Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286427
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Tackling youth unemployment in the European Union = in quest of Keynesian imprints since 2000 = Políticas de combate ao desemprego dos jovens da União Europeia: em busca de traços Keynesianos
Title Alternative: Políticas de combate ao desemprego dos jovens da União Europeia : em busca de traços Keynesianos
Author: Ebisch, Andreas Richard, 1976-
Advisor: Ferreira, Adriana Nunes, 1969-
Abstract: Resumo: A dissertação rastreou traços keynesianos nas políticas europeias de emprego 2000-2014. Foi dada atenção à inclusão dos jovens pouco qualificados. De especial interesse é a distinção entre as influências econômicas Pós-keynesiana e Novo keynesianas. O primeiro capítulo destacou a relevância do problema do desemprego dos jovens. O segundo capítulo traçou a teoria keynesiana e seu desenvolvimento. O terceiro capítulo distinguiu três períodos de 2000 a 2014. As políticas relevantes para o emprego dos jovens mudaram durante os períodos do pré-crise e da crise financeira e, posteriormente, com a crise da zona do euro. O capítulo predominantemente utilizou publicações da Comissão Europeia para espelhar a mudança na formulação de políticas da União Europeia. No quarto capítulo foi discutida a influência Pós-keynesiana e da Nova Economia keynesiana. A conclusão aponta que, apesar de 27 milhões de candidatos a emprego, os jovens são cada vez mais treinados para atender as demandas do mercado de trabalho, isso não muda o número limitado de 2 milhões de vagas de emprego. Conclui-se que as recentes políticas de desemprego na União Europeia carregam mais traços do Novo keynesianismo do que do Pós- keynesianismo, e que para novos empregos, provavelmente, não precisam de medidas de austeridade, mas de investimento do Estado para incentivar a criação de novos postos de trabalho. Palavras-chave: políticas de desemprego de jovens, pós-keynesianismo, crise da zona do euro, União Europeia

Abstract: The dissertation traced Keynesian imprints in the European employment policies from 2000 to 2014. Attention was given to the inclusion of the low-skilled youth. Of special interest was the distinction between Post Keynesian and New Keynesian Economic influences. The first chapter underlined the relevance of the youth unemployment problem. The second chapter traced the Keynesian theory and its development. The third chapter differentiated three periods from 2000 until 2014. The policies relevant for youth employment changed during the periods from Pre crisis to financial crisis, and later to the euro area crisis. The chapter predominantly used publications of the European Commission to mirror the change in the policy making of the Union. The fourth chapter discussed the influence of the Post Keynesian and New Keynesian Economics. The Conclusion points out that even though 27 million jobseekers are more and more trained to meet the labour market demands, this does not change the limited number of 2 million job vacancies. It concludes that the recent unemployment policies in the European Union carry more new Keynesian imprints than Post Keynesian ones, and that new jobs probably need no austerity measures in a slump, but could make use of state investment to encourage the creation of new workplaces
Subject: Jovens - Emprego - União Europeia
Economia keynesiana
União Europeia
Language: Inglês
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ebisch_AndreasRichard_M.pdf1.91 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.