Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286439
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: A financeirização do consumo : uma análise das modificações do consumo pessoal nos Estados Unidos da década de 1980 à crise financeira de 2007-9
Title Alternative: Financialization of consumption : an analysis of personal consumption changes in U.S. from the 1980's until the 2007-9 crisis
Author: Brochier, Lídia, 1987-
Advisor: Mendonça, Ana Rosa Ribeiro de, 1966-
Sarti, Ana Rosa Ribeiro de Mendonça, 1966-
Abstract: Resumo: O consumo pessoal, dentro da tradição keynesiana, costuma ser entendido como uma função estável da renda, constituindo o elemento passivo e previsível da demanda agregada. Sabe-se que o investimento é o elemento mais instável da economia, sujeito frequentemente a flutuações e alterações imprevistas. Contudo, as transformações verificadas nas economias capitalistas, a partir do processo de financeirização, também originaram modificações no consumo e no papel ocupado por essa variável na economia ¿ podendo funcionar como motor ativo de expansão dos gastos. Logo, pretende-se analisar nesta dissertação como o consumo é entendido pelas teorias convencionais do consumo e mostrar seus limites e contribuições para apreender a evolução recente do consumo pessoal, dado que esse se mostra crescentemente vinculado ao crédito, ao endividamento e à dinâmica de valorização dos ativos. Além disso, objetiva-se examinar como as principais questões relacionadas à financeirização afetam o consumo das famílias nos Estados Unidos. Essas questões são: as inovações financeiras (e as inovações no mercado imobiliário), o efeito riqueza, o processo de estagnação das rendas, a política monetária e o papel desse país na economia mundial. Por fim, analisam-se fatos estilizados sobre o consumo pessoal, do ponto de vista macroeconômico, a fim de verificar as evidências de um consumo financeirizado na economia estadunidense. Essa dissertação divide-se em três capítulos. No primeiro capítulo é feita a revisão das teorias do consumo. Os autores incluídos nessa revisão são: Keynes, Duesenberry, Modigliani, Friedman, Kalecki e Minsky; no segundo capítulo, faz-se uma breve contextualização histórica do processo de desregulamentação bancária e financeira e os principais pontos referentes à financeirização do consumo são abordados ¿ primeiramente a partir da conceituação teórica e num segundo momento a partir do processo histórico; no capítulo três discutem-se os dados do consumo em torno de três eixos: a renda, a riqueza e o crédito e o endividamento das famílias. O período compreendido por essa análise vai da década de 1980 até a crise financeira de 2007-9, com ênfase em alguns acontecimentos referentes a essa última. Destacam-se ao longo da dissertação a importância do crédito e da variação dos preços dos ativos para moldar o consumo entre o final do século XX e o início do século XXI e a inflexão do padrão de crescimento exposta pela crise financeira nos Estados Unidos

Abstract: Personal consumption, within Keynesian tradition, is usually understood as a stable function of income, composing the passive and predictable element of aggregate demand. As known, investment is the most unstable component of the economy, exposed more often to fluctuations and unforeseen changes. However, modifications verified in capitalist economies, brought about by financialization process, also originated changes in consumption and its role in the economic system ¿ working, then, as an active engine of expenditure expansion. Therefore, this thesis intends to analyze how consumption is understood by conventional consumption theories and show its limits and contributions to apprehend the recent personal consumption evolution, since it reveals itself increasingly connected to credit, indebtedness and asset valuations. Besides, this work aims at discussing how the main issues related to financialization exert influence over household consumption in the United States. These issues are: financial innovation (and real estate innovation), wealth effect, income stagnation process, monetary policy and the role of this country in international economy. At last, stylized facts about personal consumption, from macroeconomic point of view, are explored to find the evidences of a financialized consumption in the American economy. This thesis is divided into three chapters. In the first chapter, a review of consumption theories is performed. The authors included in this review are: Keynes, Duesenberry, Modigliani, Friedman, Kalecki and Minsky; in the second chapter, attention is drawn to a short historical contextualization of bank and financial deregulation and the core points referring to consumption financialization are addressed ¿ starting from theoretical conceptualization and going through the historical process; In chapter three data on consumption are discussed around three axes: household income, wealth and credit and indebtedness. The analysis comprehend the period that goes from the 1980s until the financial crisis of 2007-9, emphasis lays on the last crisis events. Throughout the thesis, credit and assets valuations importance to shape consumption between the end of twentieth century and the beginning of twenty-first century and the turning point of the growth pattern uncovered by the financial crisis in the U.S. are highlighted
Subject: Consumo (Economia)
Financeirização
Dívidas
Riqueza
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Brochier_Lidia_M.pdf3.12 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.