Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286564
Type: TESE DIGITAL
Title: Geologia, geoquímica e geocronologia do domínio vulcânico do arco magmático Juruena, SW do Cráton Amazônico : implicações geotectônicas
Title Alternative: Geology, geochemistry and geochronology from the Juruena magmatic arc volcanic domain, SW amazon craton : geotectonic outcomes
Author: Duarte, Tiago Bandeira, 1981-
Advisor: Xavier, Roberto Perez, 1958-
Abstract: Resumo: No SW do Cráton Amazônico, ao longo da interface entre as Províncias Geocronológicas Tapajós-Parima (2,0 - 1,88 Ga) e Rondônia-Juruena (1,82 - 1,74 Ga) afloram rochas vulcânicas em associação com plutons graníticos epizonais conformando um cinturão vulcânico com mais de 600 quilômetros de comprimento. As rochas deste contexto hospedam inúmeras mineralizações auríferas que configuram a Província Aurífera de Alta Floresta, uma importante província metalogenética brasileira. Este conjunto de rochas, denominado neste trabalho de Domínio Vulcânico, tem sido alvo de estudos em virtude de sua importância econômica e compreensão do ambiente geodinâmico de evolução da interface entre as províncias do SW do Cráton. Os resultados obtidos são úteis para a definição dos sistemas minerais presentes e prospecção mineral na escala de distrito, metodologia que pode vir a ser aplicada na região. O volume de trabalhos estabeleceu uma bibliografia conflitante, com três modelos geodinâmicos distintos sendo propostos para o magmatismo do Domínio Vulcânico, onde ainda as unidades litoestratigráficas que configuram este domínio recebem nomes diferentes. O primeiro modelo interpreta que o magmatismo do Domínio Vulcânico, que recebe o nome de Teles-Pires (com denominações de grupo, magmatismo ou vulcanoplutonismo), é resultado de processos de fragmentação que marcam a tafrogenêse do Supercontinente Columbia (NUNA) em 1,8 Ga. O segundo modelo compreende o Domínio Vulcânico como um cinturão vulcânico de margem acrescionária, desenvolvido em 1,8 Ga sobre a margem continental ativa da Província Tapajós-Parima e que configura a Província Rondônia-Juruena ou Arco Magmático Juruena. As unidades litoestratigráficas associadas a esta interpretação recebem a denominação de Grupo Colíder (vulcânicas) e Suíte Intrusiva Paranaíta (granitos) ou vulcanoplutonismo Paranaíta-Colíder. Por sua vez, o terceiro modelo interpreta o Domínio Vulcânico como resultado de um magmatismo tardi a pós-orogênico, desenvolvido em regime extencional, no contexto do Arco Magmático Juruena. Neste trabalho os modelos são apresentados e discutidos integrando os resultados atuais de mapeamento geológico, litogeoquímica e geocronologia isotópica U-Pb e Sm-Nd com os disponíveis da bibliografia. Foi proposto um modelo geodinâmico, análogo ao segundo descrito, que compreende o Domínio Vulcânico como resultado de um magmatismo de arco continental desenvolvido em ambiente acrescionário. Esta interpretação é embasada por um conjunto de características. (1) Organização espacial do Domínio Vulcânico na forma de um cinturão vulcano-plutônico; (2) Volume de depósitos vulcanoclásticos ácidos com intrusões graníticas epizonais associadas; (3) Suíte vulcano-plutônica que se expande desde rochas máficas e intermediárias subalcalinas a ácidas calcioalcalinas de alto K, com padrão de ETR e traços de manto litosférico subcontinental enriquecido com fluidos de zona de subducção e envolvimento de crosta continental subordinada; (4) Intervalos de idades de cristalização entre 1820 a 1780 Ma e TDM entre 2,40 a 1,84 Ga, com valores de eNd(t) entre -3,90 a +2,50 que se sobrepõem as idades das rochas do Arco Magmático Juruena (Complexo Juruena); (5) Ocorrência de mineralizações auríferas do sistema epitermal-pórfiro, com idades compatíveis as do Domínio Vulcânico (mineralizações sinplutônicas), que ocorrem ao longo da Província Aurífera de Alta Floresta

Abstract: In the SW Amazon Craton, along the border between the Tapajós-Parima (2.0 - 1.88 Ga) and the Rondônia-Juruena (1.82 - 1.74 Ga) geochronological provinces, an association of volcanic rocks and related epizonal granitic plutons crop out as a volcanic belt more than 600 km long. Several occurences of gold mineralization have been reported in these rocks that give name to the Alta Floresta Gold Province, a major Brazilian metallogenic province. This set of rocks, here called the Volcanic Domain, has been the target of several studies due to its economic importance and contribution to understanding the geodynamic evolution of the provinces in the SW Amazon Craton. The results are key factors for district scale targeting of mineral systems, an approach that may be applied to the region. Several studies carried out in the area have given rise to a vast bibliography in which three distinctive geodynamic models are based and elaborated for the Volcanic Domain magmatism. In addition, the understanding of the Volcanic Domain becomes even more complex once there is no consensus in the literature regarding formal stratigraphic names The first model admits that the Volcanic Domain magmatism, called Teles-Pires (including group, magmatism or volcano-plutonic designations), is a result of the fragmentation process that characterizes the Columbia or NUNA tafrogenesis around 1.8 Ga. The second model recognizes the Volcanic Domain as an accretionary margin volcanic belt developed on the Tapajós-Parima Province at 1.8 Ga, which worked as an active continental margin, resulting in the formation of the Juruena Magmatic Arc. The lithostratigraphic units related to this interpretation are known as Colíder Group (volcanics), and Paranaíta Intrusive Suite (granites), or volcano-plutonism Paranaíta-Colíder. In turn, the third model admits that the Volcanic Domain is a late- to post-orogenic magmatism related to an extensional regime within the Juruena Magmatic Arc settings. In this work, interpretations are presented and further discussed based on integration of geological mapping, lithogeochemistry, and U-Pb and Sm-Nd isotopic results, as well as past available data. Here we propose a geodynamic model similar to the second one described in which the Volcanic Domain is interpreted as a result of continental arc magmatism in accretionary environments. This interpretation is supported by a set of observations: (1) spatial arrangement of the Volcanic Domain in the shape of a volcanic belt; (2) The large volume of volcaniclastic deposits and related epizonal granitic intrusions; (3) Variable chemical signatures range from subalkaline mafic compositions to high-K calc-alkaline acid compositions, showing REE and trace element patterns similar to those of subcontinental lithospheric mantle sources enriched in subduction-zone fluids, and subordinate involvement of continental crust; (4) Crystallization and TDM ages, respectively, range between 1820 and 1780 Ma, and from 2.40 to 1.84 Ga, with eNd(t) values from -3.90 to +2.50, yielding an overlap in U-Pb and Sm-Nd ages of rocks from the Juruena Magmatic Arc; (5) The occurrence of epithermal-porphyry Au systems in the Alta Floresta Gold Province with ages compatible with those of the Volcanic Domain magmatism period
Subject: Crátons - Amazônia
Vulcanismo
Rochas
Geoquímica
Geocronologia
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Duarte_TiagoBandeira_M.pdf6.34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.