-sectional microhardness, and scanning electron microscopy.
Subject: Dentina
Cárie dentária
Microscopia eletrônica de varredura
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pacheco_LarissaFerreira_M.pdf2.67 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.