Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286842
Type: TESE
Title: Gênero e ciência : um estudo sobre as mulheres na física
Title Alternative: Gender and Science : a study of women in Physics
Author: Cartaxo, Sandra Maria Carlos, 1981-
Advisor: Velho, Léa Maria Leme Strini, 1952-
Velho, Lea Maria Strini
Abstract: Resumo: A Física é uma área predominantemente masculina e, por muito tempo, os chamados naturalistas justificavam os motivos do afastamento das mulheres da área como sendo de ordem biológica. Entretanto, as mulheres, embora sejam muito poucas na área, apresentam em média um rendimento maior que o dos homens na física. Em vistas disso, o presente estudo tem como objetivo compreender como se dão as relações sociais de gênero nessa área, além dos motivos que justificariam a baixa participação das mulheres na Física e as dificuldades de ascensão na carreira enfrentada por elas, apesar da alta produtividade científica. Para tanto, foram considerados os pontos de vista de homens e mulheres sobre a realidade das mulheres na Física, em particular, no contexto do Instituto de Física "Gleb Wataghin" (IFGW) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Foi analisado o modo com que homens e mulheres descrevem o cotidiano e a rotina de trabalho, de ensino e pesquisa em que estão envolvidos. Para entendimento dessas relações de gênero no IFGW, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com mulheres e homens do IFGW. Estas entrevistas, analisadas à luz da literatura sobre Gênero e Ciência, revelaram que as dificuldades de acesso e ascensão da carreira de Física para as mulheres vão além da opção destas pela maternidade ou da priorização do cuidado da família em detrimento da carreira. Foram apontadas questões associadas ao processo de socialização das mulheres na carreira que podem desfavorecer o acesso, a progressão e a atuação destas na Física. Foram também identificadas áreas e oportunidades dentro da física que são negadas às mulheres, assim como outras que se apresentam como "permitidas" a elas. Esse processo de regulação ao acesso das mulheres é alimentado por uma visão estereotipada das suas "qualidades femininas" que fazem com que elas sejam aptas ou não para exercer a atividade. Dessa forma, para conseguirem acesso a determinadas áreas, as mulheres precisam se destacar muito mais que os homens, a fim de demonstrar que são capazes. Por outro lado, embora essas alunas e professoras demonstrem estar, em muitos casos, acima da média de rendimento em comparação aos colegas homens, elas frequentemente encontram um "teto de vidro" que as impossibilitam de progredir na carreira. Diante disso, espera-se que o entendimento das relações de gênero presentes no IFGW, conforme revelado neste estudo, possa estimular novos comportamentos e contribuir para as relações entre homens e mulheres na área, bem como, proporcionar uma reflexão sobre o tema pela comunidade da área

Abstract: Physics is a predominantly male area, and for a long time, the so-called naturalists have justified the reasons for the rejection of women from the area as being of a biological order. Women, however, even though they are few and far between in the area, have on average a higher productivity in physics than men. In this light, the present study aims to understand how the social gender relations are set in this field, in addition to the reasons that justify the low participation of women in physics and the difficulties they encounter to advance their careers, despite their high scientific productivity. To achieve this, the perspectives of men and women on the reality of women in physics were considered, particularly in the context of the "Gleb Wataghin" Physics Institute (IFGW) of the Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). We analyzed the way that men and women describe the daily life and routines of the work, education and research in which they are involved. To understand these gender relations in the IFGW, semi-structured interviews with women and men of the IFGW were conducted. These interviews, analyzed from the perspective of the literature on Gender and Science, revealed that the difficulties women encounter to access and advance their careers in physics go beyond their choice for maternity or the prioritization of family life over their careers. Issues associated with the socialization process of women in their careers, which can discourage their access, progress and performance in physics, were pointed out. Areas and opportunities within physics that are denied to women were also identified, as well as other areas to which their access is "allowed". This process regulating the access of women is fed by a stereotypical view of their "feminine qualities", which would determine whether or not they are able to perform the activity. To gain access to certain areas, therefore, women need to stand out much more than men in order to demonstrate what they are capable of. On the other hand, despite the fact that these female students and teachers demonstrate to have, in many cases, an above average productivity compared to their male colleagues, they often encounter a "glass ceiling" that prevents them from progressing in their careers. In view of this, we hope that an understanding of the gender relations present in the IFGW, as revealed in this study, may stimulate new behaviors and contribute to the relations between men and women in the area, in addition to encouraging a reflection on the subject by the area's scientific community
Subject: Gênero e ciência
Mulheres na física
Física
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2012
Appears in Collections:IG - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Cartaxo_SandraMariaCarlos_M.pdf1.02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.