Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286423
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: A hipótese da instabilidade financeira e o encontro de Minsky com a economia brasileira : a experiência das corporações nacionais nos anos 2000 e o caso da Sadia na crise de 2007/2008
Title Alternative: The financial instability hypothesis and Minsky's link with brazilian economy : the experience of national corporations in 2000's and Sadia's case at crisis 2007/2008
Author: Ramos, Luma Souza, 1989-
Advisor: Deos, Simone Silva de, 1968-
Abstract: Resumo: A partir de 2003-2004, inaugurou-se um novo ciclo conjuntural virtuoso na economia brasileira. Ao longo da conjuntura de expansão, as perspectivas e performances dos agentes nacionais se diferenciaram, aproveitando um leque mais amplo de oportunidades que se abriu. As corporações brasileiras utilizaram as melhorias no cenário interno e externo para aprimorar os seus parques industriais, os modelos de gestão, as estratégias concorrenciais e as estruturas patrimoniais. Elas também intensificaram os investimentos em participação e aquisição de outras corporações; direcionaram seus esforços rumo ao crescimento das operações, à diversificação, à sofisticação das aplicações financeiras e à internacionalização das plantas produtivas. Nesse cenário, destaca-se um episódio singular para a economia do Brasil: um conjunto de empresas não-financeiras nacionais apresentaram perdas importantes e se encontraram em situações de de ausência de liquidez e, em alguns casos, insolvência e que, por conseguinte, deram origem à reestruturações organizacionais. Aproximadamente duzentas empresas, segundo dados do BNDES (2011), estavam operando com alta alavancagem no mercado de câmbio e especulando por uma apreciação do real frente ao dólar, em operações target forward. A partir desse entendimento, o objetivo desse trabalho é, com base no arcabouço teórico minskyano, em especial sua hipótese da instabilidade financeira, e tendo como referência as características específicas da economia brasileira, analisar o caso das corporações brasileiras envolvidas em especulação com derivativos cambiais, em 2008. Usar-se-á, nesse intuito, um episódio representativo, o da Sadia (SADIA S.A.). A tipificação deste caso pode ora se contrapor às mudanças nos instrumentos de atuação e opções estratégicas do empresariado nacional, ora comprovar a existência de um capitalismo brasileiro contraditório que leva a sequentes crises e flutuações econômicas. A hipótese que permeará a discussão é que certas empresas brasileiras no momento de bonança e relativa estabilidade macroeconômica, aproveitando-se das demais características existentes no período compreendido entre 2003-2008, passaram a se posicionar, crescentemente, de forma alavancada e especulativa no mercado financeiro, a fim de obterem maiores rendimentos não operacionais no curto prazo, fenômeno este que pode ser enquadrado na perspectiva da Hipótese da Instabilidade Financeira (HIF) de Minsky. Tal comportamento pode ser associado à idéia minskyana de que em períodos de relativa estabilidade e/ou de crescimento econômico, os agentes, ao terem suas expectativas concretizadas e, com consequente, aumento de lucratividade, tendem a diminuir suas percepções de risco, a se alavancarem e, por conseguinte, a deteriorarem suas margens de segurança. Desta forma, períodos de relativa estabilidade conduzem e germinam as sementes para a instabilidade e para as crises. Logo, as conjunturas econômicas, internas e externas, influenciam na tomada de decisão e na alocação dos portfólios dos agentes

Abstract: From 2003-2004, started a new virtuous economic cycle in the Brazilian economy. Along the scenario of expansion, the prospects and performance of national officials differed by leveraging a wide range of opportunities opened. Brazilian corporations used the improvements in the internal and external environment to enhance its industrial parks, business models, competitive strategies and equity structures. They also stepped up investments in participation and acquiring other corporations; directed their operations towards growth, diversification, sophistication of financial investments and internationalization of production plant's efforts. In this scenario, there is a unique episode for Brazil's economy: a set of national non-financial companies reported major losses and found themselves in situations of lack of liquidity and, sometimes, insolvency and therefore gave rise to organizational restructuring. Approximately two hundred companies, according to data from BNDES (2011), were operating with high leverage in the foreign exchange market and speculating on the real appreciation against the dollar in target forward operations. The aim of this work is with a minskian theoretical framework, in particular his financial instability hypothesis, and with reference to the specific characteristics of the Brazilian economy, consider the case of Brazilian corporations involved in speculation on currency derivatives, in 2008. In this order, this study will analyze a representative episode, the Sadia (Sadia SA). This case interpretation can sometimes counteract the changes in the instruments of action and strategic options of the national business, now prove the existence of an adversarial Brazilian capitalism that leads to sequential crises and economic fluctuations. The hypothesis that will permeate the discussion is that certain Brazilian companies at the time of prosperity and relative macroeconomic stability, taking advantage of other existing features in the period 2003-2008, began to put themselves, increasingly so leveraged and speculative financial market to get higher non-operating income in the short-term, a phenomenon that can fix in the context of the Financial Instability Hypothesis (FIH) Minsky. Such behavior could be associated with minskian idea that during periods of relative stability and / or economic growth, the agents when they realized their expectations and, so, increased profitability, tend to decrease their risk perceptions, to leverage and therefore, the safety margins deteriorate. Therefore, periods of relative stability and lead germinate the seeds of instability and seizures. So, economically, internal and external contexts influence in decision-making and allocation of portfolios of agents
Subject: Minsky, Hyman P., 1919-1996
Corporações - Brasil
Derivativos (Finanças)
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ramos_LumaSouza_M.pdf2.28 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.