Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286580
Type: TESE DIGITAL
Title: A gestão da inovação em universidades : evolução, modelos e propostas para instituições brasileiras
Title Alternative: Management of innovation in universities : evolution, models and proposals for Brazilian institutions
Author: Toledo, Patricia Tavares Magalhães de, 1972-
Advisor: Bonacelli, Maria Beatriz Machado, 1962-
Abstract: Resumo: Nas últimas três décadas, universidades em todo o mundo têm se estruturado para atuar de forma mais abrangente nos SNI, enquanto as universidades brasileiras passaram a lidar com esse novo desafio mais intensamente nos últimos dez anos. Mais ativas no tema de inovação e empreendedorismo, muitas universidades têm buscado mecanismos que lhes permitam uma maior aproximação com a sociedade, sem perder as características essenciais do trabalho acadêmico. Nesse contexto, o objetivo desta tese é propor diretrizes para a melhoria de modelos de gestão da inovação de universidades brasileiras e sugestões para a modernização de políticas e marcos legais de estímulo à ciência, tecnologia e inovação, de modo a contribuir para o estabelecimento de um ambiente mais propício à promoção da inovação no Brasil. Para tal, foram estudadas experiências virtuosas em gestão da inovação de dezesseis universidades de cinco países: Estados Unidos, Reino Unido, Israel, Chile e Brasil (nove casos internacionais e sete nacionais) a partir do levantamento de dados primários e secundários. Foram analisados também os principais aspectos do SNI, das políticas e do marco legal de estímulo à inovação desses países, especialmente no que tange à participação da universidade na inovação e no empreendedorismo tecnológico. Adotou-se, para as organizações que atuam na gestão da inovação e do empreendedorismo em universidades, a denominação geral de Instituições de Gestão da Inovação (IGI). Foi proposta uma classificação para os modelos de gestão de inovação em universidades. Apesar da diversidade de contextos, das características dos SNI e dos sistemas de ensino superior, podem-se observar alguns pontos comuns às experiências mais maduras, como: a cultura favorável à inovação e ao empreendedorismo, com atuação próxima das IGI com faculdades e departamentos na concepção de novas iniciativas e na formação e capacitação de alunos nesses temas; o forte apoio e comprometimento da liderança; a alta profissionalização e especialização das equipes das IGI; a existência de apoio financeiro de longo prazo do governo para as universidades aprimorarem suas estruturas e competências para o estímulo a inovação e ao empreendedorismo; o estímulo à conciliação da carreira acadêmica com a empreendedora; a construção de parcerias com a comunidade externa relacionada à inovação e ao empreendedorismo em âmbito regional e nacional; a alta relevância atribuída ao licenciamento para a criação de spin-offs, de modo que as IGI continuamente buscam aprimorar suas competências e os serviços prestados à comunidade na estruturação desses empreendimentos. Nas universidades brasileiras estudadas predomina o modelo de gestão da inovação centralizado, associado a um modelo organizacional de IGI centralizada. Constatou-se que o modelo jurídico-institucional e de gestão das IGI brasileiras, a falta de financiamento dedicado às IGI e a ausência de um plano de carreiras específico para a inovação nas universidades são grandes entraves à evolução dessas instituições. Comprovou-se, também, que a atividade de criação de spin-offs não é priorizada pelas IGI brasileiras. Espera-se que as recomendações aqui apresentadas reforcem os esforços voltados a criação de um ambiente mais favorável para a inovação e o empreendedorismo no Brasil

Abstract: Over the last three decades, universities around the world have structured themselves in order to contribute more broadly to national innovation systems (NIS), while Brazilian universities only started to deal with this challenge over the last ten years. More active in innovation and entrepreneurship, several universities have been searching for mechanisms to strengthen their interactions with society, without loosing the fundamental characteristics of academic activity. In this scenario, the main objective of this thesis is to suggest guidelines for improving Brazilian universities¿ innovation management models and to modernize national policies and legal framework dedicated to stimulate science, technology and innovation (STI), in order to contribute to the establishment of an environment more favorable to innovation. To reach this objective, sixteen universities with virtuous experiences in innovation management were studied in five countries: United States, United Kingdom, Israel, Chile and Brazil (nine international and seven national cases) based in primary and secondary data collection. The main elements of the NIS, policies and legal framework to stimulate STI in these countries were also analyzed, particularly those related to universities participation in innovation and in technology based entrepreneurship. The general denomination of Innovation Management Institutions (IMI) was adopted to represent the organizations that manage innovation and entrepreneurship in universities. It was proposed a classification for University innovation management models. Despite the differences in national contexts, in the characteristics of the NIS and higher education systems, some common elements can be identified in the most mature experiences, such as: a strong innovation and entrepreneurship culture, in which IMI works closer to universities schools, colleges and departments to develop new initiatives and educational programs to train students in these areas; university¿s leadership strong support and commitment; government long term support to universities improve their structures and competencies dedicated to their participation in innovative and entrepreneurial activities; stimulus for faculty to combine academic with entrepreneurial career; the construction of partnerships with national and local innovation and entrepreneurship community; high importance attributed to licensing university IP to create spin-offs, stimulating most IMI to continuously improve their competencies and services in structuring new enterprises. Most of the Brazilian universities studied adopt the centralized innovation model, associated with a centralized IMI organizational model. Brazilian IMI legal-institutional model, management practices, lack of dedicated funding to IMI and lack of a career plan for IMI professionals are expressive barriers to the evolution of these institutions. This research also proved that Brazilian IMI do not prioritize the creation of spin-offs. It is expected that the recommendations presented in this thesis may strengthen the efforts to create an environment more favorable to innovation and entrepreneurship in Brazil
Subject: Gestão da inovação
Transferência de tecnologia
Empreendedorismo
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IG - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Toledo_PatriciaTavaresMagalhaesde_D.pdf15.09 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.