Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/288052
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Chumbo no esmalte dentario como indicador biologico de exposição ambiental e sua relação com defeitos do esmalte e carie em dentes deciduos
Author: Gomes, Viviane Elisangela
Advisor: Sousa, Maria da Luz Rosário de, 1965-
Abstract: Resumo: O chumbo (Pb) é considerado um dos maiores poluentes ambientais e o esmalte dentário pode ser um indicador da exposição pregressa ao mesmo; pois a incorporação do Pb neste tecido é permanente. Uma técnica, in vivo, de biópsia de esmalte tornou possível a determinação da concentração do chumbo presente na superfície dentária sem o comprometimento do mesmo. A presença do chumbo na estrutura do esmalte parece estar associada ao aumento da prevalência de defeitos de esmalte e de cárie. Assim, os objetivos apresentados na forma de tese com base em três artigos foram: (1) avaliar a técnica de biópsia de esmalte in vivo como uma ferramenta epidemiológica para a determinação da exposição ambiental ao chumbo em crianças de diferentes áreas (industrial e não industrial), (2) relacionar a presença de chumbo, defeitos no esmalte e a cárie dentária nessas crianças e (3) relacionar defeitos de esmalte e cárie em uma população de pré-escolares. No estudo. 1, a amostra foi de 329 crianças de pré-escolas municipais de uma área industrial (n=132) e outra não industrial (n=197) da cidade de Piracicaba. Para a biópsia de esmalte foi usada uma solução de HCI 1,6 mol.I-1 em glicerol a 70% (v/v) e o Pb destas amostras foi analisado em espectrometria de absorção atômica com forno de grafite. No estudo 2 trabalhou-se com a mesma amostra do estudo 1, realizaram-se exames bucais para verificar defeitos de esmalte (índice DDE - Developmental Defects of Enamel Index) e cárie segundo os critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS). No estudo 3, foi verificada a presença de hipoplasia, opacidades demarcadas e cárie segundo critérios da OMS, nos pré-escolares (n=2.846). No estudo 1, a concentração de chumbo no esmalte das crianças da região industrial (mediana=169 ppm Pb) foi maior do que das crianças da região não industrial (mediana=118,1 ppm Pb) (p<0,0001). E ainda, as biópsias com mais de 3,9 µm de profundidade apresentaram resultados mais adequados para comparação entre os grupos. No estudo 2, não foi observada relação entre a presença de chumbo e os defeitos de esmalte. Houve na região não industrial maior proporção de crianças com cárie entre aquelas com maiores concentrações de chumbo no esmalte (p=0,02), mas isto não foi observado nas crianças da região industrial (p=0,89). Houve risco relativo (RR) aumentado de cárie nas crianças da região não industrial. Na população de préescolares (estudo 3) observou-se relação entre hipoplasias e cárie (p<0,0001), entretanto não foi encontrada relação entre opacidades demarcadas e cárie (p=0,4110). Dentre as crianças com hipoplasias houve 27% mais chance de ter cárie em relação às crianças com esmalte normal e não houve risco aumentado de ter cárie dentre as crianças com opacidades demarcadas. Assim, a técnica de biópsia mostrou-se adequada para estudos epidemiológicos de monitoramento da exposição ao chumbo; não houve evidência de relação entre concentração de chumbo no esmalte e defeitos de esmalte, entretanto encontrou-se relação entre chumbo e cárie na região não industrial e que a presença de hipoplasia em dentes decíduos pode ser um fator de risco a cárie dentária, recomendando-se a incorporação deste indicador em levantamentos epidemiológicos

Abstract: Nowadays, environmentallead pollution has been considered a major public-health and dental enamel could be a biomarker of past exposure to lead, as lead incorporation in this tissue is permanent. An in vivo enamel biopsy technique has enabled the lead levei in the enamel surface to be determined without harming its integrity. Lead content in the enamel structure seems to be related to an increase in enamel defects and dental caries prevalence, respectively. Thus, the objectives of this study, based on 3 papers, were (1) to test whether enamel biopsies in vivo were an appropriate method for screening the population of young children from different areas (industrial and non- industrial) for environmental exposure to lead, (2) to relate the lead content, enamel defects and dental caries among these children and (3) to relate enamel defects and dental caries in the pre-school population. In the first paper, the sample was composed of 329 children from municipal pre-schools in art industrial area (n=132) and another non-industrial area (n=197) in Piracicaba city. A solution of 1.6 mol I -1 HCI in 70% glycerol (v/v) were used for the enamel biopsy procedure and the lead content of these biopsy samples was assessed by graphite furnace atomic absorption spectrometer. The second paper worked with the same children involved in the first paper and clinical examinations to record enamel defects (DOE Index) and dental caries (dmft index) were carried out using FOI and WHO diagnostic criteria, respectively. In the third paper, developmental defects (presence of hypoplasia and demarcated opacity) and dental caries (dmft index) were carried out using WHO diagnostic criteria among the population of pre-school children (n=2,846). In the first paper, lead concentration in enamel biopsies of children from industrial area (median:169 ppm Pb) was significantly higher than that of children living far from industries (median:118.1 ppm Pb) (P<0.0001). Data analysis showed that more reliable results for comparisons between groups was found among biopsies deeper than 3.9 µm. In the second paper, according to lead level, enamel defects and dental caries, a higher proportion of children with caries was found among those with higher lead levels in enamel from non-industrial area (P=0.02); however, the same was not observed among children from industrial area (P=0.89). There was high relative risk (RR) of dental caries among children from non- industrial area. Relationship between hypoplasia and dental caries (P<0.0001), was observed in the population of preschool children (third paper), however no relationship was observed between demarcated opacities and dental caries (P<0.4110). Among children with hypoplasia there was 27.0% more chance of having caries in relation to the children with normal enamel, and there was no increased risk of having caries among the children with demarcated opacities. Thus, enamel biopsy was feasible for population screening for lead content; and there was no evidence of a relation between enamel lead level and enamel defects in both groups, however, there was relationship between enamel lead level and dental caries in the non industrial area. The presence of hypoplasia in deciduous teeth could be a dental caries risk factor, suggesting that this indicator should be used in epidemiological surveys
Subject: Meio ambiente
Metais pesados
Epidemiologia
Odontologia
Pre-escolares
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2004
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Gomes_VivianeElisangela_D.pdf2.2 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.