Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/288124
Type: TESE
Title: Avaliação da dureza Knoop e da resistencia de união de restaurações em composito apos diferentes protocolos de fotoativação
Title Alternative: Knoop hardness and bond strength evaluation of composite restorations after different photoactivation protocols
Author: Dall'Magro, Eduardo
Advisor: Sinhoreti, Mário Alexandre Coelho, 1969-
Abstract: Resumo: Este estudo apresenta três experimentos na mesma linha de pesquisa. No primeiro estudo, foi avaliada a resistência de união através do método push out e a dureza Knoop do compósito dental Z250 (3MIESPE) fotoativado utilizando o aparelho de lâmpada halógena XL2500 (3M/ESPE) sob diferentes protocolos de fotoativação: modo contínuo (CH) (700 mW/cm2) por 20 segundos; modo contínuo de baixa intensidade (CL) (150 mW/cm2) por 20 segundos; e, pulse-delay com ativação na intensidade de 150 mW/cm2 por 2s(P2), 3s(P3), 5s(P5), 1 Os(P1 O) ou 15 segundos (P15), seguindo-se 1 minuto de espera, e complementado por 700 mW/cm2 por mais 20 segundos. Para o teste de push out, após a fotoativação, os corpos-de-prova foram armazenados a 37°C :I: 1 por 24h :t 1 até serem desgastados e polidos, e, os valores de resistência à união foram observados numa máquina de ensaio universal (Instron) com célula de carga de 500 N e velocidade de 0,5 mm/min. Para o ensaio de dureza, a fotoativação seguiu o mesmo protocolo. Após a confecção, as amostras foram embutidas em resina de poliestireno e submetidas ao acabamento e polimento com lixas d'água, a fim de obter as medidas de dureza, na superfície, a 1 mm, 2, 3, 4, e 5 mm de profundidade, num durometro (HMV 2, Shimadzu), utilizando carga de 50g, por 15 segundos. Os dados foram submetidos à Análise de Variância e as médias ao teste de Tukey (5%). Os resultados de resistência à união mostraram que o grupo P5, apresentou valor de resistência de união significantemente maior que os demais grupos. O grupo CL apresentou resistência de união menor que o grupo anteriormente citado, mas superior aos demais grupos. Não houve diferença estatística significativa entre os grupos P2, P3, P10, P15 e CH. A dureza Knoop mostrou que os grupos CH e P15 apresentaram as maiores médias de dureza na superfície e até 4 mm de profundidade. Os corpos-de-prova do grupo CL apresentaram as menores médias de dureza. Na profundidade de 3 mm , a dureza Knoop de todos os grupos foi estatisticamente inferior a da superfície. O segundo experimento avaliou a resistência de união através do método de push out e a dureza Knoop do compósito odontológico Z250 (3M/ESPE), fotoativado com o aparelho de lâmpada halógena XL2500 (3MIESPE), utilizando diferentes protocolos de fotoativação: modo contínuo (700 mW/cm2 por 20s) (CO); soft-staft (50 mW/crn2 por 5s, seguido por 700 mW/crn2 for 15s) (551); soft-start (100 mW/crn2 por 5s, seguido por 700 mW/cm2 por 15s) (552); soft-start (150 mW/crn2 por 5s, seguido por 700 mW/crn2 por 15s) (553); soft-start (200 mW/crn2 por 5s, seguido por 700 mW/cm2 por 15s) (554); soft-start (250 mW/cm2 por 5s, seguido por 700 mW/cm2 por 15s) (555); soft-start (300 mW/crn2 por 5s, seguido por 700 mW/crn2 por 15s) (556). Os testes de push out e de dureza Knoop foram realizados como no primeiro experimento. Os dados foram submetidos à Análise de Variância e as médias ao teste de Tukey (5%). Os resultados mostraram que o grupo 553, obteve a maior resistência de união quando comparado ao grupos. Não houve diferença estatística entre os outros modos soft-start em relação aos demais grupos. Os outros resultados de dureza, não apresentaram diferença estatística entre os grupos na região de superfície e até 4 mm de profundidade. Também foi observado que para cada grupo, não houve diferença estatística entre a região de superfície até a profundidade de 2 mm. O terceiro experimento avaliou a resistência de união através do método de push out do compósito odontológico Z250 (3M/E5PE), fotoativado com o aparelho de lâmpada halógena XL2500 (3MIE5PE), utilizando diferentes protocolos de fotoativação: soft-start (ativação na intensidade de 150 mW/crn2 por 2s(552), 3s(553), 5s(555), 10s(5510) ou 15 segundos (5515), e complementado por 700 mW/cm2 por mais 15 segundos); pulse-delay (ativação na intensidade de 150 mW/cm2 por 2s(P2), 3s(P3), 5s(P5), 1 Os(P1 O) ou 15 segundos (P15), seguindo-se 1 minuto de espera, e complementado por 700 mW/crn2 por mais 15 segundos). Os testes de push out foram realizados como no primeiro experimento. Os dados foram submetidos à Análise de Variância e as médias ao teste de Tukey (5%). Os resultados mostraram que não houve diferença estatística entre os modos soft-start. Para o modo pulse-delay, o grupo P5 apresentou resistência de união estatisticamente superior aos demais grupos. Os grupos fotoativados pelo modo pulse-delay apresentaram resistência de união superior comparados aos grupos fotoativados pelo modo soft-start

Abstract: This study showed three experiments in the same research line. The first study has assessed the bond resistance through the push out method and the Knoop hardness of the dental composite Z250 (3M/ESPE). photoactivated with the equipment of halogen light XL2500 (3M/ESPE), using different protocols of photoactivation: the continuous mode of high intensity (CH) (700mW/cm2) for 20 seconds; the continuos mode of low intensity (CL) (150mW/cm2) for 20 seconds; and the pulse-cJe/ay with 150mW/cm2 for 2s(P2), 3s(P3), 5s(P5), 10s(P10) or 15 seconds (P15), with a 1-minute delay, followed by 700mW/cm2 for 20 seconds. For the push out test, the test specimens were stored at 31> C :I: 1 for 24h :I: 1 until they were ground and polished, and, the bond strength values were observed through a universal test machine (Instron) with a charge cell of 500N and the speed of 0.5 mm/min. For the Knoop hardness, the specimens were made by using the same photoactivation protocols. After, the specimens were embedded in polyestiren resin and sanded and polished in order to obtain the hardness measures on top, 1 mm, 2, 3, 4, and 5 mm deep in a hardness measure machine (HMV 2, Shimadzu), using a charge of 50g, for 15 seconds. The data were submitted to ANOVA and Tukey's test (5%). The results of bond strength showed that the P5 group presented significantly higher resistance values than the other groups.The CL group presented a lower bond resistance than the group previously mentioned, though higher than the other groups. There was no statistic difference between the groups P2, P3, P10, P15 and CH. The results of Knoop hardness showed that the groups CH and P15 presented higher values of Knoop hardness in surfaces up to 4 mm deep. The specimens of the CL group presented the lowest averages of hardness. At 3 mm deep, the Knoop hardness of ali groups was statistically inferior to the surface hardness. The second study evaluated the bond strength through the push out method and the Knoop hardness of the dental composite Z250 (3MIESPE), photoactivated with halogen lamp unit XL2500 (3MIESPE), using different protocols of photoactivation: continuous mode (700mW/cm2 for 20s) (CO); soft-start (50 mW/cm2 for 5s, followed by 700 mW/cm2 for 15s) (551); soft-s/art (100 mW/cm2 for 5s, followed by 700 mW/cm2 for 15s) (552); soft-start (150 mW/cm2 for 5s, followed by 700 mW/cm2 for 15s) (553); soft­start (200 mW/cm2 for 5s, followed by 700 mW/cm2 for 15s) (554); soft-s/art (250 mW/cm2 for 5s, followed by 700 mW/cm2 for 15s) (555); soft-start (300 mW/cm2 for 5s, followed by 700 mW/cm2 for 15s) (556). For the push ou! test and Knoop hardness test the specimens were made how the first experiment. The data were submitted to ANOVA and Tukey test (5%). The results showed that the 553 group obtained the higher bond strength when compared to the CO group. There were no differences among the other modes of soft-s/art in relation to the other groups. The other results in hardness, showed no statistic differences among the groups in the surface region and up to 4 mm depth. It was also observed that within each group there were no statistic differences between the surface region up to the 2 mm depth. The third study evaluated the bond strength through the push out method of the dental composite Z250 (3M/E5PE), photo activated with halogen lamp unit XL2500 (3MIE5PE), using different protocols of photo activation: soft-s/art (150 mW/cm2 for 2s(552), 3s(553), 5$(555), 10$(5510) or 15 seconds (5515), followed by 700 mW/cm2 for 15 seconds); pulse-de/ay (150 mW/cm2 for 2s(P2), 3s(P3), 5s(P5), 10s(P10) or 15 seconds (P15), with a 1-minute delay, followed by 700 mW/cm2 for 15 seconds). For the push out test the specimens were made how the first experiment. The data were submitted to ANOVA and Tukey test (5%). The results showed there were no statistic differences among groups photo activated using soft-s/art mode. For pulse delay mode P5 obtained the highest bond strength, statistically higher than other groups. The groups photoactivated with pulse-de/ay mode showed bond strength statistically higher than soft-s/art mode
Subject: Materiais dentários
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Dall'Magro_Eduardo_D.pdf288.99 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.