Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/287151
Type: TESE
Title: A mercantilização da natureza e as novas territorialidades nos distritos de Sousas e Joaquim Egidio (Campinas-SP)
Title Alternative: The commodification of nature and new territorialities in the districts os Sousas and Joaquim Egidio (Campinas-SP-Brazil)
Author: Fernandes, Ana Maria Vieira
Advisor: Santos, Regina Célia Bega dos, 1948-
Abstract: Resumo: Esta dissertação procura compreender a dinâmica da produção do espaço urbano nos distritos de Sousas e Joaquim Egídio - Campinas/SP, mediante a utilização da ideologia ambientalista no ordenamento e reorganização deste território. Pelos distritos se localizarem em uma Área de Proteção Ambiental (APA), nossa área de estudo possui grande relevância ambiental, abrigando muitas áreas verdes. Além disso, os mesmos localizam-se próximos ao centro urbano de Campinas, mas caracterizam-se como uma porção diferenciada do município, pois apresentam paisagens bucólicas. Nesta perspectiva, nos últimos 20 anos, os distritos tornaram-se alvo de uma especulação imobiliária que só tende a crescer. Devido às suas características "naturais", novos empreendimentos voltados às classes média e alta surgem a todo instante. A incorporação da ideologia ambientalista pelo mercado faz com que o mesmo influencie parte da sociedade através do chamado marketing verde, que vende os empreendimentos ressaltando os benefícios de se aproximar da natureza a fim de obter maior qualidade de vida. Tais empreendimentos caracterizam-se como as novas formas de habitar e obter lazer, por meio dos condomínios horizontais e loteamentos fechados e também do turismo gastronômico, rural e ecoturismo. Dessa forma, as áreas "naturais" são urbanizadas devido ao reencantamento que algumas pessoas têm pela natureza mitificada, o que as motivam a abandonar o dia a dia urbano e procurar tranquilidade próximo às áreas verdes. Portanto, temos a apropriação das áreas verdes como mercadoria e, por isso, acessível apenas àqueles que podem pagar. Uma vez que os distritos abrigam as novas formas de habitar com acesso restrito, a segregação socioespacial consolida-se. No lazer, a segregação também está presente, pois os estabelecimentos (bares, restaurantes) têm como público alvo classes mais abastadas. Nesse sentido, são formadas novas territorialidades no local, de uso exclusivo. Tais formas de apropriação do espaço reforçam a apartação social, sendo responsáveis pela segregação daqueles que ficam à margem deste processo. Por isso, essa pesquisa tem como objetivo discutir a maneira como se dá a apropriação do espaço em Sousas e Joaquim Egídio, investigando ainda as contradições que tais processos exercem na dinâmica do espaço urbano em questão.

Abstract: This dissertation seeks to understand the dynamics of production of urban space in the districts of Sousas and Joaquim Egidio - Campinas / SP, through the use of ideology in environmental planning and reorganization of the territory. Those districts are located in an Area of Environmental Protection (APA), our area of study has very important environmental, housing many green areas. Moreover, they can be found near the town of Campinas, but characterized it as a different portion of the municipality, since they have bucolic landscapes. Accordingly, in the last 20 years, the districts have become the target of a property speculation that only tends to grow. Owing to their "natural", new ventures aimed at middle and upper classes appear at any moment. The incorporation of environmentalist ideology that the market makes it influences the society through the so-called green marketing, which sells enterprise emphasizing the benefits of getting closer to nature in order to obtain higher quality of life. Such enterprises are characterized as new ways of living and more leisure by means of horizontal condominiums and lots closed and tourism: food, rural and ecotourism. Thus, the areas' natural 'are due to the urbanized reenchantment that some people are by nature mythicize, which motivate to leave the town and day to day stress and seek tranquility close to green areas. So we have the ownership of the green areas as a commodity and therefore accessible only to those who can pay. Since the home districts for new forms of living with restricted access, segregation socio consolidates it. In tourism, the segregation is also present, as the establishments (bars, restaurants) have to target more affluent classes. Accordingly, new territorialities are formed on site, with restricted use, exclusive. Such forms of ownership strengthens the social apartheid, being responsible for the segregation of those who are excluded from this process. Therefore, this research aims to discuss how it gives ownership of the area in Sousas and Joaquim Egidio, still investigating the contradictions that these processes exert on the dynamics of urban space in question.
Subject: Natureza
Territorialidade humana
Segregação
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2009
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fernandes_AnaMariaVieira_M.pdf13.68 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.