Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286676
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: A Territorialidade da "posse" na luta pela reforma agraria : os Acampamentos do MST em Iaras - SP
Title Alternative: The territoriality of "posse" in struggle for land reform the MST camps in Iaras ¿ SP
Author: Iha, Monica Hashimoto
Advisor: Santos, Regina Célia Bega dos, 1948-
Abstract: Resumo: O presente estudo tem como objetivo apresentar a territorialidade dos acampamentos organizados pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra no Município de Iaras-SP, a partir da análise crítica do movimento social, buscando a gênese da concentração fundiária e dos sem-terra na formação territorial do País. A partir de 1995 o MST fez a sua primeira ocupação na região, realizando o assentamento Zumbi dos Palmares. Os demaisacampamentos que se instalaram passaram por um longo período de espera, o que causou a saída de muitas pessoas, sendo necessário a criação de estratégias para a sobrevivência. O acampamento afirma a posse da terra em barracas de lona preta e, em alguns casos, realizando pequenos roçados e criação de animais. A organização dos acampamentos pelo MST é mantida por um conjunto de regras e disciplina o que contrasta com os valores e a vida anterior do acampado, o que provoca inúmeras contendas. A situação de acampado revela grande instabilidade, estando sujeito à violência dos grandes proprietários de terra, ao despejo e à estigmatização por ser sem-terra. Este estudo teve como metodologia de trabalho a pesquisa qualitativa, através de técnicas como: pequenas histórias de vida, relatos orais, entrevistas, questionários, observação participante e pesquisa nos arquivos de órgãos do Estado responsáveis pelo processo de reforma agrária (Incra e Itesp)

Abstract: The current study aims to present the territoriality of the camps organinazed by MST Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (Landless Rural Workers Movement) located at Iaras- São Paulo, Brazil, starting from the critical analysis of the social movement, looking for the genesis of the land concentration and of the landless in the territorial formation of the country. From 1995 on, MST begins its occupations. The first one ends up on the settlements Zumbi dos Palmares (government authorized land after the occupation and pressure by MST). The rest of the encamped went through a long waiting period for the authorized release of the land, which caused the departure of many people, and the need for managing surviving strategies. The encamped assert the land¿s possession by setting up black canvas tents, and in some cases establishing small plantations and animal breeding. The organization of the first camps is maintained by a set of rules and discipline, which contrasts with the values and the previous life of the encamped, causing innumerous quarrels. The camped situation reveals great instability. They subjected to violence that comes from landholder, and stigma for being a landless. This study uses as methodology qualitative research, using techniques like: life histories, oral accounts, interviews, questionnaire, participating observation and research at the State institutions that are responsible for the process of Land Reform
Subject: Geografia humana
Assentamentos humanos
Reforma agraria - Iaras (SP)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: IHA, Monica Hashimoto. A Territorialidade da "posse" na luta pela reforma agraria: os Acampamentos do MST em Iaras - SP. 2005. 177p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociencias, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/286676>. Acesso em: 4 ago. 2018.
Date Issue: 2005
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Iha_MonicaHashimoto_M.pdf6.57 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.