Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/287466
Type: TESE
Title: Evolução geologica do pre-cambriano da porção centro-leste da serra do Espigão meridional e metalogenese associada
Author: Knauer, Luiz Guilherme
Advisor: Schrank, Alfonso, 1951-
Abstract: Resumo: A porção centro-leste da Serra do. Espinhaço Meridional é caracterizada principalmente por terrenos de idade Pré-Cambriana, incluindo seqüências do Arqueano (Complexo de Gouveia, de alto grau metamórfico, e Grupo Pedro Pereira, de baixo grau) e do Proterozóico (todas de baixo grau metamórfico: Grupo Costa Sena, Supergrupo Espinhaço "sensu stricto", Seqüência Itapanhoacanga, Seqüência Serra do Sapo, Seqüência Jacem e Seqüência Serro), alem de diques e "sills" básicos metamorfisados em fácies xisto verde e incluídos na. Suíte Metaígnea Pedro Lessa (Proterozóico superior). Entre as seqüências de baixo grau metamórfico, aquelas referentes ao Supergrupo Rio Paraúna (grupos Pedro Pereira e Costa Sena) parecem ser as únicas afetadas pelos efeitos do chamado Ciclo Transamazônico, que atingiu seu ápice na região por volta dos 1845milhões de anos.Os metamagmatitos do Grupo Pedro Pereira podem representar restos de um "greenstone belt¿, com vulcanismo inicial komatiítico que, em seus termos ácidos finais mostra tendências calcoalcalinas. O Grupo Costa Sena e uma seqüência marinha com vulcanismo ácido calcoalcalino (formação Barão do Guaicuí) que evolui para ambientes continentais ate marinhos rasos (formação Bandeirinha). O Supergrupo Espinhaço (representado pelas formações são João da Chapada, Sopa-Brumadinho e Galho do Miguel) é principalmente constituído por metassedimentos cuja deposição se deu em ambientes fluviais, deltaicos, marinhos rasos eventualmente, eólicos. Os metamagmatitos associados (Suíte Metaígnea Conceição do mato Dentro Suíte Metaígnea Planalto de Minas) mostram tendências toleíticas (talvez também transacionais e alcalinas) e uma marcante bimodalide, caracterizando um ambiente do tipo "rift". Durante sua implantação, a área sofreu processos de alteração superficial responsável pela formação de rochas lateríticas e bauxíticas, hoje representadas por filitos hematíticos e litotipos ã base de cloritóides.As seqüências da borda leste mostram contatos sempre tectônicos, e as principais zonas de cisalhamento/falhas de empurrão delimitam não só as unidades tectonoestratigraficas consideradas, como também grandes ambientes deposicionais. Assim, de oeste para leste afloram a Seqüência Itapanhoacanga, marinha, a Seqüência Serra do Sapo, marinha mais profunda, a Seqüência Jacem, com turbiditos associados ã planície abissal e a Seqüência Serro, com metautramáfica/metamáficas extremamente alteradas. É interessante notar que os ¿sills" e diques da Suíte Metaígnea Pedro Lessa não são observados em terrenos relacionados à Seqüência Serra do Sapo e à Seqüência Jacém, e provavelmente, à Seqüência Serro. É proposto um modelo evolutivo geológico/metalogenetico para a região desde o Arqueano até o Cambro /Ordoviciano, relativamente claro até às porções finais do Proterozóico Inferior: a) Arqueano: formação de crosta gnáissico/magmatítica provavelmente ã partir de rochas plutônicas calcoalcalinas; b) Arqueano Médio: desenvolvimento de "greenstone belt" representado por rochas basais do Grupo Pedro Pereira em ambiente distensivo, que no final do período mostra invasão para condições convergentes com vulcanismo calcoalcalino. O período é marcado metalogenêticamente por pequenas concentrações de sulfetos, ouro e ferro (em formações ferríferas bandadas do tipo ¿Algoma¿); c) Arqueano Superior: intrusão de granitóides do tipo ¿Gouveia¿ na área cratônica; d) Proterozóico Inferior: instalação de ambiente marinho relativamente profundo, com inversão geral e agregação ao continente dos sedimentos ali depositados e de restos de arcos de ilhas (marcados especialmente por magmatitos calcoalcalinos). No final do processo, instalação 'de bacia restrita com deposição de sedimentos continentais e marinhos rasos. O potencial metalogenético do período é relativamente pequeno, chamando atenção ocorrências/depósitos de fosfatos, ouro e pouco ferro; e)Proterozóico Inferior: instalação do "rift" Espinhaço, com deposição gradativamente passando de ambientes continentais até marinhos rasos, inclusive com período de alteração superficial bastante marcante. O magmatismo (toleitico-transicional-alcalino?), claramente continental e bimodal, é tipico deste ambiente. O magmatismo alcalino inicial é responsável pelo aparecimento de corpos "sensu lato" kimberlitícos (fase pré-rift) responsáveis pelos diamantes da região. Mais a leste, condições francamente marinha se desenvolve com deposição da Seqüência Itapanhoacanga, com formações ferríferas bandadas do tipo "Lago Superior". Já no Proterozóico Superior, ocorre período distensivo, marcados pelo enxame de diques básicos algo característicos da região. Dentro do Proterozóico, instalou-se condição oceânica franca, representada pelas Seqüências Serra do Sapo e Jacém (talvez também Seqüência Serro), mas por não estarem cortadas pelos diques, estas unidades tem em posicionamento algo obscuro. Poderiam representar uma evolução da "Bacia Espinhaço" ainda no Proterozôico Inferior/Médio ou, se posterior e sãs básicas (e se a datação desta está correta), um desenvolvimento de bacia no Proterozôico Superior.No período entre 700-600 e 450 milhões de anos ocorre uma inversão geral, com fechamento da bacia e subducção para leste. Este é responsável pelo freqüente aparecimento de zonas de cisalhamento que evoluem para falhas de empurrão, invertendo todas as seqüências, consideradas. Trata-se de uma das principais épocas metalogenéticas da Serra do Espinhaço Meridional, responsável provável pelas jazidas de ouro e quartzo relativamente comuns na região
Abstact: The central-eastern portion of the southern Espinhaço Range imainly characterized by Precambrian terrenes, including Archean an (Proterozoic sequences and metamorphosed (green schist) basic dykes and sills, the latter ones belonging to the Pedro Lessa _Metaigneoul Suite of lpper Proterozoic aje. The Archean sequence includes the high-grade Gouveia Complex and the low metamorphic grade Pedro Pereira Group. The Proterozoic sequence, of low metamorphic grade, is represented by the Costa Sena Group, the Espinhaço Supergroup ("sensu strict"), the Itapanhoacanga Sequence, the Serra do Sapo Sequence, the Jacem Sequence and the Serro Sequence. Among the low-grade metamorphic sequences only the Pedro Pereira and Costa Sena Groups (both belonging to the Rio Parana Super group) were affected by the Tranzamazonian geotectonic cycle (1,84 Aa). The Pedro Pereira metaigneous rocks type sequence, with an early komatiític volcanism and later acid volcanic rocks of cal-akaline signature. The marine Costa Sena Group extribits acid-calcalkaline volcanism (Barão do Guaicuí Formation), which grades into I continental and shallow marine conditions upwards (Bandeirinha Formation). The Espinhaço Supergroup is represented by the são João da Chapada, Sopa Brumadinho and Galho do Miguel Formations. It is mostly composed of metasediments deposited under fluvial, deltaic, shallomarine and eventually eolic conditions. The associated metagneous rocks, belonging to the Conceição do Mato Dentro and Planalto de Minas Metaigneous Suites, display tholeiite parentage (possibly also transitional and alkaline) and marked bimodial characteristics similar to a rift environment. Weathering process in the area were responsible for the formation of laterite and bauxite, nowadays represented by hematite phyllites and choritoide-bearing rocks.The sequences along the eastern border invariably display tectonic contacts and the main shear zones and thrust faults limit not only the tectonostratigraphic units as well as depositional environments. This, o uteropping from west to east is as follows: the marine ltapanhoacanga Sequence, the duper marine Serra do Sapo Sequence, the Jacem Sequence containing turbidites associated with the abyssal plain and the Serro Sequence with extremely altered metaultramafic and metamafic rocks. Sills and dykes of the Metaigneous Pedro Lessa Suite are not found within terrenes related to the Serra do Sapo, Jacem and probably Serro Sequences. The proposed evolutionary model for the geology/metallogenesis of the region from the Archean to the Cambrian/ordovician, which is relativily eliar up to the final stages of the Lower Proterozoic, is the following: a) Archean: emplacement of a gneissic/migmatitic crust probably from calc-alkaline plutonic rocks; b) middle Archean: development of a greenstone belt type sequence, represented by basal rocks of the Pedro Pereira Group (in a distentional environment) and calc-alkaline volcanisms under convergent conditions towards the later stages The stages are marked by local concentrations of sulfides, gold and iron (in Algoma-type banded iron formations); c) Lower Proterozoic: intrusion of Gouveia-type granitic rocks in the cratonic area; d) Lower Proterozoic: establishment of an elatively dup marine environment, with general inversion and aggregation of its sediments and of relics of island ares to the continent (these latter ones marked by calc-alkaline magmatic rocks). Towards the final stages, a restricted basin was formed with continental and shallow marine sedimentation. The me tallogenetic potential of this period is relatively small, with some occurences/deposits of phosphate, gold and iron; e) Lower Proterozoic; establishment of the Espinhaço rift, dislplaying padational deposition from continental to shallow marine environments and a profund weathering period. The igneous activity (tholeiitic-transitional-alkaline?) 1S clearly continental and bimodal, typifying such environment. The early alkaline magmatism is responsible for "sensulato" kimberlite bodies (pre-rift phase), which contained diamonds widesvad in the region today. To the east, marine conditions predominated jiviny place to the deposition of the Itapanhoacanga Sequence, containing Lake Superior-type banded iron formations. A distentional period occurred during the Upper Proterozoic and is marked by abundant basic dykes. Also during the Proterozoic, oceanic conditions were present and are represented by the Serra do Sapo and Jacem Sequences (possibly also the Serro Sequence); however, unclear. As these are not ent by basic dykes their position is Such sequences can either indicate an evolution of the "Espinhaço Basin" in the Lower-Middle Proterozoic or a basin development in the _per Proterozoic (if they are considered later in relation to basic rocks and if the age dating of basic rocks is correct). Between 700-600 and 950 million year there was a general in version, with closure of the basin and subduction to the east. Event is responsible for frequent shear zones which evolve to this thrust faults, inverting all sequences under consideration. It is one of the main and few metallogenetic epochs of the southern Espinhaço Range, being probably responsible fur the gold and fuartz ore bodies relatively common in the region
Subject: Geologia - Pesquisa
Geologia estratigráfica - Pré-cambriano
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1990
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Knauer_LuizGuilherme_M.pdf11.55 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.