Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/287337
Type: TESE
Title: Relações entre a vulnerabilidade social e a fragilidade ambiental no litoral norte paulista = o caso dos municípios de Ilhabela, São Sebastião, Caraguatatuba e Ubatuba
Title Alternative: Relations between the environmental fragility and social vulnerability on this coast : the case of municipalities in Ilhabela, São Sebastião, Ubatuba and Caraguatatuba
Author: Diógenes, Kenia Nogueira, 1979
Advisor: Vitte, Antonio Carlos, 1962-
Abstract: Resumo: O objetivo deste trabalho é entender a relação entre fragilidade ambiental e vulnerabilidade social no litoral norte do Estado de São Paulo, que é composto pelos municípios Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba. A fragilidade ambiental entendida aqui é o resultado da relação entre as características do sítio natural, com seus limiares e potencialidades e as características de valorização do espaço, fruto da apropriação capitalista deste. O ambiente litorâneo em questão tem, dentre suas características naturais, uma complexa combinação entre grandes diferenças altimétricas (0m a 1000m), a proximidade da Serra do Mar com a praia, e altos índices pluviométricos (1700mm a 2500mm), que tornam os sítios urbanos bastante suscetíveis a eventos que podem deflagrar em situação de risco para sua população, além das pequenas enseadas que abrigam as cidades. Associada a essa questão natural temos a apropriação dos espaços naturais sob a ótica capitalista, onde os principais agentes produtores capitalistas do espaço tem na especulação imobiliária, nas atividades portuárias e de exploração do pré-sal seu principal caminho. O litoral norte paulista tem sido o destino de dois principais grupos populacionais distintos, o turista (ou veranista) e os trabalhadores para fornecer mão-de-obra às atividades crescentes nos últimos anos. Essa forte pressão populacional mediada pelas relações capitalistas de apropriação do espaço, culmina numa segregação sócio-espacial onde a população com menor poder aquisitivo (mas não somente estas) são levadas a habitar em áreas de risco ambiental. Uma população socialmente vulnerável é aquela que se encontra em situação de fragilidade ou desproteção frente as mudanças originadas em seu entorno. Se uma população se encontra em estado de resistência, ou resiliência ante algum evento ambiental provocado, ou por sua dinâmica natural, ou pela forma de apropriação do espaço, dizemos que essa população se encontra em estado de vulnerabilidade socioambiental. Essa situação de vulnerabilidade socioambiental se fez presente nos quatro municípios dessa pesquisa. As estratégias utilizadas para desenvolver essa pesquisa foram, um levantamento das características naturais e sociais, bem como das suas relações somada à discussão sobre as formas de apropriação desse ambiente litorâneo

Abstract: The objective of this study is to understand the relationship between environmental fragility and social vulnerability on the northern coast of São Paulo, which is composed of the municipalities Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião and Ubatuba. The environmental fragility understood here is the result of the relationship between the characteristics of the natural site, with their thresholds and potential, and characteristics of the valorization of the space, result of capitalist appropriation of this. The coastal environment in question has, among its natural features, a complex combination between the big altimetric differences (0m to 1000m), the proximity of the Serra do Mar with beach, and high rainfall (1700mm to 2500mm) that make urban sites very susceptible to events that can trigger at risk for the population, beyond the small coves that are home to the cities. Associated with this natural question we have the appropriation of natural spaces in the capitalist perspective, where the main producers of the capitalist space have, in land speculation, in port activities and operation of the pre-salt, his main option. The northern coast of São Paulo has been the main target of two distinct populations, the tourist (or summer tourist ) and workers to provide manpower to the growing activities in recent years. This strong population pressure mediated by capitalist relations of appropriation of space, culminating in a sociospatial segregation where people with lower income (but not only these) are taken up residence in areas of environmental risk. A socially vulnerable population is one that is in a position of weakness or lack of protection against the changes originating from their surroundings. If a population is in a state of resistance or resilience against some environmental event or caused by its dynamic nature or by way of appropriation of space, we say that this population is in a state of socio-environmental vulnerability. This situation of socio-environmental vulnerability was present in all four municipalities of this research. The strategies used to develop this research was a survey of natural and social characteristics and their relationship, including discussion of the forms of appropriation of the coastal environment
Subject: Geografia ambiental
Vulnerabilidade social
Espaço geografico
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2011
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Diogenes_KeniaNogueira_M.pdf9.87 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.