Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286617
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Análise paleoambiental quaternária do ecótono Cerrado/Mata Atlântica no Município de Mogi Guaçu, SP
Title Alternative: Analysis of Quaternary Paleoenvironmental Ecotone/Atlantic Forest in Mogi Guaçu, São Paulo Stade, Brazil
Author: Souza, Melina Mara de, 1984-
Advisor: Ricardi-Branco, Fresia, 1963-
Branco, Fresia Soledad Ricardi Torres, 1963-
Abstract: Resumo: O estudo da evolução paleoambiental de uma área de transição entre os Biomas Cerrado e Mata Atlântica no decorrer do Holoceno resultou na reconstituição da vegetação, do clima e da dinâmica fluvial do Rio Mogi Guaçú, na Estação Ecológica de Mogi Guaçú (EEcMG), Estado de São Paulo. As interpretações paleoecológicas foram baseadas na identificação das assembleias de palinomorfos, fragmentos de carvões e análises isotópicas contidas em três testemunhos rasos, onde estão foram desenvolvidas inferências paleoecológicas e paleoclimáticas. A análise dos proxy aqui utilizados evidenciou as mudanças acontecidas na vegetação e do curso principal do Rio Mogi Guaçú na EEcMG que permitiram compor as condições paleoambientais entre 7.750 anos AP até os dias atuais. Dessa forma, aproximadamente 7.750 anos AP, a EEcMG passou por uma fase climática mais úmida que a atual, possibilitando o desenvolvimento da Mata Ripícola, indicado pela presença de Mauritia L.f. Dados isotópicos para esta época caracterizam uma transição entre a floresta e o campo. Por volta de 3.000 anos AP, observa-se um aumento dos elementos do Cerrado, como a presença de Curatella Loefl., e diminuição de Mauritia L.f., que indica que este último não foi um elemento importante para a configuração da vegetação deste período, estabelecendo um clima mais seco para EEcMG, a composição isotópica aponta o predomínio de plantas C3 (floresta). No período entre aproximadamente 310 e 105 anos AP., a umidade aumenta na região com a permanência de Mauritia L.f., e mesmo com o aumento dos tipos de Cerrado, indicando que a Mata Ripícola se manteve presente. Dessa maneira, as assembleias palinológicas estudadas mostram que a Mata Ripícola esteve presente em todos os estágios, ao contrário do Cerradão, que durante os últimos 7.750 anos AP., experimentou fases de expansão e contração. Através do estudo da chuva polínica atual das três lagoas, foi possível inferir que os elementos de Mata Ripícola são predominantes aos de Cerrado, como a presença de Mauritia L.f. e a abundância de esporos que confirma esse tipo de vegetação dominante para os dias atuais, o que caracteriza um clima mais úmido na EEcMG. As análises isotópicas indicam que a floresta permanece presente, com predominância de plantas C3 (floresta) em relação às plantas C4 (campo). Fragmentos de carvão foram identificados nos três testemunhos estudados, evidenciando que paleoincêndios sempre ocorreram na EEcMG durante todo o Holoceno. O comportamento da dinâmica fluvial do Rio Mogi Guaçú durante o Holoceno mostrou que esta esteve associada à influência de eventos climáticos de escala global e que, em consequência desses, os meandros mudaram constantemente de posição ao longo da planície através do processo de erosão e deposição das suas margens, ocasionando em alguns momentos, a não preservação de palinomorfos

Abstract: The study of paleoenvironmental evolution of a transition area between the Biomes of Cerrado and Atlantic Forest during the Holocene resulted in the recovery of vegetation, climate and fluvial dynamics of Mogi Guaçú River in The Mogi Guaçú Ecological Station (EEcMG) - São Paulo State. The paleoecological interpretations were based on the identification of palynomorphs assemblies, fragments of charcoal, and isotopic analyzes contained in three shallow cores, where paleoecological and paleoclimatic inferences were developed. The analysis of the proxy highlighted the changes that occurred in the vegetation and the main course of Mogi Guaçú River at EEcMG to form the paleoenvironmental conditions from 7.750 years BP to current days. Thus, approximately 7.750 years BP, the EEcMG underwent a wetter climate than the current phase, enabling the development of a Riparian Forest with the presence of Mauritia L.f. The isotopic data features a transition between forest and field. Around 3.000 years BP, there was an increase in the Cerrado elements, as the presence of Curatella Loefl., and a decrease in Mauritia L.f. In fact, Mauritia L.f. was not an important element to configure the vegetation of the period with a drier climate for EEcMG, and the isotopic composition indicates the predominance of C3 plants (forest). Between 310 and 105 years BP., the humidity increased in the region with the permanence of Mauritia L.f., but the Cerrado types also increased, indicating that the Riparian Forest remained. Thus, the palynological assemblies show that the Riparian Forest was present in all stages, unlike Cerradão, that during the last 7.750 years BP., experienced phases of expansion and contraction. Through the study of current pollen rain of the three ponds, it was possible to infer that the elements of Riparian Forest are prevalent in the Cerrado, as the presence of Mauritia L.f. and the abundance of spores that confirms this type of dominant vegetation for current days, featuring a more humid climate at EEcMG. Isotopic analyzes show that the forest remains with a predominance of C3 plants (forest) in relation to C4 plants (field). Charcoal fragments were identified in all three cores showing the evidence that paleofires occurred at EEcMG throughout the Holocene. The behavior of fluvial dynamics of Mogi Guaçú River during the Holocene showed the influence of climatic events of global scale, and consequently, the meanders constantly changed position along the plain through erosion and deposition processes of its banks, not preserving the palynomorphs
Subject: Paleoecologia
Palinologia
Carvão
Geologia isotópica
Dinâmica fluvial
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Souza_MelinaMarade_D.pdf10.4 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.