Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/286124
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: As políticas públicas de economia solidária (ESOL) : avanços e limites para a inserção sociolaboral ds grupos-problema
Title Alternative: Public policies of solidarity economy (ESOL) : progress and limits to integration into society group's problem
Author: Morais, Leandro Pereira, 1978-
Advisor: Bacic, Miguel Juan, 1954-
Abstract: Resumo: A Economia Solidária (ESOL) constitui um fenômeno que tem ganhado crescente visibilidade econômica, social e política, sobretudo após a crise instaurada nas décadas de 1980 e 1990; crise esta que assolou o mercado de trabalho brasileiro e de muitos outros países. Em se tratando da ESOL, uma de suas novidades é a maneira em que tem impactado o planejamento de políticas públicas, nos âmbitos municipal, estadual e federal, uma vez que seus atores, organizações e entidades buscam reconhecimento, institucionalização e apoio para seus projetos e atividades. Há uma percepção de que o poder público pode se utilizar da ESOL como um dos instrumentos de auxílio para a geração de trabalho e renda, sobretudo para determinados grupos de pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica e que tem dificuldade estrutural para obter um nível de renda. Offe (1989) os chama de "grupos-problema". A hipótese central reside no fato de que é incontestável a presença destes "grupos-problema", cuja inserção laboral é demasiadamente difícil ou até mesmo inviável e também cujas ações tradicionais do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) não os abarcam em sua totalidade. Na verdade, o problema começa na definição do que é ESOL, o que, posteriormente, desagua em problemas de mensuração de suas atividades e delimitação de políticas públicas específicas. Nesse sentido, pretende-se, com este trabalho, conhecer algumas experiências que vêm ocorrendo no Brasil e em alguns países, com o intuito de apreender e analisar como estas se concebem, quais seus principais avanços e limites, como a ESOL vem disseminando suas ações e servindo como um instrumento de geração de trabalho e renda etc. O trabalho aponta para a fragilidade das políticas até então construídas (e, em experimentação), bem como para a necessidade de elaboração de políticas públicas integradas e transversalizadas, entendidas como mais eficazes para a inserção sociolaboral dos que em muitos países se enquadram como "grupos-problema"

Abstract: The Solidarity Economy (ESOL) is a phenomenon that has gained increasing economic, social and political visibility, especially after the crisis introduced in the 1980s and 1990s, this crisis that hit the Brazilian labor market and many other countries. In the case of ESOL, one of its new features is the way it has impacted the planning of public policies at the municipal, state and federal level, since his actors, organizations and entities seeking recognition, institutionalization and support for their projects and activity. There is a perception that the government can use the ESOL as an instrument to aid the generation of employment and income, especially for particular groups of people in vulnerable socioeconomic and structural difficulty that has to get a level of income. Offe (1989) calls them "problem groups". The central hypothesis is the fact that the indisputable presence of these "problem group s" whose labor insertion is too difficult or even impossible and also traditional whose actions the Ministry of Labour and Employment (MTE) do not cover in full. Actually, the problem starts in defining what is ESOL, which eventually empties into measurement problems of its activities and delineation of specific public policies. Accordingly, it is intended with this work, to meet some experiments that have been occurring in Brazil and in some other countries, in order to seize and analyze how they conceive, what their main achievements and limitations are, such as ESOL is spreading its shares and serving as a means of generating employment and income etc. The work points to the fragility of the policies hitherto built (and experimentation), as well as the need for the development of integrated and transversalized public policies, understood as more effective for the integration into society of those who fall in many countries into the category of "problem-groups "
Subject: Economia solidária
Políticas públicas
Trabalho
Renda
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: MORAIS, Leandro Pereira. As políticas públicas de economia solidária (ESOL): avanços e limites para a inserção sociolaboral ds grupos-problema. 2013. 263 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/286124>. Acesso em: 22 ago. 2018.
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Morais_LeandroPereira_D.pdf2.49 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.