Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286535
Type: TESE
Title: The Tendencies in the Woman Employment in Brazilian Labour Market between the Years 2004-2012 = Examining the Gender Pay Gap = As tendências do emprego da mulher no mercado de trabalho brasileiro entre os anos de 2004- 2012: examinando as disparidades salariais de gênero
Title Alternative: As tendências do emprego da mulher no mercado de trabalho brasileiro entre os anos de 2004- 2012 : examinando as disparidades salariais de gênero
Author: Kocadost, Basak, 1983-
Advisor: Santos, Anselmo Luis dos, 1961-
Abstract: Abstract: Brazil experienced major socio-economical changes during the first decade of the 21st century, especially starting from the year 2004 and even after de financial crisis in the years of 2008 and 2009, that ended up to improve the working conditions for the population. However despite the general remarkable advances in this period such as the creation of new jobs in high numbers, the decline in average unemployment rates and a significant increase in the real minimum wage, the Brazilian labour market is still highly unequal. The woman employment rate had not changed significantly in that period. The woman employment rate was 54.4% in 2004; it increases only to 55.7% in 2012. Moreover woman unemployment rate is almost two times higher than the men¿s¿, and women still constitute vast majority of the economically inactive population. Since the Brazilian labour market historically had been characterized as being heterogeneous and segregated, it gains importance to examine how different segments of the labour market practiced this period and to reconsider the recent dynamics of labour market in terms of different social groups. In this work it was addressed in terms of the gender inequality, particularly in terms of the gender pay gap in the labour market analyzing the evolutions of the female and male wages and working hours considering different sectors, educational levels and occupational status using micro data of PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Brazil's National Household Sample Survey) In 2004 women¿s average hourly earnings was equal to 78.1% of the men¿s hourly earnings, while in 2012 this rate reached to 80.9%. Women¿s average monthly earnings increased more than the men¿s in that period. However in the same time women¿s weekly working hours increased slightly, while the men¿s declined very little. In other words there is a tendency towards convergence of the working hours among men and women. This leveling of the working hours is notable in every level; in sectoral, educational and occupational status level. This leveling of gender gap in the working hours could be considered as one of the major causes of the limited decrease in the gender pay gap between 2004 and 2012
Resumo: O Brasil experimentou grandes mudanças socio-econômicas durante a primeira década do século 21, especialmente a partir do ano 2004, e mesmo depois da crise financeira nos anos de 2008 e 2009, que terminou por melhorar as condições dos trabalhadores de uma maneira geral. No entanto, apesar dos avanços notáveis gerais nesse período, tais como a criação de novos postos de trabalho em número elevado, o declínio da taxa de desemprego e um aumento significativo do salário mínimo real, o mercado de trabalho brasileiro ainda está muito desigual. A taxa de emprego das mulheres não mudou significativamente nesse período, aumentando de 54,4% em 2004 para apenas 55,7% em 2012. Além disso, a taxa de desemprego das mulheres é quase duas vezes maior do que a dos homens e as mulheres ainda constituem a grande maioria da população não economicamente ativa. Uma vez que o mercado de trabalho brasileiro tem sido historicamente caracterizado como heterogêneo e segregado, ganha importância examinar o desempenho de diferentes segmentos do mercado de trabalho nesse período e reconsiderar a dinâmica recente do mercado de trabalho em termos de diferentes grupos sociais. Neste trabalho, tratou-se em termos de desigualdade de gênero, particularmente em termos de disparidades salariais entre os homens e as mulheres no mercado de trabalho, analisando as evoluções dos salários femininos e masculinos e das horas de trabalho, utilizando os microdados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) e considerando os diferentes setores, níveis de escolaridade e status profissionais. Em 2004, a remuneração média por hora das mulheres foi igual a 78,1% da remuneração dos homens, enquanto que em 2012 essa taxa chegou a 80,9%. O salario médio mensal das mulheres aumentou mais do que o dos homens nesse período. No entanto, ao mesmo tempo, a quantidade semanal de horas trabalhadas das mulheres aumentou ligeiramente, enquanto diminuiu muito pouco a dos homens. Em outras palavras, há uma tendência para a convergência das horas de trabalho entre homens e mulheres. Este nivelamento das horas de trabalho é notável em todos os níveis: setoral, educacional e ocupacional. Este nivelamento das disparidades de género na quantidade de horas trabalhadas pode ser considerado como uma das principais causas da diminuição limitada da disparidade salarial entre 2004 e 2012. Palavras Chave: Emprego feminino, Mercado de trabalho, Economia Brasileira, Desigualdade de gênero, Disparidade salarial
Subject: Mulheres - Emprego
Mercado de trabalho - Brasil
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Kocadost_Basak_M.pdf1.57 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.