Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286528
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Desarrollo económico, mercado de trabajo y desigualdad en España desde la integración en la Unión Económica y Monetária=Desenvolvimento econômico, mercado de trabalho e desigualdade na Espanha desde a integraçâo na Uniâo Económica e Monetária
Title Alternative: Desenvolvimento econômico, mercado de trabalho e desigualdade na Espanha desde a integraçâo na Uniâo Económica e Monetária
Author: López Riveros, Anna, 1980-
Advisor: Gimenez, Denis Maracci, 1974-
Abstract: Resumo: Este trabalho tem como objetivo analisar os determinantes da desigualdade e da regressão do mercado de trabalho na Espanha no contexto da crise contemporânea. Para fazer isso, analisamos as condições macroeconómicas em Espanha após a entrada na União Económica e Monetária (UEM) e as condições relativas à desigualdade e ao mercado de trabalho espanhol para mostrar como essas variáveis evoluíram na Espanha a longo prazo. O análise dos determinantes da desigualdade envolve a análise de diferentes áreas mas neste estudo analisou apenas aqueles relacionados ao mercado de trabalho. Integração UEM foi um ponto de viragem no desenvolvimento econômico e social da Espanha, no entanto não resultou em uma redução dos níveis de desigualdade. As divergências da economia espanhola ao dos seus parceiros da EU e a inadequação do modelo produtivo nas perturbações econômicas, têm condicionado um modelo de desenvolvimento de pouca permeabilidade com efeitos adversos sobre o mercado de trabalho, questionando a homogeneização econômica num contexto comunitário marcado diferenciação entre centro e periferia. Não houve grandes mudanças nos indicadores de desigualdade desde a adesão da Espanha na UEM, apesar de um ciclo econômico expansivo com elevada capacidade de geração de emprego e que a Espanha não conseguiu superar um modelo de desenvolvimento de baixa produtividade e diversificação econômica limitada favorecendo os desequilíbrios que, no clima econômico atual, foram consolidadas como estruturais e têm impactado diretamente na distribuição da renda das famílias. Os efeitos da crise econômica, as suas determinantes e as medidas adotadas para enfrentá-los neste contexto europeu ampliou a diferença de renda da cidadania afetando diretamente os níveis de desigualdade e pobreza em Espanha. Poderiam, portanto, definir três determinantes do aumento da desigualdade na Espanha: a constrição dos salários, a desestruturação do emprego e o desemprego

Abstract: This thesis aims to make an approach of the determinants of inequality and regression of the labor market in Spain in the context of the contemporary crisis. To do this, we have analyzed the macroeconomic conditions in Spain after the integration into the Economic and Monetary Union (EMU) and the conditions regarding inequality and the Spanish labor market, to show how these variables have evolved in Spain in the long run. While the analysis of the determinants of inequality involves the analysis of different areas, this study analyzed only those related to the labor market. EMU integration was a turning point in the economic and social development of Spain. However, the economic growth experienced by the country following accession did not result in a reduction in the levels of inequality which have been increased in the current economic context redefining the distribution pattern of the country. The divergences of the Spanish economy versus of its EU partners and the unsuitability of the productive model towards economic avatars, have conditioned a model of development with low permeability and with adverse effects on the labor market, questioning the idea of the economic homogenization in a Community context with marked differentiation between center and periphery. It notes that there have been no major changes in indicators of inequality since the accession of Spain in the EMU, despite an expansive economic cycle with high capacity to generate employment, and that Spain has failed to overcome a development model of low productivity and limited economic diversification favoring the imbalances in the current economic context which have been consolidated as structural and which have impacted directly in the distribution of household income. The effects of the economic crisis, its determinants and the measures adopted to face them in this community context have expanded the income gap among the citizenship, affecting directly the levels of inequality and poverty in Spain. We could, therefore, define three determinants of rising inequality in Spain: the constriction of wages, the failure of employment and unemployment
Subject: Renda - Distribuição - Espanha
União monetária
Mercado de trabalho
Economia
Language: Espanhol
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
LopezRiveros_Anna_M.pdf2.47 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.