Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/288433
Type: TESE
Title: Avaliação da disfunção orofacial, performance mastigatória, oclusão e morfologia craniofacial em crianças e adolescentes
Title Alternative: Evaluation of orofacial dysfunction, masticatory performance, occlusion and craniofacial morphology in children and adolescents
Author: Marquezin, Maria Carolina Salomé, 1987-
Advisor: Castelo, Paula Midori, 1978-
Abstract: Resumo: O conhecimento das influencias funcionais, ambientais e genéticas sobre o crescimento e desenvolvimento craniofacial é abrangente e difícil de quantificar, mas de suma importância para a prevenção de alterações que possam influenciar negativamente o desenvolvimento adequado dos maxilares e estruturas relacionadas. Sendo assim, a pesquisa teve o objetivo de avaliar a relação entre disfunção orofacial, morfologia craniofacial e da oclusão, força de mordida (FM) e performance mastigatória (PM) em crianças e adolescentes. Três estudos foram conduzidos e serão apresentados a seguir na forma de capítulos. O primeiro e segundo estudos buscaram avaliar a relação entre disfunção orofacial, PM, morfologia craniofacial e da oclusão, FM e bruxismo do sono. Para tanto, foram incluídas 316 crianças e adolescentes, de ambos os gêneros, divididas em quatro grupos: sujeitos com dentição mista inicial (n=20), mista intermediária (n=73), mista final (n=89) e permanente (n=134). A PM foi avaliada pela técnica de peneiragem, estimando-se a capacidade individual do sujeito em triturar um alimento-teste e determinando o tamanho mediano das partículas (X50) e a distribuição das mesmas nas diferentes peneiras (b). As disfunções orofaciais e a necessidade de tratamento ortodôntico foram avaliadas por meio do instrumento The Nordic Orofacial Test Screnning (NOT-S) e pelo Índice de Necessidade de Tratamento Ortodôntico (IOTN), respectivamente. A máxima FM foi mensurada utilizando-se um gnatodinamômetro digital e a morfologia craniofacial foi avaliada por meio de análise cefalométrica em norma lateral e frontal. A presença de bruxismo do sono também foi verificada por meio da avaliação de facetas de desgaste em incisivos e/ou primeiros molares permanentes e do relato de sons de ranger/bater os dentes pelos responsáveis/irmãos. Os resultados foram submetidos à estatística descritiva, testes de normalidade e correlação, análise de variância e regressão linear múltipla para se verificar quais variáveis em estudo contribuíram para a variação em X50 e nos escores do NOT-S. A variância de X50 e b mostrou-se estatisticamente significativa entre os grupos; já os escores do NOT-S não mostraram diferença entre as fases das dentições. Idade, índice de massa corporal, FM e presença de bruxismo relacionaram-se significativamente com uma melhor PM. A presença de selamento labial e maior trespasse vertical relacionaram-se com menores escores totais do NOT-S, enquanto a idade e a presença de bruxismo exacerbaram os escores de disfunção orofacial. Além disso, não foi observada correlação significativa entre morfologia craniofacial e escores de disfunção orofacial. Concluiu-se que o índice de massa corporal, força de mordida e presença de bruxismo contribuíram para uma melhor PM; enquanto o aumento nos escores de disfunção orofacial relacionou-se a uma PM prejudicada. Além disso, o aumento do trespasse vertical e a presença de selamento labial relacionaram-se a menores escores de disfunção orofacial em indivíduos jovens. O terceiro capítulo aborda o estudo do dimorfismo facial e sua relação com as dimensões craniofaciais e dos arcos dentários e espessura ultrassonográfica do músculo masseter em crianças na fase de dentição mista. O estudo envolveu 32 crianças (14?/18?), com oclusão normal, e avaliou as dimensões craniofaciais por meio de telerradiografias em norma frontal. Os resultados foram submetidos à estatística descritiva, teste de normalidade, teste ?t? e regressão linear múltipla para se verificar a diferença entre os gêneros e quais variáveis contribuíram para a variação da medida da largura facial. Apesar da comparação da largura facial entre gêneros ter mostrado diferença significativa, quando se verificaram quais variáveis em estudo contribuíram para esta variação, observou-se que o índice de massa corporal, espessura do masseter, distância intermolares inferiores e intercaninos superiores e largura intermolar maxilar foram as variáveis significativamente relacionadas com a largura facial, enquanto o gênero não alcançou nível significativo. Concluiu-se assim que as variáveis funcionais e morfológicas do sistema estomatognático mostraram forte relação com a largura da face

Abstract: Knowledge of the functional, environmental and genetic influences on the craniofacial growth and development is comprehensive and difficult to quantify, but very important to prevent changes that may affect the proper development of the jaws and related structures. Therefore, this study aimed to evaluate the relationship between orofacial dysfunction, occlusal and craniofacial morphology, bite force (BF) and masticatory performance (MP) in children and adolescents. Three studies were conducted and are presented below in the form of chapters. The first and second study aimed to evaluate the relationship among orofacial dysfunction, MP, occlusal and craniofacial morphology, BF and sleep bruxism. The sample included 316 children and adolescents of both genders, divided into four groups: subjects with early (n=20), intermediate (n=73), late mixed (n=89) and permanent (n=134). MP was assessed by sieving technique and verifying the individual's ability to comminute an artificial test food in order to determine median particle size (X50) and distribution of particles in the different sieves (?b?). The orofacial dysfunction and need for orthodontic treatment were evaluated using the instrument The Nordic Orofacial Test-Screnning (NOT-S) and the Index of Orthodontic Treatment Need (IOTN), respectively. Maximum BF was measured using a digital gantodinamometer and craniofacial morphology was assessed by means of lateral and posteroanterior cephalometric analysis. The signs and symptoms of sleep bruxism were recorded taking into account the presence of shiny and polish facets on incisors and/or first permanent molar and sibling/parental report of grinding sounds. The results were submitted to descriptive statistics, normality and correlation tests, analysis of variance and multiple linear regression to determine which variables significantly contributed to X50 and scores on NOT-S variation. The variance of b and X50 were statistically significant between groups, whereas scores of NOT-S showed no difference among the stages of dentition. Age, body mass index, BF and the presence of bruxism was significantly correlated with better MP. The presence of closed lip posture and increased overbite measurements were related to lower total scores on NOT-S, whereas age and the presence of bruxism exacerbated orofacial dysfunction scores. In addition, a significant relation between craniofacial morphology and orofacial dysfunction was not found. It was concluded that body mass index, BF and the presence of sleep bruxism contributed to a better PM, while the increase in the scores of orofacial dysfunction was related to a worse PM. In addition, increased overbite measurement and closed lip posture related to lower scores of orofacial dysfunction in young individuals. The third chapter discusses the study of facial dimorphism and its relation with craniofacial and dental arches dimensions and ultrasonographic thickness of the masseter muscle in children in the mixed dentition. The study included 32 children (14?/18?) with normal occlusion and craniofacial dimensions were assessed by frontal radiographs. The results were submitted to descriptive statistics, normality test, "t" test and multiple linear regression to determine the difference between genders and which variables significantly contributed to the variation in facial width. Although the comparison of facial width between genders have shown significant differences, when the others studied variables were tested, it was observed that body mass index, masseter thickness, lower intermolar distance, upper intercanines distance and maxillary intermolar width were the variables that significantly related to facial width, while gender did not reach significant level. It was concluded that the functional and morphological variables of the stomatognathic system showed a strong relation with face width
Subject: Oclusão dentária
Bruxismo
Odontopediatria
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2012
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Marquezin_MariaCarolinaSalome_M.pdf2.01 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.