Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286951
Type: TESE
Title: A divisão política do território brasileiro : os compartimentos quilombolas no Vale do Ribeira (SP)
Title Alternative: The political division of the Brazilian territory
Author: Silva, Clayton Luiz da
Advisor: Cataia, Marcio Antonio, 1962-
Abstract: Resumo: O território pode ser compreendido por suas compartimentações, pois elas são reveladoras de usos do território, quer seja um uso hegemônico - caso das divisões político administrativas construídas para o exercício do poder do Estado - quer seja um uso hegemonizado, caso das compartimentações quilombolas. É esta leitura, dirigida a outras formas de uso do território, que exploramos em nosso trabalho, pois paralelamente ao ordenamento dominante do espaço, novos compartimentos de "legislação especial", vêm solicitando participação política na vida da nação. Propomos analisar o reconhecimento territorial dos compartimentos quilombolas, buscando compreender em que medida ele fortalece a construção da cidadania. O espaço como instância social confere aos agentes sociais distintas possibilidades de realização de seu projeto, de modo que toda resistência tem que levar em conta uma dada forma de uso do território. Daí dizer que toda resistência social é territorial. Estudar a gênese e atualidade dos compartimentos quilombolas implica em analisar o próprio movimento de criação do território brasileiro. Implica ainda ver em que medida os projetos criados no país materializaram ou não a construção de uma nação livre e soberana, capaz de articular internamente as vozes dissonantes sobre os destinos da Nação. Compreender como o território responde à globalização econômica leva a ver que, concomitantemente a ela, se dá também a fragmentação. Paralelamente à modernização da economia faz-se necessária a reformulação política, com a emergência de novos agentes responsáveis pela contra-racionalidade, possíveis portadores de outros projetos de futuro

Abstract: The territory can be comprehended by its political compartments, because they are disclosers of uses of the territory, be a hegemonic use - case of the political-administrative divisions built for the exercise of the power of the State - be a subordinate use, case of the compartments quilombolas. This reading, conducted the other forms of use of the territory, it is explored in our work, because parallelly to the dominant control of the space, new compartments of "special legislation" request political participation in the life of the nation. We intend to analyze the territorial recognition of the compartments quilombolas, looking for to understand in that measured he strengthens the construction of the citizenship. The space as social instance confers the agents social different possibilities of realization of its project, so that every resistance has to take in count a given form of use of the territory. Of there to say that every social resistance is territorial. To study the genesis and present time of the compartments quilombolas implies in analyzing the own movement of creation of the Brazilian territory. He still implies to see in that measured the projects servants in the country materialized or not the construction of a free and sovereign nation, capable to articulate the dissonant voices on the destinies of the Nation. To understand as the territory answers to the world economy our takes to see that, close to she, also gives her the fragmentation. Parallelly to the modernization of the economy he makes himself necessary the political reorganization, with the new responsible agents' emergency for the against rationality, possible carriers of another projects of the future
Subject: Território nacional
Geografia humana
Territorialidade humana
Cidadania
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:IG - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_ClaytonLuizda_D.pdf3.22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.